AAJ - Associação de Ajuda a Jovens

Categoria: Finanças Page 1 of 6

Como o setor financeiro impacta a sua empresa como um todo?

Como o setor financeiro impacta a sua empresa como um todo?

O setor financeiro precisa estar presente nas organizações, independentemente dos seus nichos. Ele causa grandes impactos benéficos, se houver uma boa gestão.

Continue lendo e entenda como o setor financeiro pode causar grandes impactos à sua empresa.

O que é o setor financeiro de uma empresa?

O setor financeiro de uma empresa mexe com tudo o que envolve de forma direta, ou até mesmo indiretamente, se tratando de dinheiro.

Normalmente, para conseguir organizar todo esse lado de finanças, o setor financeiro tende a se dividir em pequenas áreas para tudo ficar em ordem. Dessa maneira, a primeira área delas, a mais básica e funcional é a tesouraria.

Por isso, antes de qualquer abertura de um negócio, é importante adquirir conhecimentos por meio de um curso de empreendedorismo à distância.

  1. Tesouraria

O controle de entrada e saída do caixa registra as movimentações para saber o que está acontecendo.

Ela tem que fazer um controle do caixa da empresa, a tesouraria tem obrigação de avaliar e decidir em todas as saídas e entradas fazendo um controle do fluxo.

Pode usar um sistema desenvolvido com um ambiente integrado ao financeiro, para tesouraria pode ser feito em planilhas de Excel ou realizado naqueles cadernos de controle de fluxo de caixa.

A questão chave da tesouraria é só ter o registro de entrada e saída, recebendo ou dando a permissão, rejeitando e montando a burocracia, para ter certeza que tudo o que é movimentado está certo

  1. Contas a pagar e contas a receber

É necessário saber o que está planejado e programado para entrar e sair da empresa, sendo assim, surge a área de contas a pagar e receber.

Muitas vezes, são separadas dentro do mesmo bloco de área de trabalho, mas são feitas por pessoas separadas.

O foco é entrar nos recebimentos, e podem ser realizados por parcelas de cartões, boletos ou contratos fechados.

Qual a importância do setor financeiro?

Hoje, o setor financeiro é praticamente o coração da empresa, porque ele é que vai ter o controle de alguns pontos, como:

  • Com que está gastando;
  • Qual é o investimento;
  • Quais são as receitas que estão entrando;
  • Qual o ponto de equilíbrio do seu negócio;
  • O que você precisa para equilibrar as suas contas. 

O setor financeiro pode dar uma visibilidade que o gestor e a equipe comercial não têm.

Ele pode disponibilizar qual é o percentual que está fazendo a utilização em marketing, e em algumas despesas que estão ligadas diretamente no seu serviço, por isso é importante ter uma boa gestão de marketing e vendas.

Esse setor passará quais são as estratégias que pode utilizar para diminuir algumas despesas e ser muito mais produtivo.

Com o setor financeiro bem montado, um setor que não só vai cuidar do seu dinheiro como também irá dar o direcionamento no que você pode fazer e o que está sendo benéfico, vai ser um norteamento enorme. 

Assim, poderá seguir uma cartilha e chegar onde traçou como objetivo. Essa é uma importância que muitas vezes as pessoas não conseguem visualizar, investir e ter um bom setor financeiro.

Como o setor envolve diversas áreas,  é importante que os gestores indiquem aos seus funcionários uma faculdade de vendas e marketing para que fiquem aptos a agir. 

O impacto da gestão financeira em uma empresa

Essa gestão causa um impacto muito grande, principalmente no custo e em dizer se a empresa está indo por um caminho certo ou não.

Se a gestão financeira for feita de uma forma eficiente muitas dúvidas poderão ser respondidas através dela.

De certa forma, ela pode causar um impacto na empresa como um todo de forma positiva se for realizada com eficiência.

Por exemplo, irá evitar os atrasos nos pagamentos, porquanto, fará o acompanhamento exato e uma análise detalhada sobre as entradas e saídas.

Além disso, ela irá auxiliar nas áreas de comercial, por quanto o marketing é muito importante dentro de uma organização.

Para a prospecção de novos clientes, é imprescindível adquirir uma excelente gestão de marketing e comunicação.

Ela irá facilitar também a facilidade em relação às tomadas de decisão dentro da organização.

Essas decisões são precisas em qualquer tipo de setor dentro da organização, principalmente se for um investimento, é necessário ter uma decisão cautelosa.

Dependendo do acompanhamento do fluxo de caixa, o funcionário que participa do setor financeiro, poderá dizer o que deve ou não fazer neste momento.

Por isso é importante que os colaboradores se empenhem e adquiram os conhecimentos técnicos por meio de um curso gestão comercial ead, para ficar presente em diversas áreas com precisão.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado 

para a veiculação de conteúdos relevantes para empresas, contribuindo com estratégias para o desenvolvimento do negócio.

Dicas para administrar bem o seu dinheiro

Dicas para administrar bem o seu dinheiro

Manter o equilíbrio entre receitas e despesas é sinônimo de tranquilidade e bem-estar para sua família. Existem três elementos cruciais para evitar problemas financeiros: ter clareza sobre o dinheiro recebido em relação ao que é gasto, evitar dívidas desnecessárias e facilitar a poupança.

Existem algumas dicas práticas para a elaboração de um planejamento voltado para a conservação das finanças:

• O primeiro e mais importante passo é ter consciência da importância de fazer um planejamento financeiro focado no cumprimento das metas de vida e familiares, lembre-se de fazê-lo sempre, não importa em que fase da vida você esteja.

• O planejamento financeiro começa pelo controle do seu bolso, seja realista, baseado na renda e na frequência com que ela é recebida, descontando as despesas fixas e descontos desse valor, isso permitirá que você tenha clareza sobre quanto dinheiro você realmente tem e sobre como distribuir tudo de acordo às prioridades.

• Poupar é a chave para o bem-estar financeiro. Independentemente de sua renda, procure sempre economizar. Essa economia deve ser sua prioridade. Não espere pelo que sobra, mas defina um valor fixo que você deve reservar uma vez que você receber sua renda menos 10% de sua renda.

•  Seja realista, jogar em jogos como o jogo do bicho, bingo, fazer apostas no 22 Bet, loteria e coisas do tipo com muita frequência, poderá não trazer bons resultados na sua vida financeira caso você já não tenha uma renda muito boa para poder correr riscos envolvidos em praticas do tipo

• Tenha objetivos de vida claros e, portanto, converta-os em objetivos de curto, médio e longo prazo, desta forma suas economias farão mais sentido e você poderá medir seu esforço.

• Não faça contas muito do que poderia ser salvo ou ter. Seja sempre realista tanto nas despesas quanto nos objetivos que você define.

• Controle as dívidas, lembre-se que existem dívidas boas e dívidas ruins para o seu bem-estar, evite pagar mais de 30% de sua renda em pagamento de dívidas.

• Tenha em mente que em diferentes momentos da vida as necessidades variam, por isso inclua em seu planejamento financeiro questões tão importantes quanto sua aposentadoria, planejamento tributário, educação dos filhos, entre outros aspectos relevantes do ciclo de vida.

• Atribua um nome próprio a cada um dos itens que compõem seu planejamento financeiro. Ou seja, se um valor mensal for destinado à educação dos filhos, essa poupança deve ser chamada, por exemplo, de “poupança universitária de André”; Com base nas informações disponíveis, no custo aproximado do estudo, no tempo restante para Andrés entrar na universidade e na rentabilidade que o dinheiro terá ao longo do tempo, essa economia é planejada. Essa prática facilita a consistência e o comprometimento com as finanças.

• O acompanhamento das finanças pessoais é um ponto chave e da sua responsabilidade, não é necessário fazê-lo diariamente mas se rever as declarações e informações que a sua entidade lhe envia, escolha entidades sérias, responsáveis ​​com apoio e sobretudo que o acompanhem no processo para fazer o planejamento.

• Em tempos em que a crise econômica afeta a renda, é melhor fazer planos consistentes com essa queda. Se a renda for reduzida, o mais lógico seria reduzir as despesas.

• Considerar pensões e indenizações. Ter clareza sobre os objetivos para os quais esses fundos foram criados ajuda a evitar pensar na opção de suspendê-los ou usá-los para outras coisas, pois quanto maior a prevenção hoje, melhores serão os benefícios no futuro.

Etiqueta do espaço de coworking 2022: regras para um espaço de trabalho seguro e saudável.

Um retorno seguro ao espaço de coworking envolve mais do que o espaço de trabalho fornecendo aos membros os padrões de saúde exigidos. Também envolve a participação dos membros em manter o ambiente de coworking seguro no que se tornou o futuro do coworking com endereço fiscal para Jundiaí e outras cidades. 

Com a pandemia do COVID-19 ainda entre nós, retornar ao escritório é algo que exige abraçar mais do que apenas as regras básicas de etiqueta. Embora manter o nível de ruído baixo e limpar depois de usar uma área comum sejam algumas coisas que se encaixam no comportamento de bom senso no espaço do escritório, existem algumas regras não escritas que os membros precisam incorporar em seu comportamento no escritório.

Higienize seu espaço de trabalho

Sua mesa é o lugar onde você passará a maior parte do tempo no escritório. Por esse motivo, você quer ter certeza de que está sempre limpo e, com isso, não quero dizer apenas organizado.

Certificar-se de que seu espaço de trabalho seja desinfetado regularmente é algo que você deve considerar incluir em seu horário de trabalho diário. Uma boa ideia é higienizar a área logo antes de sair do trabalho ou logo pela manhã para garantir que você sempre comece o dia fresco e limpo. 

Em casos como hotelaria de escritório, é melhor limpar sua mesa pela manhã, ou sempre que chegar, para garantir que ela esteja higienizada.

Cuide para que tudo fique limpo

Embora isso seja óbvio em um espaço de coworking com endereço fiscal para Campinas e outras cidades, agora é importante prestar ainda mais atenção às áreas compartilhadas. 

Certifique-se de descartar adequadamente o lixo, bem como papel toalha usado nos banheiros e cozinhas, esterilizar as mesas onde você come, e procure sempre ter as mãos lavadas ou higienizadas antes e depois de tocar em coisas como maçanetas e interruptores de luz. 

Além disso, não deixe bebidas ou alimentos abertos na geladeira em uma cozinha compartilhada, e não deixe pratos e talheres usados ​​na pia ou bancada, mas lave-os imediatamente antes de guardá-los.

Mantenha sua bolha pessoal

Embora você possa estar acostumado a correr para uma reunião no último minuto ou até mesmo se levantar com todos os outros para caminhar juntos, pode ser uma ideia melhor tentar chegar à sala de reuniões antes do tráfego. 

Isso permite que você evite ter que se espremer por outras pessoas, permitindo assim manter o distanciamento social. Além disso, para mostrar respeito pelos seus colegas de trabalho, manter distância é uma boa ideia, assim como você faria em uma loja ou enquanto espera em uma fila.

Nenhuma reunião na área da mesa

Embora também seja uma boa ideia evitar incomodar aqueles que têm mesas ao seu redor, se você tiver algo para discutir com colegas de trabalho, tente ir para uma sala de reuniões ou espaço onde não haja muitas outras pessoas por perto. 

Embora você provavelmente precise usar máscaras no espaço de coworking com endereço fiscal para Sorocaba, ter um monte de pessoas aglomeradas em torno de uma pequena mesa pode ser arriscado e difícil de gerenciar, além de manter os padrões de distanciamento social em vigor.

Fique em casa se não estiver bem

Outra regra de bom senso que não deve ser dita é ficar em casa se você se sentir mal. Independentemente de você ter COVID ou não, evitar o risco de dar o que você tem aos seus colegas de trabalho deve ser eliminado ao optar por trabalhar em casa. 

Além disso, se você tiver alguns sintomas durante o trabalho, vá para casa imediatamente. Outra coisa importante a ter em mente é informar ao seu empregador que você está se sentindo mal para que ele possa monitorar quaisquer interações entre você e seus colegas de trabalho.

Acompanhe seus suprimentos

Para evitar ter que compartilhar mais coisas do que as que você precisa, como maçanetas, interruptores de luz e tampos de mesa comuns, certifique-se de acompanhar seus suprimentos. Isso inclui qualquer coisa, desde canetas, cadernos, fone de ouvido e até sua cadeira. 

Dessa forma, você garante que suas coisas serão usadas apenas por você, mas também que você não precisará pedir nada emprestado aos seus colegas de trabalho.

Como cancelar um pagamento com cartão de crédito ou débito

Hoje quase todo mundo tem um cartão de crédito ou débito para fazer suas compras habituais. Das compras no supermercado às compras online.

Isso se deve principalmente à grande comodidade oferecida por essas ferramentas de pagamento, além das vantagens adicionais dos cartões de crédito .

No entanto, às vezes você pode não estar satisfeito com a compra ou o pagamento que fez e deseja cancelar um pagamento com cartão. Este procedimento pode ser realizado e é simples de executar, embora para isso você precise seguir algumas recomendações.

Neste artigo mostramos o caminho a seguir para cancelar um pagamento com cartão para que você não cometa erros que possam dificultar o processo.

Você pode se interessar também sobre um artigo sobre chargeback.

Métodos para cancelar o pagamento com cartão

Para poder cancelar o pagamento com o seu cartão existem vários métodos; Todas as opções que colocamos à sua disposição neste artigo são igualmente válidas, por isso escolha a que melhor lhe convier.

Vá até a loja onde você fez a compra

Podemos dizer que é o método mais simples de todos. Trata-se de fazer uma devolução comum com um cartão apresentando o recibo de compra juntamente com o bilhete correspondente.

Lembre-se de que é muito importante que você leve consigo o mesmo cartão com o qual efetuou o pagamento , pois é aquele com o qual desejamos cancelar o pagamento. Assim que eles fizerem a devolução, você receberá o reembolso em questão de minutos.

Entre em contato com o emissor do cartão de crédito

É outra opção que você pode usar para cancelar um pagamento com cartão. Entre em contato com o atendimento ao cliente do seu banco para informar que deseja cancelar um pagamento feito com seu cartão.

Serão eles que lhe dirão todos os passos que você deve seguir, mesmo nos melhores casos, eles lhe dirão que são responsáveis ​​​​por cancelar o pagamento com seu cartão. Eles fornecerão um número de incidente para que você possa acompanhar o status do seu caso.

Recomendamos que o acompanhe com frequência para saber se foi possível efetuar a devolução e verifique no seu cartão se o reembolso foi efetuado e se o valor está correto.

Entre em contato com a empresa emissora on-line

Outra opção semelhante à anterior é contatar a entidade emissora através do seu serviço online. Você pode reivindicar o valor que deseja cancelar a partir de um pagamento com cartão através do seu celular ou computador.

Como regra geral, você só terá que acessar seu banco eletrônico digitando suas senhas com as quais se identifica como titular do cartão. Uma vez no interior, poderá consultar todos os seus movimentos e operações.

Este último será muito útil para localizar o movimento e cancelar o pagamento com cartão . Depois de tê-lo, você deve entrar em contato com o atendimento ao cliente e explicar o motivo pelo qual deseja cancelar um pagamento com seu cartão. Eles farão todo o possível para tentar resolver sua situação e executar o reembolso.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Procurando investimentos seguros em 2022? Veja como e onde investir dinheiro

Procurando investimentos seguros em 2022? Veja como e onde investir dinheiro

Depois de muitos meses em que os mercados tiveram desempenhos positivos, 2022 caracterizou-se pelo retorno da volatilidade: com a emergência do Covid agora para trás, a atenção dos mercados se concentrou na ação dos bancos centrais e no conflito na Ucrânia , que criou mais incertezas. Enquanto isso, em muitas economias, o crescimento da inflação coloca novos desafios para os investidores, que devem encontrar estratégias para evitar que seu capital se deprecie excessivamente.

Nos últimos anos, investir nos mercados financeiros permitiu que os investidores acumulassem retornos muito importantes. Apesar disso, no Brasil ainda há uma tendência de se concentrar demais em instrumentos com risco mínimo, como títulos do governo, contas de depósito e apólices. Se no passado estes instrumentos poderiam ter sido soluções aceitáveis ​​para investir, no contexto atual (segundo semestre de 2021), com taxas de juro e preços a continuarem a subir, a exposição aos mercados financeiros e especialmente aos mercados de ações permanece, em nossa opinião, o caminho principal para gerar retornos de longo prazo. Se você quer entender como investir seu dinheiro com segurança, recomendamos que pense em alguns conceitos importantes.

O risco de mercado faz parte do jogo e é o que justifica o retorno, é como fazer uma aposta online, se você aposta no time certo na 22Bet, você terá um retorno positivo e muitos ganhos financeiramente . Embora nos últimos anos o desempenho de longo prazo dos mercados accionistas tenha sido muito positivo, não se podem excluir momentos negativos, que podem conduzir temporariamente a investimentos negativos. A recente crise na Ucrânia no início de 2022 é um exemplo claro de como um evento inesperado pode trazer turbulência aos mercados. Muitos investidores podem, portanto, ser tentados a agir por impulso e adiar a escolha de investir ou desviar-se de seu plano de investimento de longo prazo. Este é um erro crucial, pois ao investir, o tempo é o melhor aliado do investidor. Os mercados têm historicamente demonstrado uma trajetória de crescimento: nesta fase, existem poucas alternativas aos mercados de ações para o investidor médio. Nesse sentido, investimentos seguros, entendidos como investimentos capazes de gerar retornos positivos, em nossa opinião consistem em soluções de longo prazo dentro de um portfólio bem diversificado, com grande atenção à gestão de riscos.

As taxas de juros estão crescendo e por muito tempo elas lutam para garantir ao investidor um alto nível de proteção contra a inflação. Os investimentos ditos “seguros” ou garantidos compensam, que em um cenário de inflação em alta terão dificuldades para garantir um retorno real positivo.

O mercado hoje se move muito rápido, prever sua tendência no curto prazo é um caminho difícil para o investidor não profissional: é melhor estruturar um plano de longo prazo que gerencie o risco e explore a força dos mercados de ações.

Como investir dinheiro em 2022?

Um grande número de instrumentos financeiros são geralmente percebidos ou vendidos como investimentos seguros. Na realidade, estes instrumentos nem sempre são a escolha certa para o investidor ou são isentos de riscos. Abaixo você encontrará um pequeno guia, no qual tentaremos definir melhor as características e esclarecer as vantagens e riscos dessas ferramentas.

Contas de depósito

As contas de depósito, principalmente neste período de juros baixos, são ferramentas de estacionamento de liquidez que oferecem retorno garantido em troca de abrir mão da possibilidade de sacar seu capital (na maioria dos casos). Em geral, os retornos crescem à medida que a duração da restrição de tempo aumenta.

Coisas a observar:

O risco de crédito é o risco de o banco não conseguir garantir os juros. Para depósitos até R$100.000, o fundo interbancário que protege os depósitos intervém, mas para montantes superiores o risco mantém-se. Além disso, é sempre bom lembrar que o rendimento é o prêmio pelo risco que o investidor assume ao adquirir determinado produto. Portanto, uma taxa de mercado muito superior à média do mercado deve disparar um alarme sobre o estado de saúde do emissor. Esses instrumentos normalmente oferecem taxas de retorno em linha ou abaixo do estado geral das taxas de juros do mercado. Além disso, a taxa de retorno inicialmente acordada pode estar sujeita a alterações unilaterais por parte do banco, principalmente em caso de queda nas taxas de juros de mercado.

Fundos Monetários

São fundos mútuos de investimento definidos como “monetários” porque consistem em produtos de obrigações de muito curta duração, liquidez ou outros instrumentos de pagamento imediato. Essa característica os torna instrumentos muito estáveis ​​mesmo em períodos em que há uma forte volatilidade dos mercados, mas podem, portanto, ser definidos como “seguros”?

Certamente eles podem ser validamente considerados como uma alternativa ao estacionamento de liquidez para afastar os temores de possíveis riscos caso a instituição que os emite tenha problemas financeiros. Neste caso, de fato, você está coberto apenas para investimentos inferiores a R $100.000.

No entanto, não devemos esquecer que são sempre investimentos de mercado e, portanto, nunca completamente isentos de risco ou com capital protegido, especialmente em contextos de mercados com taxas muito baixas ou negativas como o atual (no entanto, são investimentos de baixa volatilidade). A opção por investir em instrumentos monetários pode revelar-se pouco cómoda uma vez que o desempenho na maioria dos casos é negativo, especialmente depois de aplicadas as comissões e impostos. Os fundos monetários são um método de investimento a ser usado do ponto de vista da gestão de carteiras para limitar a volatilidade geral, compensando instrumentos mais arriscados, e não para fins especulativos per se.

Acordos de recompra

É um contrato de venda temporária de títulos. As 2 partes trocam títulos hoje ao preço de mercado atual e se comprometem a executar a transação oposta em uma data futura a um preço definido. Existe o risco de insolvência, ou o risco de o emitente do título subjacente falhar e, neste caso, a parte que vendeu os títulos pode recusar a recompra; no entanto, existe também um risco de contraparte, ou seja, a falência da contraparte contratual (geralmente uma instituição de crédito).

Títulos do governo

Instrumentos de investimento com os quais são adquiridos títulos de dívida da sociedade emitente, tornando-se efetivamente credores. Esses produtos podem ser títulos de cupom zero e, portanto, sem nenhum cupom, ou podem destacar cupons de taxa fixa ou variável.

Entre aqueles percebidos como mais seguros pelos investidores estão, sem dúvida, os títulos públicos, portanto, emitidos pelos estados, principalmente se forem áreas desenvolvidas, e os de bancos corporativos. Mas é realmente uma maneira de investir suas economias com segurança? Vamos ver quais são todos os riscos a serem considerados ao comprar títulos:

  • Risco de crédito: é o risco de falência do emissor. Para títulos do governo é o risco de inadimplência do país emissor do título.
  • Para títulos prefixados, deve-se considerar o risco de taxa de juros, ou seja, o risco de que a taxa de juros aumente pela desvalorização do título. A Duration, ou seja, a duração financeira do investimento, é um indicador usado para medir a sensibilidade do título a mudanças nas taxas de juros. À medida que a taxa de juros aumenta, o valor do título diminui e vice-versa.
  • Entre os títulos públicos, destacamos os supranacionais e os indexados à inflação.

Bitcoin e criptomoedas

Muitas pessoas, atraídas pelos retornos às vezes surpreendentes, se perguntam se bitcoin e criptomoedas são um investimento seguro. Não há nada mais seguro do que a tecnologia blockchain. Bitcoins e criptomoedas são investimentos extremamente voláteis e é muito fácil acumular grandes perdas, principalmente se você entrar no mercado com o objetivo de especular no longo prazo.

Então não há investimentos seguros?

Investir dinheiro sempre envolve riscos, mas existe uma solução de alto retorno e baixo risco e se expressa em investir em uma carteira diversificada, composta por diferentes produtos e classes de ativos.

As Classes de Ativos representam basicamente o que você decide “apostar”, a classe de investimento na qual você decide investir e aquelas para as quais a maioria dos investimentos converge são:

  • Matéria-prima
  • Componente monetário
  • Ações
  • Títulos
  • Ativos líquidos

Como investir seu dinheiro então? Os retornos vinculados a cada uma dessas classes de ativos diferem e geralmente há pouco ou nenhum desempenho se você precisar de acesso fácil ao dinheiro investido e a garantia de ter o capital investido intacto. Mas uma carteira de investimentos bem equilibrada permite obter bons ou altos retornos, ao mesmo tempo que contém os riscos relacionados.

Qual a importância de se organizar financeiramente

Qual a importância de se organizar financeiramente?

A organização financeira é uma ação fundamental para quem quer saber exatamente onde está aplicando o dinheiro e para quem deseja poupar para poder realizar algum sonho, como a compra de um imóvel ou uma viagem, por exemplo.

Ou seja, a organização financeira é um conjunto de ações que permite que as pessoas consigam projetar uma situação financeira futura para planejar metas a fim de cumprir com os seus objetivos e arcar com os seus compromissos.

No cenário financeiro, isso se refere a compreender melhor como utilizar o seu próprio dinheiro, podendo realizar um curso de gestão financeira para ajudar nesse processo de prever os seus gastos e controlar suas despesas.

Entre os benefícios de organizar a sua vida financeira, podemos destacar:

  • Uma vida mais tranquila e equilibrada;
  • Auxilia a cortar despesas desnecessárias;
  • Impulsiona a alcançar metas e sonhos;
  • Ajuda a saber o destino do seu dinheiro;
  • Diminui os níveis de estresse e ansiedade;
  • Reduz os riscos de impactos negativos em situações de emergência.

Porém, para obter esses benefícios, é preciso começar a organizar todas as partes que podem estar afetando o seu orçamento, identificando os possíveis excessos que possa estar cometendo e comportamentos que podem comprometer o seu saldo bancário.

Para te ajudar a entender melhor como iniciar uma organização financeira para melhorar a sua vida, confira as dicas a seguir.

7 dicas para montar um planejamento financeiro pessoal

O planejamento financeiro pessoal é uma forma eficiente de organizar e controlar o seu dinheiro, servindo com um guia para que você tenha noção e clareza sobre os seus gastos, ganhos e de como economizar.

Antes de começar um planejamento financeiro, entretanto, muitas pessoas preferem estudar melhor sobre assunto através de um curso tecnico de gestão financeira ou palestras ministradas por experts no assunto.

Mas se a sua intenção é iniciar essa estratégia o quanto antes, confira as 7 dicas a seguir para te ajudar a montar o seu planejamento financeiro o quanto antes.

  1. Organize as suas finanças

O primeiro passo para começar a organizar melhor a sua vida financeira é organizando as suas finanças de modo que te ajude a estruturar melhor o seu controle financeiro. Nessa etapa, até mesmo saber quanto custa o curso de gestão financeira pode ajudar.

Quando você não tem domínio sobre as suas contas, a missão de poupar algum dinheiro no final do mês se torna muito maior. Por isso, o ideal é utilizar uma planilha financeira que te ajude a visualizar e controlar melhor a sua renda, dívidas e despesas.

A planilha é uma ferramenta valiosa para te ajudar a fazer projeções para o ano inteiro, e ainda te ajudar a melhorar o seu controle com gastos supérfluos para poder realizar outros sonhos maiores no futuro. 

  1. Alinhe o seu padrão de vida com o seu orçamento

Com ajuda da sua planilha financeira, talvez você perceba que o padrão de vida que está levando não é compatível com os seus ganhos. Isso pode acontecer quando gastamos mais do que ganhamos, utilizando de artifícios como o cartão de crédito para gastar mais.

Se você identificar no fim do mês que os gastos são maiores que os seus ganhos, isso é um alerta para começar a rever o seu padrão de vida. Nesse momento, é importante fazer uma avaliação crítica das suas despesas e verificar quais podem ser cortadas.

Assim, se você quer fazer a melhor faculdade de gestão financeira, talvez seja necessário diminuir por um tempo o gasto com outras áreas da sua vida, como o lazer ou a compra de itens mais caros.

  1. Trace um plano para quitar as dívidas

Outro fator importante para ter uma vida financeira saudável e equilibrada é se livrar das dívidas. Para isso, é preciso estruturar o seu planejamento financeiro e listar todas as suas dívidas, a fim de visualizar uma maneira de quitá-las o quanto antes.

Dessa forma, é preciso tentar renegociar todas as despesas possíveis, consultando as melhores opções de acordos ou empréstimos para reduzir as suas taxas e tentar quitar o máximo possível de parcelas.

Isso porque antes de tentar começar a poupar para abrir o próprio negócio de gestão financeira startup, é imprescindível que as suas pendências financeiras estejam resolvidas, pois irá evitar que os juros aumentem e te cause problemas maiores ainda.

  1. Descubra formas de economizar dinheiro

Para descobrir como economizar dinheiro, antes é preciso identificar quais são os vilões do seu orçamento, ou seja, aqueles gastos praticamente invisíveis, que muitas vezes achamos que não fazem diferença no nosso dia a dia.

Isso pode significar aquelas compras que fazemos por impulso em aplicativos de delivery, por exemplo, e que no final do mês, quando somamos, se tornam uma grande quantia significativa a menos na sua conta ou a mais na sua fatura do cartão de crédito.

Por isso, não subestime nenhum valor gasto, por menor que ele seja, pois no fim do mês ele pode somar um montante significativo, e que sem você perceber, pode estar te deixando cada vez mais longe de atingir os seus objetivos.

  1. Estabeleça as suas metas

Quando você estabelece metas, também dá início nos primeiros passos para sair da sua zona de conforto. Mas para que isso ocorra, é preciso que você seja realista e que seus objetivos estejam de acordo com a sua realidade financeira e com aquilo que deseja alcançar.

Por esse motivo, todos os passos anteriores listados até agora são tão importantes. Com uma vida financeira organizada, seu padrão de vida ajustado e as suas dívidas controladas será possível poupar dinheiro e aplicá-lo em metas tangíveis.

Seu planejamento de metas deve ser dividido em planos de curto, médio e longo prazo, assim ficará mais fácil determinar qual será a quantia necessária para poupar e poder realizar cada um dos seus sonhos, como um curso de gestão financeira empresarial.

  1. Poupe e invista o seu dinheiro

Depois de organizar todos os seus objetivos e metas, e estar com eles bem claro em mente, o próximo passo é começar a poupar um pouco todos os meses para que consiga transformar as suas metas em realidade.

Diante disso, é preciso lembrar da importância de ter uma reserva de emergência para que esteja preparado caso aconteça algum imprevisto. Caso você ainda não tenha uma reserva de emergência, essa pode ser uma das metas da sua lista.

Com uma reserva de emergência, é possível ficar tranquilo caso aconteça algum tipo de imprevisto, além de ser uma ótima maneira de começar a investir em alguma aplicação, indo de acordo com as suas metas estabelecidas.

  1. Invista em educação financeira

Investir na sua educação é sempre uma escolha assertiva, ainda mais quando falamos sobre educação financeira. Escolher a administração financeira faculdade pode ser o passo decisivo para que você tenha poder sobre o seu dinheiro e não o contrário.

Quanto mais você entende sobre um assunto, maiores são as chances de tomar as melhores decisões, mantendo o seu planejamento financeiro sob controle e aprendendo melhor como poupar e investir o seu dinheiro.

Mesmo que você tenha uma vida corrida, ainda é possível investir em um curso ead gestão financeira para melhorar seu entendimento sobre o assunto e ainda enriquecer o seu currículo com novos conhecimentos e habilidades.

O papel do planejamento financeiro na vida pessoal

Embora a educação financeira seja algo essencial para a vida de uma pessoa, ela ainda não é tratada com importância nas grades curriculares de escolas e universidades. Ainda hoje, são poucas as pessoas que entendem a importância da organização financeira.

O planejamento e a organização financeira permitem que as pessoas fiquem mais próximas das suas metas e objetivos de vida, além de tornar possível o objetivo de economizar para realizar investimentos e ter uma reserva de emergência para situações de crise.

Já a desorganização e falta de conhecimento financeiro podem comprometer toda a saúde financeira de uma pessoa, fazendo com ela desconheça os próprios gastos e acabe criando dívidas por não saber controlar suas despesas.

Embora poupar pareça uma realidade distante para quem não recebe um salário alto, esse é um tabu que pode ser quebrado através do planejamento financeiro, que é uma ferramenta que está à disposição de todos, independente da renda.

Ou seja, é uma estratégia eficiente para todos que desejam melhorar a sua situação financeira e consumir de forma consciente. Portanto, podemos definir que a organização financeira permite:

  • Gerenciar da melhor forma a sua renda;
  • Compreender e melhorar as suas finanças;
  • Melhorar o bem-estar e a segurança da sua família;
  • Eliminar gastos nocivos dos seus hábitos de consumo.

Por fim, podemos concluir que o planejamento financeiro é a chave do sucesso para evitar que as pessoas fiquem endividadas no fim do mês e para que possam saber como poupar para realizar suas metas e objetivos.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado 

para a veiculação de conteúdos relevantes para empresas, contribuindo com estratégias para o desenvolvimento do negócio.

A indústria de brinquedos adultos da Índia está se tornando uma potência

No despertar da pandemia, bloqueio nacional, êxodo de trabalhadores e uma economia em espiral, o primeiro-ministro Narendra Modi escolheu rotular a atual crise multifacetada como uma oportunidade. 

Tomando o apelo por uma Índia autossuficiente, literalmente, a indústria de produtos de sex shop online da Índia optou por realmente se tornar ‘vocal local’ ao anunciar uma nova linha de brinquedos sexuais ‘Made in Índia’. 

Como podem a direita e os conservadores reagir a esta notícia sobre um empresário indiano, que tecnicamente está apenas seguindo os desejos? Dada a situação em que estão presos, sua reação será digna de uma novela.

Thatspersonal, IMBesharam, Lovetreats, ItspleaZure, Shycart, Privy Pleasures e Kinkpin são líderes na indústria indiana de brinquedos sexuais. No entanto, a maioria dos brinquedos sexuais da Índia é importada – grande parte dos quais são fabricados na China, que responde por quase 70 por cento de todos os brinquedos sexuais fabricados no mundo, de acordo com um relatório do Mint.

Os conservadores da Índia, devem estar realmente em um nó. Devemos começar a fazer nossos próprios brinquedos sexuais porque possuir qualquer coisa parcialmente chinesa na atmosfera política de hoje é tão perigoso quanto ter carne na geladeira?

Ou deveríamos viver em negação sobre o tamanho crescente da indústria de brinquedos sexuais da Índia como; preservativos, vibradores anao de borracha sex shop. O bloqueio da pandemia não foi um impedimento, as consultas para esses produtos estavam em um ponto mais alto durante esse tempo.

A não tão nova indústria de brinquedos sexuais da Índia

Estima-se que a indústria de bem-estar sexual da Índia cresça até 2025. Em 2018, seu tamanho de mercado era de US $227,8 milhões, em comparação com os US $22 bilhões globais

No entanto, a indústria sofre com a escassez de financiamento, apesar dá “ dinâmica como crescimento de 100% ano a ano e margens operacionais de mais de 35%”, de acordo com um relatório da YourStory. A indústria pode ser altamente lucrativa, mas será que a Índia chegará a um ponto em que os brinquedos sexuais não sejam vistos como a reencarnação do diabo?

A Índia é à terra de Kamasutra e isso mostra que sua população está crescendo mais rápido do que a da China. Do lado de fora, pode parecer uma sociedade que coloca valores conservadores e noções de pureza em um pedestal, mas uma vez que as portas se fecham e as luzes se apagam, é um jogo totalmente diferente.

Em geral, seria de se esperar que as grandes cidades metropolitanas da Índia fossem aquelas com a participação majoritária em brinquedos sexuais. Mas aqui está um choque para Sharma ji – a divisão dos negócios de um tal empreendimento, That Personal, é de 48 por cento para cidades de nível I, 40 por cento para cidades de nível II e 12 por cento para cidades de nível III.

Da mesma forma, o empreendimento da Armani viu 37 por cento dos pedidos vieram de cidades não metropolitanas / nível I, respondendo por 46 por cento de suas receitas. Isso não é tudo, os pedidos de cidades de nível II e nível III geralmente têm um tamanho de tíquete maior – “quantidade de dinheiro que cada comprador gasta por visita [ao local]” – de acordo com a Índia Today.

Quem está comprando brinquedos sexuais?

Inicialmente, o mercado era fortemente dominado por clientes homens – pesquisas registravam homens respondendo por 75% do tráfego e quase 85-90% das transações, mas as marés estão mudando. Um aumento na demanda de mulheres está fazendo com que a proporção lentamente se aproxime de 50:50.

Outro fato interessante é que muitos homens estão comprando brinquedos sexuais para mulheres. Embora esse não seja o caso em cidades de nível I e ​​nível II, é verdade para cidades de nível III e IV – os clientes dessas cidades têm carrinhos três vezes maiores do que os das grandes cidades.

Mas tabus culturais e investidores hesitantes não são os únicos problemas que a indústria indiana de brinquedos para adultos enfrenta. Leis arcaicas, como a Seção 292 do Código Penal indiano, que fala sobre obscenidade, ainda estão em vigor e representam mais um obstáculo. Embora não seja totalmente ilegal vender brinquedos para adultos na Índia, é tudo uma questão de jogo de palavras.

Embora a IMBesharam venda uma variedade de brinquedos para adultos, desde plugs anal, dildos e vibradores, eles estrategicamente escolheram se descrever como um “balcão único em todo o mundo para navegar, comprar e experimentar um estilo de vida bonito e arrojado”.

Apesar dos inúmeros obstáculos legais e logísticos que o setor pode enfrentar, a resposta e a demanda dos indianos falam por si. 

Como funciona o minha casa minha vida

O sonho de comprar a casa própria e sair do aluguel é um dos maiores sonhos de todos os brasileiros e graças ao minha casa minha vida esse sonho está se tornando cada vez mais fácil de ser realizado por todos os brasileiros de todas as classes sociais. Mas assim como é sério o fato de comprar uma casa, minha casa minha vida também é um procedimento que merece muita atenção e precisa ser feito com muito cuidado e com a ajuda de um corretor profissional para te auxiliar com toda a documentação. Mas depois dessas observações precisamos saber como funciona o minha casa, minha vida e como ele pode te ajudar a comprar a sua casa própria.

Programa Social

Para começar o assunto devemos entender que o minha casa minha vida é um programa social desenvolvido pelo governo para ajudar as pessoas a comprarem o seu primeiro imóvel, esse programa paga até por 90% do valor do imóvel e divide o restante do valor em parcelas muito pequenas, facilitando assim o pagamento para o futuro comprador.

A partir de agora vamos aprender um pouco mais sobre como funciona o minha casa, minha vida e quais os procedimentos que  o futuro comprador deve seguir para conseguir ter acesso ao financiamento e aos descontos. O primeiro procedimento que deve ser feito é fazer a análise da sua renda familiar, isso torna-se necessário pois o tipo de ajuda que o governo vai disponibilizar depende do tamanho da sua renda familiar. 

Tipos de Renda

O governo vai fornecer diferentes tipos de ajuda para diferentes tipos de classes sociais e ele faz essa divisão de acordo com a renda familiar do futuro ou dos futuros compradores. A divisão atual está dessa forma:

  • Renda de até 1800 reais: A primeira e mais básica das modalidades diz respeito às famílias que possuem renda mensal total de até 1800 reais. Nessa janela o governo paga 90% do valor total do imóvel deixando somente 10% do valor para ser pago pelo comprador do imóvel.As parcelas do imóvel não podem exceder 10% do valor do salário mínimo e o financiamento deve possuir como prazo máximo 120 meses ou 10 anos.
  • Renda de 1800 até 2600 reais: A segunda modalidade que o programa do governo oferece é uma janela que está mais disponível para famílias de classe média baixa e os incentivos são proporcionais às possibilidades financeiras da família. Nessa modalidade o governo apenas ajuda o futuro comprador a pagar a entrada no imóvel, entrada essa que tem o seu limite estabelecido em 47,5 mil reais. Esse limite foi estabelecido pois imóveis que possuem esse valor de entrada são imóveis considerados de classe média. Além disso, o comprador vai receber a oportunidade de pagar o valor do imóvel em até 30 anos ou 360 meses.
  • Renda de 2600 até 4000 reais: Nessa terceira modalidade o comprador que possui a renda familiar dentro da janela informada vai receber grande parte dos incentivos citados na janela anterior, tais como ajuda a pagar a entrada do imóvel e também vai receber a oportunidade de pagar o imóvel em 30 anos porém nessa modalidade o futuro comprador poderá escolher entre imóveis prontos e imóveis na planta. Essa oportunidade é oferecida pois as famílias que possuem esse valor de renda familiar já podem se permitir escolher imóveis que possuem um maior valor e que são avaliados como imóveis para o público da classe média alta, mesmo eles estando na fase de construção do minha casa minha vida vai ajudar essas famílias a comprar o imóvel.
  • Renda de 4000 a 7000 reais: Nessa modalidade o comprador recebe menos incentivos quando comparado às outras anteriores, haja visto a elevada renda mensal que a família declarou. Na prática essa modalidade do minha casa minha vida somente vai fornecer aos futuros compradores 2 facilidades, a primeira delas diz respeito a um subsídio que o governo vai fornecer, esse subsídio tem seu valor máximo estipulado em 29 mil reais. A segunda facilidade que essa modalidade oferece é as taxas de juros diminuída para o financiamento, essa taxa que será praticada é de no máximo 7% ao ano e no mínimo 5,5%.
  • Renda acima de 7000 reais: Para famílias que possuem uma renda familiar que excede o valor de 7000 reais o minha casa minha vida não é aceito e consequentemente a análise de crédito não é aprovada. Isso ocorre pois o governo entende que uma família que possui uma renda familiar dessa magnitude possui condições de entrar em um financiamento de imóvel normal, com taxas e prazos normais. Por exemplo, se resolver financiar uma das das casa do condomínio Aphaville.

Depois de passarmos pela fase de análise de renda familiar o comprador precisa atentar-se ao valor total do imóvel, essa necessidade acontece pois dependendo da localização do imóvel e também do tamanho da cidade o valor máximo do imóvel vai mudar. Por exemplo um imóvel que está localizado na região metropolitana de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal o programa impõe uma limitação o valor do imóvel não deve exceder 225 mil reais. Seguindo na mesma explicação a limitação de valor que o programa do governo impõem para imóveis localizados na região metropolitana de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo é de 200 mil reais.

Passada a etapa de análise de valores de renda financeira e também do valor do imóvel chegamos na etapa final que é a preparação da documentação necessária para completar o cadastro do financiamento junto ao programa do governo, para essa etapa a nossa dica é que os futuros compradores consultem um corretor profissional e especializado na área em questão. Essa nossa dica está fundamentada na capacidade que o corretor local possui de saber todos os procedimentos e documentos que devem ser entregues para completar o cadastro. Sem a ajuda de um corretor o futuro comprador pode perder-se no meio de tanta papelada e tanta burocracia que precisa ser respeitada.

Compra e venda imóvel, o que devemos saber?

No mercado imobiliário brasileiro o fato de comprar e vender um imóvel vem sempre acompanhado de uma série de procedimentos que devem ser seguidos por todos os envolvidos, do vendedor, passando pelos intermediários e chegando até o comprador todos precisam seguir uma série de procedimentos que se feitos de maneira correta vão deixar essa operação o mais fácil e tranquila possível. Portanto com a intenção de definir os papéis de cada um e tornar menos complicado todo esse processo vamos fornecer muitas dicas sobre como comprar e vender um imóvel?

Por exemplo, como se compra ou vende as casas à venda no Condomínio Malibu Para começar a adentrar no assunto nós precisamos entender que existem muitas dúvidas que contornam esse assunto e hoje vamos tratar de algumas delas. Começando por partes temos que abordar o assunto de maneira correta, analisando desde a primeira conversa com o corretor, passando pela definição das formas de pagamento e culminando na amortização do valor total do imóvel. Como vimos o corretor é parte essencial desse processo e situa-se no começo de tudo, mas qual é a sua importância? 

Devo contratar um corretor?

Essa é uma das primeiras e maiores dúvidas de todas as pessoas que estão nessa posição de compra ou venda de imóveis e além disso é uma pergunta muito justa que vamos elucidar agora. Geralmente os imóveis estão vinculados à algumas empresas ou agências que estão responsáveis pela propaganda e venda dos mesmos e nesse caso o corretor vai fazer um papel importantíssimo de, com base nas especificações que você fornecer, te mostrar todas as vantagens e desvantagens de todos os imóveis e ainda fazer comparativos entre eles. Por exemplo, quando for comprar um apartamento no residencial Parque Sustentável da Gávea Mozak é importante ter um corretor experiente ao seu lado.

Além disso o corretor é um profissional que possui o conhecimento necessário para tratar de todas as burocracias e documentações necessárias para tornar o caminho de compra e venda de um imóvel o mais tranquilo e calmo possível, porém esse mesmo caminho pode tornar-se muito obscuro sem a presença do corretor. A falta desse profissional ou de qualquer intermediário ou empresa deixa a negociação muito mais sombria e perigosa, fazendo com que ambas as partes tenham como garantia basicamente a palavra um do outro.

Portanto, a primeira dica que vamos fornecer nesse texto é, se você pretende comprar ou vender um imóvel com segurança, calma e principalmente com sucesso é altamente recomendável a presença desse profissional nessa negociação.

Depois que passamos pela primeira parte nos deparamos com a segunda, a parte mais importante de toda a negociação, a parte onde todas as variáveis são definidas e também onde tudo fica acordado entre os atores envolvidos, estamos falando do contrato de compra e venda. Mas o que é o contrato de compra e venda?

O que é um contrato de compra e venda?

O contrato de compra e venda de um bem imóvel funciona basicamente como qualquer outro tipo de contrato firmado entre duas partes, nesse caso fica acertado através da assinatura deste contrato que o vendedor vai transferir o imóvel assim que o comprador pagar pela totalidade do mesmo. Porém para fazer isso da maneira correta no contrato devem constar várias informações de ambos os envolvidos para torná-lo mais transparente. Com isso chegamos em um ponto crucial, o que deve constar no contrato?

O que deve constar no contrato do imóvel?

Como comentamos anteriormente o contrato precisa de uma quantidade de dados de ambos os interessados para tornar-se confiável e possuir importância legal, abaixo podemos encontrar uma lista com os dados que devem constar no contrato: 

  • Nomes (interessados);
  • Nacionalidade (interessados);
  • Estado civil (interessados);
  • Profissão(interessados);
  •  Identificação (CPF ou RG dos interessados);
  •  Endereço (Imóvel);
  • localização (Imóvel);
  •  Número e data do registro (Imóvel);
  • Descrição sumária (Imóvel); 
  • Dimensões (Imóvel);
  • Características especiais (Imóvel);
  • Preço total (Imóvel);
  •  Valor do sinal ou entrada (Imóvel);
  •  Condições de pagamento do saldo (Imóvel).

Como é possível ver na lista acima vários detalhes da negociação de pagamento do imóvel também vai estar no contrato e nesse caso juros vão incidir sobre essa negociação, nessa situação os juros que serão cobrados e também a correção monetária utilizada devem estar descritos de forma minuciosa no contrato.

Agora que entramos na questão de valores chegamos em uma outra parte muito importante quando o assunto é comprar ou vender imóveis, como fazer com que o imposto de renda entenda que agora você vendeu ou comprou um novo imóvel? Como declarar compra e venda de imóveis?

Como declarar compra e venda de imóveis?

Como todos nós brasileiros sabemos o imposto de renda incide sobre todas as transações financeiras que acontecem na sua vida e você deve sempre prestar contas dos seus gastos anualmente, com fiscalização da Receita Federal. Enfim, como isso se encaixa no cenário de comprar e venda de imóveis? vamos entender essa situação um pouco melhor. 

Primeiramente devemos entender que todos os imóveis que possuem o valor atual de mercado acima de 300 mil reais devem ser declarados no ato de enviar o imposto de renda mas até nesse momento o dono não deve se preocupar com taxas extras por possuir esse imóvel, essas preocupações aparecem na hora que o dono resolve vender o imóvel e com isso consegue lucrar qualquer quantia.

Quando essa situação acontece, o vendedor do imóvel entra no Programa de Ganhos de Capital. Esse programa que é muito conhecido pela sua sigla GCAP auxilia as pessoas físicas que realizaram a venda de um imóvel no período que deve ser declarado e conseguiram de alguma forma obter lucro com essa operação financeira. O programa vai automaticamente gerar o valor que deve ser pago pelo contribuinte a fim de quitar a sua dívida, geralmente esse valor é de 15% do valor total do lucro que o vendedor obteve.

Dessa forma encerramos esse texto valioso com várias dicas sobre como comprar e vender imóveis e como facilitar a vida de todas as pessoas que se encontram nessa situação. Se a sua dúvida não foi contemplada nesse texto não se desespere pois vários outros textos como esse estão a caminho para te salvar. Muito obrigado a todos e salientamos que sempre que precisar estaremos aqui para sanar todas as suas dúvidas futuras, aguardamos o seu contato.

Vantagens do planejamento Sucessório na Empresa Familiar

As vantagens do planejamento sucessório não são conclusivas. Logicamente, realizá-lo de maneira planejada envolve uma série de riscos e custos, embora os especialistas concordem que eles claramente os superam. 

Dessa forma, embora implique gastos, um esforço excessivo e até mesmo uma certa tensão por antecipação de problemas, planejar a sucessão na empresa familiar é fundamental para garantir sua sobrevivência. 

A sucessão planejada será realmente vantajosa – para a família, para a empresa e também para o empregador – se o processo for iniciado com antecedência suficiente.

De fato, é necessário um plano de sucessão sério para identificar e preparar o sucessor para enfrentar as responsabilidades que a gestão acarretará e, se necessário, fazê-lo também com outros cargos gerenciais. 

Assim, a eleição do sucessor com o tempo constitui um auxílio para o sucesso da mudança geracional, ou seja, para a  própria sobrevivência da empresa, pois a sucessão se dará da mesma forma, mas será sempre melhor se é feito de forma inteligente e equilibrada, contando sempre com a família e a empresa. 

A sucessão é um momento críticoe, de fato, uma minoria de empresas sobrevive à segunda geração (30-45%), e apenas 10%-15% delas sobrevivem à terceira. Ou, o que dá no mesmo, de cada 20 empresas, apenas 3 sobrevivem aos netos. Mas não há razão para se resignar a isso. Segundo especialistas, além de estabelecer boas práticas de governança corporativa, deve-se realizar um plano de sucessão eficaz , embora poucas empresas o possuam.

O custo da improvisação

Uma sucessão improvisada tem custos muito maiores do que os envolvidos no planejamento. Na pior das hipóteses, não ter feito um planejamento a tempo pode comprometer a própria sobrevivência da empresa. De acordo com os números, o desaparecimento da empresa que não planejou é uma consequência muito comum. 

Tendo em conta que o processo sucessório ocorre a longo prazo , não o fazer significa ter de tomar decisões erradas e aumentar a margem de erro. Uma incerteza que em muitos casos precipita eventos, numa espécie de efeito dominó isso deixaria a empresa sem seus melhores recursos humanos, tanto porque o empregador abandonou o navio quanto porque o pessoal mais qualificado também poderia fazê-lo.

As vantagens do planejamento

Dos principais benefícios que obtemos ao planejar a sucessão, como a escolha do sucessor e sua preparação para auxiliar a continuidade da empresa, derivam muitas outras vantagens, como:

  • O empreendedor pode desenhar seu plano de sucessão e ver o resultado.
  • Se houver erros, é possível fazer outro curso antes que seja tarde demais.
  • Tanto uma mudança de propriedade quanto uma possível venda podem ser realizadas.
  • Um plano consensual permite minimizar os conflitos no âmbito familiar e empresarial.
  • As decisões são tomadas à distância, com a necessária racionalidade.
  • Existe um período de adaptação do sucessor que facilita a sua aceitação.

O empregador recebe uma aposentadoria mais do que merecida com a tranquilidade necessária.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Page 1 of 6

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén