AAJ - Associação de Ajuda a Jovens

Autor: Francis Woods Page 1 of 35

O WhatsApp em breve permitirá que você compartilhe imagens em melhor qualidade

Em breve você poderá escolher comprimir suas imagens ou enviá-las com a máxima qualidade.

Compartilhar imagens em aplicativos de mensagens quase sempre significa sacrificar a qualidade. A menos que você compartilhe essa imagem como um arquivo, o destinatário corre o risco de perder pixels.

Para resolver esse problema, o WhatsApp pode em breve introduzir um recurso que permitirá que os usuários decidam se o aplicativo deve comprimir as imagens ou enviá-las em qualidade máxima.

De acordo com o Zap GB, o WhatsApp adicionará configurações de qualidade para o upload de fotos em uma futura versão beta no Android. O recurso permitirá que os usuários escolham se enviam as imagens no modo Melhor Qualidade ou Salvamento de Dados.

Este último garantirá a compressão para salvar dados em planos móveis ou reduzir o tempo de envio em redes mais lentas. Por outro lado, o modo de melhor qualidade garantirá que as imagens enviadas retenham todos os seus dados.

Esta é uma adição modesta, mas bem-vinda ao aplicativo de bate-papo. Atualmente, se os usuários não querem que suas imagens sejam compactadas, eles devem enviá-las como documentos.

Com a opção Melhor Qualidade, os usuários podem excluir esta etapa. Neste modo, todas as fotos – mesmo as enviadas do menu da Galeria do WhatsApp – serão enviadas sem serem compactadas.

Ainda não se sabe se os usuários podem alternar entre essas configurações para cada imagem. O WhatsApp também não explica em detalhes o que faz a opção “Auto (recomendado).”

O Zap GB observa que esse recurso está em desenvolvimento e aparecerá em uma futura versão beta. O WhatsApp também está trabalhando em configurações semelhantes para vídeo, então espere que ambos estreem simultaneamente.

7 Motivos para você parar de investir na poupança

A poupança é um dos investimentos mais populares do nosso país. Por esta razão, observamos um grande número de pessoas concentrando suas economias nesta modalidade de “investimento”. Mas será que a poupança realmente é bom instrumento para conservar seu patrimônio e enriquecer?

Parece que não…

A conta poupança, além de não ter rentabilidade, tem suas pequenas taxas, que consomem tudo o que acaba rendendo. Transferência via Ted, extratos e outros serviços podem acabar drenando o pouco rendimento que você vai obter nessa modalidade.

Neste post, você vai conhecer 7 motivos para abandonar de vez a poupança. Além disso, te mostraremos opções de investimentos para substituir a poupança com muito mais eficiência. Continue lendo o post abaixo.

#1. BAIXO RENDIMENTO

Este é o primeiro motivo para você largar a poupança. Os juros são muitos baixos, o que leva a uma rentabilidade insatisfatória. É possível encontrar investimentos conservadores que superam com certa facilidade os rendimentos da caderneta de poupança. Vamos analisar essas opções mais à frente. 

#2. O RISCO NÃO É NULO COMO MUITOS PENSAM

Este é um dos principais motivos que levam as pessoas a optarem pela poupança. Contudo, o que muitos não sabem é que a poupança, como qualquer outro investimento, não é isenta de riscos. Se a instituição escolhida para o investimento tiver problemas financeiros, você vai ter problemas para receber o dinheiro. Por isso, se for para assumir certo risco, que seja com um investimento que traga uma rentabilidade maior.

#3. DIVERSIFICAR É A MELHOR OPÇÃO

Toda pessoa que investe deve ter em mente que a diversificação é uma forma inteligente de ganhar dinheiro. Abaixo, apresentamos algumas modalidades de investimentos que podem ser utilizadas para gerar diversificação.

– LCI (Letras de credito imobiliário):

São títulos emitidos por instituições bancárias com lastro no mercado imobiliário. As LCIs possuem ótima rentabilidade nos dias atuais e proteção do Fundo Garantidor de Credito (até R$250.000,00). É importante destacar que não há incidência de imposto de renda sobre este tipo de investimento.

– CDB (Certificados de depósito bancário):

São títulos emitidos por bancos para captar recursos de investidores. Ao contrário das LCIs, este investimento sofre incidência de Imposto de Renda. Entretanto, mesmo sem a isenção fiscal, é possível encontrar CDBs com ótimas rentabilidades.

– LFT (Letras financeiras de tesouro):

São títulos emitidos pelo governo federal, que podem ser adquiridos pelo programa do Tesouro Direto. Os riscos são bem menores do que os demais investimentos, pois o credor destes papéis é o próprio governo.

#4. REMUNERAÇÃO MENSAL

remuneração da poupança é feita mensalmente, ou seja, a valorização dos juros acontece somente na data que o depósito foi realizado. Por esta razão, se você sacar a quantia antes do “aniversário” da sua aplicação, a remuneração desse período será perdida.

#5. A alta dos juros prejudica a poupança

 No momento atual do país, a poupança não é um bom investimento, mas se a inflação subir mais, pode piorar essa situação. Com o aumento dos valores de serviços e produtos, além da baixa rentabilidade da caderneta, seu dinheiro pode perder o poder de compra em pouco tempo.

#6. INVESTIMENTO RUIM PARA CAPITAL DE GIRO

Como foi dito em outro tópico anterior, a rentabilidade da poupança é concluída nas datas de “aniversário” do investimento. Por isso, prefira CDBs de liquidez diária e também fundos DI, que mesmo com a cobrança do IR e também IOF (no primeiro mês), são opções melhores para resgatar o dinheiro dentro do mês.

#7. LCI E LCA TAMBÉM SÃO ISENTOS DE IR

Para àquelas pessoas que ainda acham que a poupança é boa porque é isenta do Imposto de Renda, é importante saber que as LCIs e LCAs também são. Além disso, oferecem rentabilidade maior com praticamente o mesmo risco da caderneta.

Acreditamos que este post tenha sido útil para te mostrar que a poupança é uma péssima opção para preservar seu patrimônio e gerar valor. Sendo assim, sugerimos que você reveja seus investimentos e procure ajuda especializada para substituir a poupança por aplicações mais rentáveis.

Caso tenha gostado desse artigo, marque um amigo aqui, garanto que essas dicas valiosas serão ótimas para ele também!

Como escolher seus sapatos – Aprenda agora mesmo

O mercado oferece inúmeras possibilidades e modelos; mas o que você sempre tem que estar claro é para que você vai usá-los

Comprar um calçado não é apenas ir à loja e escolher o que mais gostamos. Não é a mesma coisa usar tênis de corrida do que para completar um look bacana. Nem é a mesma coisa correr na rua do que correr na areia ou em solo fofo. O propósito do calçado é o que vai determinar, quase inteiramente, a escolha que vamos fazer. Aqui estão algumas recomendações para escolher o mais adequado de acordo com suas necessidades.

Confira agora o incrível Tênis Air Jordan 1 – Conforto e Qualidade em um só tênis

Se você está procurando tênis de corrida

Para correr, uma das coisas mais importantes que você precisa saber são suas características físicas. Dependendo do peso, você pode precisar de sapatos mais estáveis ​​ou com amortecimento mais macio. Seu histórico de lesões também é significativo e precisa de atenção. “Ao escolher um calçado mais leve não correremos mais rápido, é um mito que devemos quebrar”, enfatiza Coco Suárez, Treinadora-Chefe da Corrida da Nike. Da mesma forma, para cada lesão existem características específicas que determinados modelos possuem e que, embora não resolvam o problema na sua totalidade, contribuirão para amenizá-lo em maior ou menor grau.

Você também deve saber como é o arco de seu pé: pessoas com um arco grande não devem usar sapatos de arco baixo e vice-versa. O tipo de piso também determina o sucesso da eleição. “É fundamental fazer um teste de pegada para escolher o melhor calçado. Da mesma forma, você tem que levar em consideração o caimento do cabedal, a tecnologia da sola intermédia e se tem algum elemento de apoio ao pé para maior estabilidade ”, esclarece Cecilia Branchesi, da Adidas Running.

Mas como você sabe qual é o seu tipo de pegada?

Eles são classificados em três: pronador, neutro ou supinador. A primeira tem a ver com o mecanismo natural do pé de amortecimento e impulso, mas sem causar desconforto, 60% das pessoas pertencem a esse grupo. A segunda é quando o giro do pé está dentro dos parâmetros de normalidade que, a priori, não apresentam riscos aos ligamentos e músculos, pois não os sobrecarregam e representam 35%. Estas últimas são as mais improváveis ​​(4,5%) e apresentam um arco alto e muito rígido.

É igualmente importante saber que existem algumas diferenças entre um tênis de treinamento e um tênis de corrida. No primeiro, busca-se amortecimento e, no segundo, estabilidade. “O calçado recomendado para desportos de alta intensidade é um calçado leve que absorve os impactos, explica Lu López, especialista da Nike Training, e acrescenta: em geral, o equipamento permite-nos otimizar a nossa performance e obter uma melhor performance”.

Existem também outras características físicas que podem ser levadas em consideração: a largura do pé, por exemplo. Algumas marcas de calçados vendem a largura por último devido ao excesso de largura do pé ou o contrário.

Além disso, não devemos esquecer que é sempre necessário deixar o espaço de um dedo entre o dedo do pé mais comprido e o dedo do pé do sapato. Porque o pé incha ao correr até 7% e, se esfregar os dedos no dedo do pé, o aparecimento de bolhas e unhas pretas é questão de tempo.

“Se você vai correr na cidade, tem que usar calçado urbano. Para o crossfit ou outro treinamento indoor, você não precisa usar tênis de corrida, mas calçado especialmente desenhado para cada atividade ”, finaliza Carolina Goodacre, da Reebok.

Se você está procurando tênis para todos os dias

Se precisa de calçado para usar todos os dias, o melhor é escolher o calçado mais confortável e adequado para si. Gabriela Castillo, do The North Face Argentina conta uma informação muito valiosa: “Os sapatos têm que ser confortáveis ​​desde o início. Eles não amolecem com o uso, como muitas vezes se pensa ”.

Atualmente os tênis são os protagonistas dos looks e um básico em qualquer armário. Por meio deles expressamos tudo o que sentimos e somos. Não são mais calçados exclusivos para a academia e combiná-los com um look casual não é mais uma loucura ou algo considerado fora do comum.

Confira outros conteúdos em nosso site. Se você gostou desse artigo, nos mande sugestão aqui nos comentários.

Por que estudar inglês para viajar?

Imagine que lhe ofereceram o emprego dos seus sonhos em um país de língua inglesa, então você precisa preencher a papelada e planejar uma mudança. Você determina que seu nível no idioma é bom, mas precisa fazer um curso para estudar inglês e aprimorá-lo, pois além de ser um requisito para a obtenção da residência, você entende que precisa estar preparado para essa nova experiência.

É importante gerar bases sólidas do idioma para obter um bom desempenho no trabalho, seja quando você viaja para o exterior ou se quer se mudar para um país de língua inglesa.

Estudar inglês online ou assistir a aulas intensivas é um excelente investimento de tempo. Acima de tudo, ele considera que é diferente passar algumas horas por dia estudando inglês, em comparação a estar cercado por ele todos os dias. Aqui estão alguns pontos importantes para você considerar um curso de preparação no idioma e aproveitar ao máximo sua nova experiência.

Veja também – Curso de inglês em Curitiba

Um ambiente diferente

Estar rodeado por uma língua diferente da sua língua nativa exige que você tenha um excelente domínio da língua local, desde comprar uma garrafa de água, pedir algo para comer em um restaurante, frequentar a universidade, apresentar um relatório ao seu chefe, etc.

Tudo será diferente para que você possa testar os conhecimentos que adquiriu ao longo da sua vida, ou durante o seu curso preparatório de inglês. Pense duas vezes se quiser se preocupar em não ser capaz de se comunicar e não saber como fazê-lo ou apenas aproveitar o novo ambiente.

Pratique disfarçado de todos os dias

Quando as pessoas ao seu redor se comunicam e você não conhece o idioma, a necessidade de se entender e se expressar com elas é ativada em sua mente. Esta situação é semelhante a quando você era criança e aprendeu a falar.

A mudança de ambiente obriga você a fazer um esforço para comunicar corretamente o idioma local, ou seja, o inglês aplicado em tempo real. Por isso, recomendamos que você faça um curso e obtenha a certificação correspondente, para evitar detalhes em sua viagem.

Aumente o seu CV

Colocar em seu currículo que você tem um certificado e é fluente na língua inglesa, parece atraente para futuros alunos ou projetos profissionais. O mais importante é que mostra que sua mente tem a capacidade de estar em um ambiente imerso na linguagem.
Com o curso adequado você irá se desenvolver em qualquer situação, seja uma reunião de negócios ou expondo um projeto internacionalmente.

Um mundo de possibilidades

Estudar inglês abre as portas para universidades internacionais ou para o mundo do trabalho. Além do fato de serem portas com possibilidade de residência em outro país.

Você pode escolher entre uma longa lista de lugares para viajar, pois é a primeira língua mais falada no mundo. Analise os requisitos que você precisa para entrar no país estrangeiro, já que a legislação de cada nação é diferente, da mesma forma serão os pontos que você tem que cumprir para estudar e / ou trabalhar nela.

Conheça uma nova cultura

Escolha o sotaque que deseja adotar e selecione um país onde a cultura seja radical ao seu país de origem, assim você terá muito o que aprender.

Fique curioso sobre a sua gastronomia, visite locais emblemáticos, experimente pratos regionais ou experimente novos hobbies. Cada interação com a cultura do país melhora sua compreensão e expressão do idioma, consequentemente enriquecendo seu vocabulário por meio de experiências inesquecíveis.

Aprenda tecnicismos e regionalismos das variações da língua, típicas da região onde você está. O vocabulário que você adquirir o ajudará a entender conversas com maior contexto.

Aguce a sua audição e tente replicar o sotaque dos falantes nativos, depois disso você terá um melhor entendimento do idioma.

crescer cabelo

Dicas de Crescimento Capilar

Nem todo mundo sabe, mas nossos cabelos, crescem em média 1 cm por mês. Muitos acham que essa taxa de crescimento é muito baixa, mas existe alguns truques, que podem turbinar esse crescimento capilar e muito.

Dicas para o crescimento do cabelo

Com alguns produtos naturais e vitaminas, seus fios terão um crescimento rápido e saudável, e serão alvo de olhares por onde passarem.

Se sentiu interessado (a)? Então venha com a gente, e descubra como essas dicas podem fazer a diferença na sua rotina de cuidados capilares.

Use chá de folha de goiabeira nos cabelos:

Parece balela de vovozinha não é mesmo? Mas estudos científicos recentes indicam, que o chá da folha de goiabeira, pode trazer resultados incríveis para seu cabelo. Os nutrientes presentes na folha, agem nos folículos pilosos do couro cabeludo, deixando os fios que estão em fase de crescimento mais saudáveis e consequentemente mais fortes.

Em uma panela de chá coloque 1 litro de água e algumas folhas de goiaba, deixando ferver por 20 minutos. Depois é só coar e deixar esfriar naturalmente. Use o chá na hora do banho, aplicando diretamente nos fios.

Corte as pontas regularmente:

Nossos cabelos são como uma grande planta. Se você deixar que ela cresça sem qualquer cuidado, como a poda, ela irá crescer de maneira desordenada, e o resultado será uma planta com galhos retorcidos e feios. Com nossos fios é bem parecido, parece loucura, mas para que eles cresçam, é necessário um corte feito de maneira periódica. Não precisa tirar demais se você não quiser, bastam algumas pequenas pontas, para que o resultado aconteça.

Ao ir ao cabeleireiro, mostre a espessura do corte, e não deixe que ele (a) tire mais do que o necessário.

Tome vitaminas de crescimento capilar:

Se tem uma coisa difícil de se fazer, na rotina de pessoas ocupadas, é conseguir consumir as vitaminas necessárias para o funcionamento do corpo.

E com as vitaminas necessárias para os cabelos não é diferente. Nossos cabelos, necessitam de uma série de vitaminas para continuar crescendo de maneira saudável, tais como: vitamina B1, B2, C, B e E. Mas por sorte, existe uma vitamina, com uma fórmula exclusiva não encontrada no mercado, que traz numa única cápsula, todos os nutrientes necessários para o crescimento não só dos cabelos, mas também das unhas.

Vários artistas, que se importam muito com sua aparência, apostaram na BeautVip e não se arrependeram. Por isso, turbine seu crescimento capilar, sem pagar demais, por isso.

Prenda o cabelo, mas não use penteados apertados:

Prender o cabelo, é muito benéfico para o crescimento capilar, já que é exercida uma pressão moderada nos fios, o que pode facilitar seu crescimento. Entretanto, deve-se prestar muita atenção ao fazer isso, já que se você exagerar na pressão, vai acabar danificando seus cabelos e os atrapalhando a ter um crescimento saudável.

Outra dica importante, é diminuir o atrito entre seu cabelo e objetos ásperos, como a travesseiros com fronhas que não são de seda ou de algum material parecido. Por isso, troque o material de suas fronhas se for possível.

Essas foram as dicas capilares de hoje, e caso você esteja interessada em aumentar o crescimento de seus cabelos de forma significativa, procure o Beautvip e se surpreenda com resultados incríveis.

Como escolher um psicólogo para fazer terapia?

Um fenômeno curioso ocorre com os serviços de psicoterapia: embora sejam úteis ou mesmo necessários em um grande número de situações, no nível popular existe um grande desconhecimento de tudo o que envolve esse campo de trabalho.

Todos são mais ou menos claros sobre em que consiste o trabalho dos médicos e o que se pode esperar de uma sessão em seu consultório, mas o conceito de terapia psicológica é muito mais vago e ambíguo para a maioria das pessoas; o fato de não ser uma intervenção baseada em recursos que pode ser vista e tocada, como pílulas ou seringas, cria confusão. E esse desconhecimento também se reflete no processo pelo qual as pessoas procuram um psicólogo que lhes ofereça tratamento.

Para tirar dúvidas e refutar alguns mitos, veremos aqui uma série de dicas e orientações básicas para saber como escolher o psicólogo a quem recorrer nas sessões de psicoterapia.

Agende o seu Tratamento com psicólogo online agora mesmo

Desmascarando mitos: o que é psicoterapia?

Primeiro, vamos ver o que exatamente é “ir ao psicólogo” . A terapia é a intervenção oferecida pelo especialista em saúde mental quando se trata de ajudar seus pacientes a lidar com um distúrbio psicológico ou os sintomas psicológicos derivados de uma doença médica.

Assim, a psicoterapia pertence ao mundo da psicologia clínica e da saúde, o que significa, por exemplo, que um psicólogo escolar que realiza sessões de aconselhamento vocacional para alunos em uma escola não está fazendo terapia, da mesma forma que não está sendo feito por um psicólogo ao treinar trabalhadores de empresas para saber como utilizar exercícios de relaxamento para aliviar o estresse no ambiente de trabalho.

A terapia é sempre personalizada, por isso nunca é um processo unilateral em que o profissional fala e o paciente escuta, nem ( apesar de certos mitos ) em que o paciente fala e o profissional se cala. Além disso, não se baseia em uma única sessão: dura vários dias, durante os quais o psicólogo acompanha a evolução do paciente.

Por outro lado, a terapia baseia-se sempre em programas de intervenção validados cientificamente por anos de investigação, e através dos quais as pessoas são ajudadas a adoptar novos hábitos, novas formas de gerir as emoções, regular os impulsos, relacionar-se, etc.

Como escolher um psicólogo: 6 diretrizes recomendadas

Siga estas dicas para acertar na hora de escolher o profissional que vai oferecer a terapia.

1. Pesquise sites e diretórios

Atualmente, a Internet oferece tantos recursos úteis para encontrar os melhores psicólogos em sua cidade que não é inteiramente razoável desperdiçar esse potencial. Portanto, mesmo que conheçamos um psicoterapeuta cujo nome chegou até nós de boca em boca, é aconselhável pelo menos considerar outras opções para comparar.

Você pode começar fazendo pesquisas rápidas no Google, investigando quais psicólogos atuam em seu bairro ou município, ou pode ir a diretórios de profissionais de saúde mental especialmente concebidos para facilitar esta pesquisa.

2. Selecione apenas aqueles que são especializados em psicoterapia

Lembre-se de que ser psicólogo não significa oferecer serviços de psicoterapia; Esta é apenas uma das especializações nesta área profissional. Portanto, certifique-se de que está escolhendo apenas psicólogos treinados em psicoterapia por meio de programas de estudos pós-universitários. Claro, todos também devem ter um diploma universitário em psicologia, seja um bacharelado ou bacharelado.

3. Verifique se eles estão registrados

Na Espanha, os psicólogos devem ser registrados no Colégio Oficial de Psicólogos se desejam realizar terapia; Trata-se de um mecanismo de controle que serve para regular a profissão e evitar práticas antiéticas e não conformes à lei, como é o caso de outras associações profissionais .

4. Compare o que você precisa com o que é oferecido

Mesmo entre os psicólogos da terapia, há muita variedade. Por exemplo, alguns servem meninos e meninas, e outros não; e muitos se especializam em vícios, outros não, ou em fobias … etc. Existem tantas especializações quantos problemas e necessidades existem no mundo da saúde mental. Por isso, procure certificar-se de que a formação do psicólogo que você vai escolher corresponde ao tipo de problema que você tem, prestando especial atenção aos cursos de mestrado e pós-graduação que ele fez, por exemplo.

5. Certifique-se de não basear seu trabalho na pseudociência

Há certo risco de procurar um psicólogo que pauta seu trabalho em práticas pseudocientíficas, da mesma forma que ocorre na medicina, nutrição e outras ciências aplicadas. Portanto, é aconselhável estar avisado e, antes de ir para a primeira sessão, analisar as informações disponibilizadas pelo psicólogo que estamos avaliando para solicitar ajuda profissional.

Para detectar esses casos, você deve examinar a linguagem que eles usam para descrever os serviços que oferecem. Um psicólogo que trabalhe com base em evidências científicas oferecerá sempre soluções específicas e tratamentos concretos com base em programas de intervenção validados internacionalmente, não desenvolverá “o seu próprio método”. Pelo contrário, quem oferece apenas pseudociência fará referência constante a conceitos não científicos, como a alma, as essências, as “energias” que percorrem o corpo … ou podem até falar de tarô, astrologia, etc.

6. Certifique-se de não considerar a possibilidade de fazer terapia indefinidamente

Programas eficazes de intervenção psicoterapêutica têm um início e um fim claros; eles não são para a vida. Sua razão de ser é a existência de um problema a ser enfrentado; uma vez satisfeita essa necessidade, eles são encerrados e, se o progresso não for alcançado no ritmo adequado, o encaminhamento para outro profissional geralmente é recomendado. Nos casos de doenças crônicas, o acompanhamento é feito a partir de sessões amplamente espaçadas no tempo, com menor regularidade do que o processo terapêutico (que inclui pelo menos uma consulta semanal).

Os limites da impressão 3D na prototipagem rápida

O processo de impressão 3D tem várias vantagens sobre as técnicas tradicionais de prototipagem rápida.  No entanto, o uso dessa tecnologia também tem limites se você quiser fazer um protótipo de uma futura peça de plástico que será produzida por injeção.

Buscando Impressoras 3D? Clique e confira agora mesmo.

Sem limites em termos de formas, mas sem informações sobre a capacidade de fabricação

Uma das principais vantagens da produção 3D é que é possível imaginar todas as formas sem os limites das restrições da indústria de plásticos, como rebaixos, ocos, respeito às espessuras etc. O outro lado dessa vantagem é que a impressão 3D não oferece informações sobre a capacidade de fabricação de peças para produção em série, que estarão sujeitas a estas restrições. Em outras palavras, peças plásticas que podem ser produzidas com impressão 3D não necessariamente poderão ser produzidas por injeção de termoplástico. Com a usinagem CNC ou duplicação a vácuo, embora essas técnicas sejam diferentes de uma injeção em série, as restrições técnicas de produção são mais próximas do que a produção 3D.

Barato, mas nem sempre

Para grandes quantidades (mais de 5 a 10 peças), a produção de aditivos 3D será menos econômica e mais lenta do que a usinagem CNC ou fundição a vácuo devido à falta de economias de escala.

Peças de grandes séries (medindo mais de 200 mm) ou muito pesadas (mais de 500 g) também são barreiras financeiras para a produção de aditivos.

Sem limites visuais, mas limites físicos

Finalmente, a maior desvantagem vem do material usado. Geralmente, é uma resina ABS ou PA usada como substituto do material certo em muitos casos. Isso limita as propriedades físicas da peça. Exemplos incluem:

  • Padrões: a impressão 3D não permite a produção de peças de qualidade alimentar ou peças que atendam aos padrões à prova de fogo, como UL-94 V0
  • Propriedades mecânicas: as propriedades mecânicas, como resistência ao impacto, flexão, etc., serão menos próximas das peças em série.
  • Transparência: A transparência das peças produzidas com 3D é menor do que a usinagem de peças com PMMA.
  • Acabamento: sem retoque manual, as peças impressas em 3D são menos atraentes do que as peças criadas por duplicação a vácuo. Na verdade, as linhas de adição de material são visíveis e a peça é levemente granulada ao toque.

Em conclusão, as vantagens da impressão 3D são também as limitações desta técnica aditiva quando se trata de prototipar uma peça de injeção termoplástica. As propriedades visuais e mecânicas estão menos próximas das peças em série com produção 3D do que com usinagem CNC usando o material certo ou duplicação a vácuo.

Para mais informações sobre as limitações da impressão 3D em comparação com outros  processos de prototipagem rápida , aconselhamos a leitura de nossas notícias sobre o assunto, bem como nossa página de comparação das  técnicas de obtenção de protótipos rápidos .

O que é estenose espinhal? Como tratar?

O que é estenose espinhal?

Você provavelmente já tem uma ideia aproximada do que é uma espinha. Sua coluna vertebral é sua espinha dorsal e permite que você ande sobre duas pernas ao apoiar a parte superior do corpo. “Estenose”, por outro lado, é um termo médico pouco conhecido fora da profissão de saúde. A palavra vem da Grécia antiga e se refere a um estreitamento ou restrição. Portanto, a estenose espinhal se refere ao estreitamento da coluna vertebral.

Se você ou alguém que você conhece tem a condição agora, é altamente provável que você conheça alguém com espinha estreita no futuro, pois se torna mais comum com a idade. Leia mais para obter uma riqueza de informações sobre estenose espinhal. Você aprenderá seus diferentes tipos, suas causas, quem causa impacto e o que você pode fazer a respeito.

Quais são as causas da estenose espinhal?

Ou você nasce com estenose espinhal ou a desenvolve. Cerca de 90% das pessoas com essa condição a desenvolvem como parte do processo natural de envelhecimento. Conforme você envelhece, seus ossos passam naturalmente por um processo de degeneração. Isso é chamado de espondilose.

Esse processo é agravado pela osteoartrite – artrite do osso que é sentida nas articulações. Isso deixa menos espaço entre as vértebras individuais, o que, junto com a perda de massa óssea, pode promover esporões ósseos.

As articulações do corpo começam a crescer para compensar o estresse extra que as costas sofrem por esse processo. Isso deixa ainda menos espaço para as raízes nervosas que fluem pela medula espinhal e descem pela coluna.

Além desses processos, o ligamento amarelo – os ligamentos da coluna – pode crescer, o que pode impactar a coluna vertebral e causar estenose espinhal parcial ou severa.

Quando você envelhece, as almofadas cheias de líquido entre os discos da coluna podem começar a secar e encolher; eles também podem hérnia (protuberância ou ruptura anormal) e comprimir os nervos espinhais e / ou raízes dos nervos espinhais.

A maioria das pessoas adquire estenose espinhal dessas maneiras. Para outros, a causa pode ser uma lesão traumática, que pode ocorrer em qualquer idade. Às vezes, outras condições podem causar a condição, como exposição a excesso de flúor, doença de Paget, tumores na coluna, infecções ou espondilite anquilosante.

Alguns que sofrem dessa condição nasceram com ela. Para alguns, o canal espinhal começa muito estreito desde o momento em que nascem. Isso geralmente acontece quando um jovem é diagnosticado com o transtorno.

Quem pode ter estenose espinhal?

Como a estenose da coluna tende a ser causada pelos efeitos degenerativos do envelhecimento, não é surpresa que quanto mais velha uma pessoa, maior a probabilidade de ela adquirir a doença. As mulheres são mais propensas do que os homens; Em pessoas com idades entre 55 e 80, um grande estudo descobriu que cerca de 1 em cada 4 mulheres apresenta estenose espinhal, em comparação com 1 em cada 10 homens. Como a população de americanos idosos está crescendo, o número de pacientes que buscam alívio para essa condição deve dobrar.

Quais são os sintomas da estenose espinhal?

Quando se trata de estenose espinhal, os sintomas individuais variam de acordo com a gravidade e o tipo da doença. Os sintomas de estenose tendem a aumentar gradualmente à medida que os ossos se degeneram.

Embora os sinais variem um pouco, alguns deles se aplicam se você tiver o transtorno. Discutiremos os dois tipos principais, estenose lombar e cervical, nos próximos dois slides, mas aqui estão seus sintomas:

Estenose lombar

  • Dor na parte inferior das costas
  • Dor, dormência ou fraqueza nas pernas e / ou nádegas
  • Formigamento, dor ou fraqueza em uma ou ambas as pernas. Esse desconforto se torna mais grave depois de caminhar ou ficar em pé por algum tempo. O termo médico para isso é claudicação neurogênica, e é muito comum quando a estenose da coluna lombar é descoberta. Freqüentemente, você descobrirá que inclinar-se para a frente (como em um carrinho de compras) ou sentar-se aliviará esse desconforto.
  • Síndrome de Cauda Equina (perda da função das raízes nervosas lombares do canal vertebral que pode resultar na perda do controle da bexiga e do intestino; é uma emergência médica, embora ocorra com pouca frequência)

Estenose Cervical

  • Desajeitamento nos braços ou mãos. Pode ser difícil amarrar laços, camisas de botão ou blusas, etc.
  • Dor nas mãos
  • Balanceamento de dificuldade
  • Incontinência urinária ou intestinal

Estenose lombar

A maioria das pessoas com estenose espinhal apresenta estreitamento na parte inferior das costas. Isso é chamado de estenose da coluna lombar e geralmente ocorre na base da coluna ou próximo a ela, próximo ao quadril.

Ao longo dessa parte da coluna, a medula espinhal pára, enquanto seus nervos continuam descendo pela coluna. Isso significa que os nervos não têm a proteção da medula espinhal ao longo da área da coluna mais propensa à estenose.

Esses nervos vulneráveis são propensos a serem comprimidos dentro do canal estreito dentro da espinha. Quando isso acontece, os sintomas familiares de estenose lombar são prováveis – dormência e dor nas extremidades inferiores e dor na região lombar que geralmente é aliviada quando a pessoa se senta ou se inclina para frente na cintura.

Estenose Cervical

A estenose cervical envolve uma estenose no pescoço. É menos comum do que estenose na região lombar. As raízes nervosas afetadas são diferentes e, portanto, os sintomas também são diferentes. Deixar cair coisas por causa da perda de coordenação, tropeçar, tropeçar e dormência que desce pelo pescoço são sintomas.

Similaridade com a Síndrome de Caudia Equina

Às vezes, a estenose cervical pode ser confundida com um distúrbio muito mais urgente e potencialmente mortal chamado síndrome dos equinos de Caudia (ver slide 4). Ambos podem causar incontinência (perda de controle do intestino e da bexiga) e fraqueza extrema nas pernas. Portanto, se você tiver algum desses sintomas, a melhor coisa a fazer é procurar tratamento médico de emergência.

Uma alimentação saudável beneficia a sua saúde e retira a sua dor enquanto lhe ajuda a como perder barriga!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Como a osteoporose é tratada e prevenida

Como a osteoporose é tratada e prevenida?

Não há cura atual para a osteoporose. O tratamento da osteoporose envolve interromper a perda óssea adicional e fortalecer os ossos que mostram sinais de fraqueza. A prevenção da osteoporose é fundamental.

Prevenção e tratamento: exercícios

O exercício é importante para ajudar a melhorar a força e o equilíbrio muscular, o que pode diminuir as quedas e outros acidentes. Os exercícios de levantamento de peso também têm o benefício de ajudar a fortalecer os ossos. Consulte seu médico para saber o tipo e a duração do exercício certo para você.

Uma palavra de cautela sobre exercícios

Em pacientes com osteoporose, os exercícios podem causar lesões nos ossos enfraquecidos. É importante discutir com um profissional de saúde os exercícios apropriados para pacientes com osteoporose. Também é importante considerar outros problemas médicos que também podem estar presentes (doenças cardíacas, diabetes, pressão alta) antes de iniciar qualquer programa de exercícios. Alguns tipos de exercícios extremos, como a corrida de maratona, podem não ser recomendados para pacientes com osteoporose.

Prevenção e tratamento: pare de fumar e coibir o álcool

Fumar pode resultar em perda óssea. Em pacientes com osteoporose, isso pode acelerar a progressão da doença. Também diminui os níveis de estrogênio nas mulheres, o que pode levar a uma menopausa precoce e maior perda óssea.

O efeito do álcool e da cafeína na osteoporose não está claro. Para manter a saúde ideal, consuma álcool e cafeína com moderação.

Prevenção e tratamento: suplementos de cálcio

A ingestão de cálcio é importante para ossos fortes e saudáveis. A ingestão adequada de cálcio deve ocorrer mais cedo na vida para ajudar a prevenir a osteopenia e a osteoporose.

A ingestão recomendada de cálcio para todos os adultos e adolescentes do sexo feminino é de 1.000-1.300 mg por dia. Boas fontes de cálcio na dieta incluem laticínios, vegetais (couve, repolho, brócolis, espinafre) e alimentos fortificados (sucos de frutas, leites não lácteos, cereais). Mulheres na pós-menopausa podem precisar de mais cálcio.

Prevenção e tratamento: alimentos enriquecidos com cálcio

A maioria dos americanos não consome quantidade suficiente da dose diária recomendada dos EUA (USRDA) de cálcio. Alguns exemplos de fontes dietéticas de cálcio incluem leite, iogurte, queijo e suco de laranja fortificado.

Prevenção e tratamento: vitamina D

Para absorver adequadamente o cálcio na dieta e manter uma boa saúde óssea, o corpo também precisa de vitamina D para o seguinte:

  • Absorção de cálcio do intestino
  • Previna a osteomalácia, que pode enfraquecer ainda mais os ossos
  • Aumenta a densidade óssea e diminui as fraturas em mulheres na pós-menopausa

O USRDA para vitamina D é de 600 UI (unidades internacionais) por dia para crianças de 1 ano a adultos de 70 anos. Bebês com menos de 1 ano precisam de 400 UI, enquanto adultos de 71 anos ou mais precisam de 800 UI.

Boas fontes de vitamina D incluem luz solar, peixes gordurosos como salmão ou cavala, fígado bovino, gema de ovo, leite ou suco de laranja fortificado com vitamina D, cereais fortificados e fórmulas infantis.

Prevenção e tratamento: terapia hormonal na menopausa

Como o estrogênio pode desempenhar um papel na manutenção da densidade e força óssea em mulheres, muitas mulheres na menopausa com osteoporose recebem terapia hormonal (terapia hormonal da menopausa, anteriormente conhecida como terapia de reposição hormonal ou TRH) para prevenir perda óssea e fraturas.

O estrogênio pode ser prescrito sozinho por via oral (Premarin, Estrace, Estratest) ou como adesivo para a pele (Estraderm, Vivelle), ou junto com a progesterona. A combinação dos dois hormônios pode ajudar a prevenir o câncer uterino que pode resultar do uso de estrogênio sozinho. A terapia hormonal da menopausa pode ter efeitos colaterais, incluindo aumento do risco de ataque cardíaco, derrame, coágulos sanguíneos e câncer de mama, portanto, não é normalmente recomendada para uso a longo prazo. Consulte um médico para obter mais informações sobre a reposição hormonal da menopausa.

Prevenção e tratamento: medicamentos

Existem vários tipos de medicamentos usados para tratar a osteoporose.

1. Medicamentos anti-reabsorção: Esses medicamentos previnem a reabsorção óssea (quebra) e podem ajudar a aumentar a massa óssea. Os exemplos incluem alendronato (Fosamax), risedronato (Actonel), raloxifeno (Evista), ibandronato (Boniva), calcitonina (Calcimar) e zoledronato (Reclast).

2. Terapia hormonal estrogênica na menopausa: pode atuar de forma semelhante às drogas anti-reabsorção, prevenindo a perda óssea e ajudando a aumentar a massa óssea.

3. Moduladores seletivos do receptor de estrogênio (SERMs): Esses medicamentos funcionam como o estrogênio e incluem tamoxifeno e raloxifeno (Evista).

4. Drogas anabolizantes: são as únicas drogas que realmente aumentam a massa óssea. A teriparatida, uma forma de hormônio da paratireoide, é um exemplo desse tipo de medicamento

Prevenção de fraturas de quadril

Os protetores de quadril podem reduzir o risco de fraturas de quadril em pessoas com osteoporose e com risco de quedas. Protetores de quadril são roupas íntimas com finas camadas de espuma ou plástico nos quadris. Hipsaver e Safehip são duas das marcas disponíveis.

Osteoporose em resumo

  • A osteoporose é um distúrbio dos ossos em que os ossos se tornam quebradiços, fracos e facilmente danificados ou quebrados.
  • A massa óssea (densidade óssea) atinge seu pico por volta dos 25 anos, diminui após os 35 anos e diminui mais rapidamente nas mulheres após a menopausa.
  • Os fatores de risco para a osteoporose incluem genética, falta de exercícios, falta de cálcio e vitamina D, tabagismo, consumo excessivo de álcool e histórico familiar de osteoporose.
  • Pacientes com osteoporose podem não apresentar sintomas até que ocorram fraturas ósseas.
  • A osteoporose pode ser diagnosticada por raios-X, mas é mais provável de ser detectada com exames DEXA, que medem a densidade óssea.
  • Os tratamentos para a osteoporose incluem medicamentos prescritos para a osteoporose, parar de fumar e fazer exercícios adequados, cálcio e vitamina D.

Uma alimentação saudável beneficia a saúde de seus ossos enquanto lhe ajuda a como perder barriga.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Esclerose Múltipla: Fazendo uma Casa Amiga da Esclerose Múltipla

Organize seu espaço

Se você tem esclerose múltipla, pode ser mais difícil se mover e se locomover, mesmo em casa. Adultos com EM geralmente sofrem de problemas de mobilidade, equilíbrio prejudicado e outros sintomas que aumentam o risco de quedas e outras lesões.

Ao longo de um período de seis meses, cerca de metade dos adultos de meia-idade e idosos com EM experimentam pelo menos uma queda. Identificar e eliminar perigos potenciais em casa é uma forma de prevenir o risco de quedas e outras lesões.

Um bom ponto de partida é eliminar a desordem. Isso inclui desordem em escrivaninhas, bancadas, mesas e pisos. Revise suas coisas.

O que você realmente precisa manter? O que você pode jogar ou doar? A prevenção de quedas envolve manter as trilhas de caminhada desobstruídas para que você possa caminhar o mais facilmente possível. A desordem no chão é um perigo de tropeço e pode causar quedas. Usar sapatos baixos ou de salto baixo também é uma boa ideia.

Criar Estações de Trabalho

Pessoas que sofrem de esclerose múltipla freqüentemente apresentam fadiga. Isso pode tornar as atividades diárias cansativas, mas com um pouco de planejamento você pode economizar energia. Pense em tudo que você faz em um dia em sua casa.

Você se maquia e arruma de manhã? Você corta vegetais como parte regular da preparação de suas refeições? Você paga contas ou trabalha no computador? Você pode designar um espaço de estação de trabalho para cada atividade que você faz para minimizar a energia necessária para realizar essas tarefas.

Coloque seu secador de cabelo, escovas, pentes e maquiagem em um só lugar para tornar mais fácil se preparar de manhã. Mantenha uma tábua, uma faca e um descascador em uma área designada da cozinha para facilitar a preparação da refeição.

A instalação de postos de trabalho auxilia na prevenção de gastos desnecessários e cansativos de energia. Isso tornará mais fácil fazer as tarefas diárias.

Trabalho na Zona

A esclerose múltipla pode tornar difícil para você alcançar as alturas ou agachar-se. Leve em consideração suas limitações e organize seu espaço de acordo com sua zona de trabalho ideal. Se for difícil ajoelhar-se e tirar potes e frigideiras de um armário no chão, guarde-os na bancada.

Se for difícil alcançar os utensílios que você mantém no alto, coloque-os em um local mais baixo e de fácil acesso. Use carrinhos de armazenamento, ganchos, cestos suspensos e painéis para organizar os itens que você usa com frequência e torná-los mais acessíveis.

Se você estiver em uma cadeira de rodas, sua zona de trabalho ideal começa entre 15 a 16 polegadas do chão e termina a cerca de 51 a 52 polegadas do chão.

Se você estiver em pé, a zona se estende aproximadamente ao nível do joelho até apenas alguns centímetros acima de sua altura. Você deve fazer atividades dentro desta zona segura por razões de segurança para proteger sua saúde. Quando você tem EM, a prevenção de lesões deve ser uma prioridade.

Confie no velcro

As tiras de velcro são muito úteis e têm inúmeras utilizações. Use fitas de velcro para manter fios e cabos elétricos fora do caminho.

Use velcro para proteger blocos de papel e canetas em locais de fácil acesso. Cole o velcro na parte de trás do controle remoto e da mesa de centro para que você nunca mais o perca entre as almofadas do sofá.

Se andar com uma bengala, prenda-a à parede com velcro para que não caia no chão. O velcro vem em uma variedade de formas, tamanhos e cores para atender a todas as suas necessidades.

Portas alargadas

Você usa andador, cadeira de rodas ou scooter? Em caso afirmativo, suas portas precisam ter pelo menos 36 polegadas de largura para portas externas e 32 polegadas de largura para portas internas.

Estão disponíveis dobradiças de porta expansíveis especiais que podem ser suficientes para ajudar a alargar as portas. Outra opção é remover completamente as portas internas e as molduras das portas.

Tire os móveis do caminho e alargue os caminhos para que você possa se mover facilmente pela casa. Ao reorganizar os móveis, certifique-se de fazer isso de forma que você possa acessar os interruptores de luz e termostatos com facilidade.

Modificar o banheiro

O banheiro é uma área onde você pode ter dificuldades se tiver EM. Você pode tornar as coisas mais fáceis fazendo algumas modificações. Instale um assento de vaso sanitário levantado para facilitar o ato de subir e descer do vaso sanitário.

Alguns assentos de sanita elevados têm até apoios de braço para maior estabilidade. Instale barras de apoio em vários locais, como chuveiro, banheira e perto do vaso sanitário para que você tenha algo em que se apoiar para se equilibrar.

As barras de apoio vêm em uma variedade de tamanhos e acabamentos para se adequar a qualquer decoração. Você pode colocar um banco embutido ou dobrável no box do chuveiro ou na banheira para facilitar o banho.

Para prevenção extra de quedas, coloque um tapete antiderrapante na banheira. O sabonete e o shampoo na banheira tornam a superfície escorregadia. Coloque um tapete de banho fora da banheira para minimizar o risco de queda depois de sair da banheira ou do chuveiro.

Adultos com EM devem ter cuidado extra no banheiro. Muitas quedas em casa acontecem no banheiro, mas são evitáveis quando você toma precauções e elimina perigos.

Simplificar a preparação da cozinha

Preparar as refeições pode ser estressante e consumir muita energia quando você tem EM. Você pode tornar as coisas mais fáceis seguindo algumas regras simples.

Use um carrinho com rodinhas para carregar todos os ingredientes de que você precisa para uma refeição antes de começar. Isso elimina idas e vindas entre o balcão, a geladeira e a despensa. Use ferramentas e utensílios que tenham alças de fácil manuseio se você sofrer de fraqueza ou tremores.

Não guarde panelas e frigideiras pesadas muito altas em armários superiores ou muito baixas em armários no chão. Mantenha-os sobre o balcão para que sejam fáceis de alcançar.

Recompor-se

Pode ser difícil agarrar ou girar as maçanetas quando você tem EM. Se for esse o caso, substitua as maçanetas padrão por alças que são alavancas. Como alternativa, você pode colocar os punhos de borracha sobre as maçanetas existentes para abrir e fechar as portas com mais facilidade.

As alças deslizam facilmente para que você possa usá-las quando passar a noite na casa de amigos e parentes ou em hotéis. Existem apertos de borracha semelhantes que podem ser colocados sobre as torneiras de água também.

Alças semelhantes estão disponíveis para facilitar a abertura de frascos de medicamentos. Se você tiver dificuldade para segurar objetos ou realizar atividades, procure a ajuda de um terapeuta ocupacional.

Limpar um caminho

As quedas podem ser mais comuns se você tiver EM. Tome precauções para reduzir o risco de queda seguindo estas dicas de prevenção de queda.

Se possível, opte por pisos lisos e antiderrapantes em casa em vez de carpetes. Livre-se dos tapetes. Se você insiste em manter tapetes, instale tapetes antiderrapantes ou fita adesiva dupla-face para prendê-los ao chão. Proteja os cabos elétricos e do computador fora do caminho.

Faça o mesmo com cordas para cortinas e persianas. Organize as trilhas de caminhada para que você não tropece e caia inadvertidamente, o que pode causar fraturas de quadril e outras lesões relacionadas a quedas.

Pessoas que estão envelhecendo e têm osteoporose podem ter um risco ainda maior de quedas e fraturas. Idosos que sofrem uma fratura correm o risco de ficar imobilidade por longos períodos e de doenças como a pneumonia, que podem ser fatais. Se você tem EM, é importante estar ciente desses riscos. Tenha cuidado e use essas informações para criar um programa de prevenção de quedas.

Ver melhor com alto contraste

MS pode afetar negativamente a sua visão, mas você pode tornar os objetos em seu ambiente mais fáceis de ver usando o poder do contraste.

Basicamente, é mais fácil ver quando há um contraste entre objetos claros e escuros. Use isso a seu favor. Aplique fita colorida ou tinta de cor contrastante nas maçanetas, interruptores de luz e maçanetas do aparelho. Você pode usar este truque para marcar linhas em um copo medidor.

Pique vegetais de cor escura em uma tábua de cor clara, onde você possa vê-los mais facilmente. Ajude a evitar tropeçar nas escadas marcando as bordas com fita adesiva de cor contrastante. Isso ajudará na prevenção de quedas. Problemas de visão são um fator de risco para quedas e outras lesões.

Minimize o brilho e a luz fraca

O brilho intenso e a pouca iluminação são fatores de risco para quedas, lesões e acidentes. Reduza esses riscos minimizando o brilho e garantindo que sua casa tenha iluminação adequada.

Instale luzes noturnas para iluminar caminhos de pedestres e no banheiro para tornar as atividades noturnas mais seguras. Se o brilho da luz solar interferir com a visão, instale persianas ou cortinas transparentes para bloqueá-la.

Ao ler ou realizar tarefas como costura ou outros hobbies que exijam a visão de pequenos detalhes, certifique-se de ter iluminação adequada sobre sua cabeça ou ombro para evitar sombras. Lâmpadas fluorescentes podem causar brilho. Substitua-as por lâmpadas incandescentes.

Firme-se

Problemas de visão e / ou equilíbrio podem ser um problema quando você tem EM e podem torná-lo instável. Nesse caso, estabilize-se ao se mover. Segure-se nos móveis ou na parede, se puder. Instale corrimãos nos corredores e escadas para se segurar.

Em geral, é melhor manter as portas totalmente fechadas ou totalmente abertas para não tentar alcançar uma porta que possa se mover ao segurá-la. Seguir essas diretrizes aumenta a segurança e pode reduzir o risco de queda.

Navegue pelas escadas com mais facilidade

Se você tem EM, pode ser mais difícil subir e descer escadas. Certifique-se de que os corrimãos e o corrimão estejam firmes para que você tenha algo em que se apoiar. Isso ajuda a eliminar o risco de queda. Você também pode considerar a instalação de uma rampa.

Deve ter aproximadamente 30 a 40 polegadas de largura e não deve subir mais de 1 polegada por pé. Certifique-se de que qualquer rampa instalada tenha corrimãos em ambos os lados para maior estabilidade.

Se não for possível instalar uma rampa, considere uma plataforma ou teleférico elétrico. Tanto o Medicare quanto o Medicaid e a maioria das seguradoras de saúde podem ajudar parcialmente com o custo dessas modificações.

Uma alimentação saudável beneficia a sua saúde e ajuda em outras coisas como perder barriga!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Page 1 of 35

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén