AAJ - Associação de Ajuda a Jovens

Categoria: Dicas Gerais Page 1 of 26

4 maneiras pelas quais pequenas empresas se beneficiam de um espaço de coworking

De muitas maneiras, os espaços de coworking com endereço fiscal para Campinas ou outras cidades pelo Brasil, foram projetados com pequenas empresas e freelancers em mente. Nos estágios iniciais de um negócio, amenidades acessíveis e flexíveis são essenciais para a produtividade. Os recursos são enxutos quando se trata de pequenas empresas.

Um espaço de coworking é uma área de trabalho compartilhada de estilo profissional, onde você pode alugar um espaço por um determinado preço.

Quais são os benefícios de trabalhar em um espaço de coworking?

Sua pequena empresa pode se beneficiar de um espaço de coworking. Não só pode ajudar a aumentar a criatividade de seus funcionários, mas pode ampliar as oportunidades de negócios.

Se você está considerando um espaço de coworking, continue lendo para conhecer os oito principais benefícios para uma pequena empresa.

Maior produtividade

Proprietários de pequenas empresas especialmente aqueles que operam em casa ou em áreas públicas veem maior produtividade depois de se mudarem para espaços compartilhados.

É fácil se distrair quando não estamos em um ambiente de trabalho regular. A casa deve ser limpa ou mantida, as pessoas podem incomodá-lo e imprevistos podem surgir a qualquer momento.

As pessoas que trabalham em escritórios compartilhados classificam sua produtividade como próxima de seis em uma escala de 7 pontos.

De acordo com a pesquisa da Harvard Business Review, as pessoas que trabalham em um espaço de coworking com endereço fiscal para Sorocaba ou em outras cidades, se sentem mais no controle de seus empregos e acham seu trabalho mais relevante, além de se sentirem parte de uma comunidade mais ampla.

A acessibilidade no coworking é de 24 horas por dia, 7 dias por semana

É excelente trabalhar em horário regular, mas às vezes você precisa fazer turnos muito longos para atingir metas específicas. 

A acessibilidade descontrolada é essencial se sua empresa for pequena e precisar crescer.

Os espaços de coworking normalmente nunca fecham. Você pode escolher trabalhar na hora que quiser. 

Se surgir uma emergência no meio do dia, você pode decidir atendê-la sem se preocupar com o fechamento do escritório.

Melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Trabalhar em casa está cheio de benefícios exclusivos. No entanto, quando seu trabalho e vida pessoal ficam tão entrelaçados, eles têm efeitos adversos um no outro.

Ao trabalhar em casa, você pode trabalhar em tarefas regulares, como limpar utensílios, em vez de trabalhar em uma proposta para um cliente em potencial crítico, acreditando que pode fazer tudo, como apenas um auto-iniciador proativo pode.

Em um espaço de coworking, as pessoas podem criar uma separação entre sua vida profissional e doméstica. 

Os espaços compartilhados também têm salas de recreação, onde os membros podem relaxar um pouco entre a agitação e melhorar o equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Criatividade aumentada

Os CEOs da Fortune 500 classificaram a criatividade como a habilidade de liderança mais procurada e o componente mais crucial do sucesso. É até visto como a chave para alcançar o crescimento econômico.

Além disso, equipes colaborativas e geradoras de ideias são mais propensas a julgar suas experiências de forma positiva, o que implica que trabalhar em conjunto deixará toda a sua equipe feliz.

Os espaços de coworking podem dar rajadas de inspiração, permitindo a colaboração com colegas de trabalho e expondo os funcionários a vários pontos de vista. 

Mudar para um novo escritório pode ajudá-lo a renovar seus pensamentos e pensar em soluções inovadoras para as dificuldades da empresa.

Conclusão

Antes de decidir por um espaço de coworking com endereço para Jundiaí ou em cidades pelo mundo, escolha um espaço que se adeque às necessidades específicas da sua empresa. 

Certifique-se de que o espaço oferece benefícios de valor agregado que valem seu custo. 

Os espaços de coworking não devem ser usados ​​por longos períodos. O objetivo é que você transforme essa startup em um negócio completo que requer espaço físico de escritório.

Manutenção de bicicletas: 7 dicas essenciais para cada ciclista

A manutenção da bicicleta é importante para todos os tipos de ciclistas. Não importa se você pedala regularmente para o trabalho , corre ou apenas sai para as trilhas algumas vezes por mês, você precisa ficar atento à manutenção básica para evitar condições inseguras e surpresas caras surgindo na estrada.

A manutenção da bicicleta também não precisa ser difícil. Você pode manter sua bicicleta rodando no futuro seguindo estas dicas simples de manutenção de bicicletas.

Fazendo as manutenções em sua bicicleta

1) Mantenha sua bicicleta limpa

Assim como você lava seu carro para mantê-lo impecável e funcionando bem, você também quer limpar sua bicicleta para prolongar a vida útil do seu passeio.

Quando você limpa sua bicicleta, isso ajudará a evitar que o acúmulo de sujeira e graxa coma as peças mecânicas da bicicleta. Tudo que você precisa é de um balde, água, sabão biodegradável, uma esponja grande, uma toalha e uma escova de dentes velha ou outra escova pequena para deixar tudo limpo: o quadro da bicicleta, corrente, anéis de corrente, pedais, freios, assento, etc.

2) Lubrifique seu trem de força

Sempre limpe e limpe sua corrente após um passeio. Isso dará tempo para o lubrificante afundar na corrente. Algumas pessoas gostam de lubrificar antes de um passeio, mas isso pode atrair poeira e sujeira.

Ao usar lubrificante, adicione apenas uma pequena quantidade e limpe o excesso. Usar muito lubrificante pode atrair mais sujeira e afetar negativamente a mudança de marcha. Precisa de uma recomendação de lubrificante? Pergunte à sua loja de bicicletas local confiável. E se você tiver muito acúmulo de graxa em excesso, compre um limpador de corrente para se livrar da graxa pesada.

3) Inspecione seus pneus

Nada é pior do que ter que parar e trocar um pneu furado durante o passeio. Sempre inspecione seus pneus e verifique sua pressão usando uma bomba de piso. Depois de garantir que seus pneus estejam inflados corretamente, verifique se há outros danos ou desgastes que possam fazer com que eles fiquem vazios durante o passeio.

4) Certifique-se de que os parafusos, parafusos e porcas estão apertados

Não deixe sua bicicleta desmoronar enquanto você anda! Você pode manter as coisas intactas verificando rapidamente se há parafusos, parafusos ou porcas soltos antes de sair. Se você notar que perdeu algumas porcas ou parafusos durante o passeio, certifique-se de consertar as coisas imediatamente, carregando algumas porcas e parafusos sobressalentes com você. 

5) Verifique seus freios

Como você provavelmente sabe, bons freios são essenciais. As pastilhas de freio se desgastam com o tempo, portanto, verifique as pastilhas de freio entre as visitas de manutenção da bicicleta. Tudo o que você precisa fazer é dar uma volta rápida em casa e acionar os freios. Se você sentir que seus freios estão macios, suas pastilhas de freio provavelmente precisam ser substituídas.

6) Aprenda a consertar um pneu furado (entre outras coisas)

Se você estiver andando sozinho e tiver um pneu furado, o que você fará? Certifique-se de não ficar encalhado no meio do nada aprendendo a remendar tubos. O YouTube tem alguns vídeos úteis sobre o assunto. Além disso, oferecemos aulas de mecânica a cada temporada para mostrar como substituir os tubos e outras noções básicas de reparo e reconstrução do seu veículo.

7) Faça a manutenção de sua bicicleta

Todas as estações, é importante fazer a manutenção da sua bicicleta levando-a a um centro de assistência. Nossos mecânicos experientes têm as habilidades para mantê-lo na estrada e aproveitar seu passeio por toda a vida. Se você precisar de manutenção básica e alguns pequenos ajustes, ou exigir uma desmontagem e inspeção completas, nós atenderemos às suas preocupações e avaliaremos as necessidades de sua bicicleta para garantir que sua bicicleta seja segura para uso.

Quanto mais você se certificar de que sua bicicleta está funcionando normalmente, menos você terá que gastar em manutenção sazonal. Precisa de mais ajuda? A equipa de assistência da sua loja local: terá todo o prazer em aconselhá-lo sobre como manter a sua bicicleta na sua melhor forma.

5 dicas e truques para o sucesso no marketing de afiliados

O que são metadados e os principais tipos 

Os metadados são ótimos para classificar e simplificar dados importantes . No entanto, eles vêm em diferentes variantes. A maioria das visões gerais identifica três tipos básicos de metadados e os elimina.  

Em vez disso, neste post, gostaria de explicar em detalhes os seis tipos de metadados mais importantes. Vamos começar com uma rápida visão geral do que os metadados realmente são.

O que são metadados?

Uma definição comum de metadados é ‘dados que descrevem outros dados’. Na verdade, é um pouco mais complicado. Os metadados são usados ​​extensivamente para classificar conjuntos de dados complexos e colocá-los em uma forma mais gerenciável e compreensível.

Agora que você já sabe o que são metadados, iremos mostrar os principais tipos abaixo. 

1. Metadados descritivos

Para simplificar, metadados descritivos são usados ​​para identificar determinados dados. Isso geralmente inclui informações como título, data e determinadas palavras-chave. Por exemplo, quando um usuário baixa um arquivo de vídeo, o tempo de execução do filme é um registro de metadados descritivo.

Metadados descritivos geralmente são os metadados mais citados e usados ​​porque são muito acessíveis, visíveis e úteis com tipos de arquivos comuns.

Eles também são um dos tipos de metadados mais fáceis de entender e fornecem informações básicas sobre determinados aspectos, como: por exemplo, título do livro, nome do autor, data de publicação, etc. Os metadados descritivos só se tornam mais sofisticados ou complexos quando são usados ​​para identificar objetos únicos, como em projetos e sites que trabalham com códigos.

2. Metadados Estruturais

Metadados estruturais contêm informações sobre um objeto ou recurso específico. Isso geralmente é mídia digital. Um exemplo vívido: um filme em DVD tem várias seções. Cada segmento corresponde a uma duração específica do tempo total de execução do filme, e esses segmentos se encaixam na mídia em uma ordem específica.

Mais amplamente, os metadados estruturais capturam informações sobre como um determinado objeto ou recurso pode ser classificado. No exemplo de DVD dado, os metadados estruturais informam o usuário sobre a ordem correta dos capítulos individuais no disco.

3. Metadados de Preservação

Os metadados de preservação ou retenção são usados ​​para preservar um objeto e fornecer informações sobre como um objeto ou arquivo digital específico pode ser mantido e armazenado. Essas informações podem incluir informações críticas necessárias para que um sistema se comunique e interaja com um arquivo específico.

Os metadados de preservação garantem a integridade de um objeto ou arquivo digital do início ao fim, ou até que não seja mais usado ou necessário.

Um modelo comum para isso é o PREMIS (Preservation Metadata Implementation Strategies). Abrange fatores gerais importantes para a preservação e manutenção de dados, incluindo quais ações foram tomadas em um arquivo digital ou quais direitos de uso estão associados a ele.

4. Metadados de linhagem

A maneira mais fácil de entender os metadados de origem ou ‘proveniência’ é primeiro considerar a definição de ‘proveniência’: ‘a origem de uma pessoa ou coisa’. Em determinados sistemas de biblioteca ou arquivo, a origem já pode ser um critério de classificação.

Em termos de metadados, isso significa que é especialmente importante quando um objeto é frequentemente modificado ou duplicado. Isso é menos comum com objetos físicos porque não os duplicamos com tanta frequência. No mundo digital, por outro lado, isso acontece o tempo todo.

Os metadados de linhagem são relevantes porque fornecem informações sobre o histórico de um arquivo ou recurso digital. Isso facilita o rastreamento de seu ciclo de vida. 

Os metadados de origem podem ser, por exemplo, fornecer informações sobre as empresas ou usuários que modificaram um objeto digital e o que fizeram com o objeto ou quais métodos usaram.

5. Metadados de uso

Metadados de uso são dados coletados sempre que um usuário acessa e usa um objeto de informação digital específico. Os metadados de uso são coletados com o objetivo claro e direto de fazer previsões potencialmente úteis sobre o comportamento futuro de um usuário.

Como exemplo ilustrativo, tomemos uma livraria fictícia que registra suas vendas de livros em um sistema de computador. Os metadados de uso podem fornecer informações sobre as vendas de um determinado livro na livraria.

Suponha que os números de vendas de um livro chamado ‘As infinitas maneiras de converter word em pdf‘ criem confusão. Os metadados de uso ajudariam a determinar quantas cópias foram vendidas a cada ano, quando os clientes compraram o livro – em que dia da semana do mês e em que hora do dia – e, em caso afirmativo, quais outros livros foram comprados na mesma transação (ou seja, por o mesmo cliente).

A partir dessas informações, padrões reveladores podem ser identificados. Por exemplo, a livraria pode descobrir que ‘As infinitas maneiras de converter word em pdf’ vende melhor na internet do que físico. Talvez mais exemplares sejam vendidos em e-commerce que lojas físicas. 

Com esses insights, a livraria pode redesenhar sua loja de acordo, promovendo a venda de livros específicos.

6. Metadados administrativos

Os metadados administrativos fornecem informações sobre quais tipos de diretivas, políticas e restrições se aplicam a um arquivo. Usando esses dados, os administradores podem restringir o acesso aos arquivos com base nas habilidades dos usuários.

Os metadados administrativos são muito detalhados – fornecem informações sobre registros específicos em sua totalidade do início ao fim. Isso permite que os usuários gerenciem uma ampla variedade de arquivos.

Metadados administrativos podem ser pensados ​​como uma espécie de resumo de um conjunto de dados. Mesmo que um determinado conjunto de dados seja extremamente complexo, seus metadados são muito mais detalhados.

Os metadados administrativos são, portanto, usados ​​principalmente para administração, ou seja, para controlar e simplificar esses dados complexos para torná-los mais claros.

Concluindo 

Os diversos tipos de metadados nos ajudam a entender e usar nossos arquivos e dados de forma sensata porque fornecem informações úteis. Expanda seu conhecimento sobre os diferentes tipos de metadados para organizar e preservar melhor seus dados valiosos.

Descubra você possui um perfil para trabalhar em um espaço de coworkign.

Os espaços de coworking estão se tornando mais populares entre empresas de todos os tipos e tamanhos. 

A maioria das pessoas tem a impressão de que os espaços de coworking com endereço fiscal em Campinas e em cidades pelo Brasil, são mais utilizados por freelancers e startups. Mas será que é mesmo assim?

Que tipos de empresas estão usando espaços de coworking?


Os tipos de negócios que utilizam espaços de coworking podem surpreendê-lo! 

Esses espaços não são apenas para freelancers e startups. Em vez disso, os hubs de coworking ganharam popularidade em uma ampla gama de empresas.

Aqui estão as empresas que estão escolhendo espaços de coworking:

Trabalhadores remotos

Alguns trabalhadores remotos operam em casa. Eles encontraram um espaço dedicado onde podem montar seu escritório e se concentrar. No entanto, outros trabalhadores remotos estão encontrando dificuldades para trabalhar em casa.

As casas desses trabalhadores talvez não tenham espaço extra para montar um escritório. 

Além disso, suas casas estão cheias de distrações, Internet instável ou lenta e muito mais.

Os espaços de coworking oferecem aos trabalhadores remotos um ótimo ambiente de trabalho, bem como acesso aos serviços necessários para manter seus negócios prosperando.

Profissionais de viagem

Os profissionais que viajam às vezes têm dificuldade em encontrar um espaço de escritório onde possam trabalhar. 

Eles também podem ter que encontrar espaço para atender clientes e parceiros. Hotéis e cafés podem ser usados ​​para esses fins; no entanto, eles geralmente são barulhentos e não oferecem a privacidade necessária para realizar negócios.

Por outro lado, os profissionais que viajam estão encontrando espaços de coworking que oferecem tudo o que precisam para administrar seus negócios na estrada. 

Por um lado, os espaços de coworking com endereço fiscal em Jundiai, estão geralmente localizados em ambientes urbanos com localização central. 

Isso torna mais fácil para os guerreiros da estrada encontrar e chegar ao escritório do aeroporto, estação de trem ou ao dirigir para a cidade. 

Em seguida, a localização centralizada também oferece facilidade de acesso para clientes e parceiros que possam vir para uma reunião.

Além disso, o espaço de coworking oferece todos os serviços que os profissionais que viajam precisam. Isso inclui acesso a uma sala de reuniões, espaço de trabalho, conectividade de alta velocidade (com ou sem fio) e serviços profissionais.

Ffreelancers

Os freelancers são semelhantes aos trabalhadores remotos, pois podem achar difícil ou impossível trabalhar em um escritório em casa. 

Em vez disso, os freelancers estão escolhendo espaços de coworking onde têm acesso a tudo o que é necessário para administrar seus negócios.

Por exemplo, os freelancers acham os espaços de coworking ótimos para aliviar a solidão e os sentimentos de isolamento. Isso porque os espaços de coworking geralmente criam um senso de comunidade entre seus membros. 

É possível obter conselhos e orientações de outros profissionais, assim como fazer networking e fazer conexões valiosas. Freelancers podem até encontrar novos clientes no espaço de coworking.

O mesmo se aplica a solopreneurs e nômades digitais, que também se beneficiam da comunidade de um espaço de coworking. 

Eles também se beneficiam dos serviços que acompanham o espaço de coworking como endereço fiscal em Sorocaba e outras cidades grande onde o caminho para o trabalho pode ser um verdadeiro pesadelo.

Conclusão

Como você pode ver, os espaços de coworking são uma ótima opção para empresas de todos os tipos e tamanhos. 

Esses espaços oferecem muitas vantagens e fornecem uma solução de escritório econômica para praticamente qualquer empresa.

Como funciona o minha casa minha vida

O sonho de comprar a casa própria e sair do aluguel é um dos maiores sonhos de todos os brasileiros e graças ao minha casa minha vida esse sonho está se tornando cada vez mais fácil de ser realizado por todos os brasileiros de todas as classes sociais. Mas assim como é sério o fato de comprar uma casa, minha casa minha vida também é um procedimento que merece muita atenção e precisa ser feito com muito cuidado e com a ajuda de um corretor profissional para te auxiliar com toda a documentação. Mas depois dessas observações precisamos saber como funciona o minha casa, minha vida e como ele pode te ajudar a comprar a sua casa própria.

Programa Social

Para começar o assunto devemos entender que o minha casa minha vida é um programa social desenvolvido pelo governo para ajudar as pessoas a comprarem o seu primeiro imóvel, esse programa paga até por 90% do valor do imóvel e divide o restante do valor em parcelas muito pequenas, facilitando assim o pagamento para o futuro comprador.

A partir de agora vamos aprender um pouco mais sobre como funciona o minha casa, minha vida e quais os procedimentos que  o futuro comprador deve seguir para conseguir ter acesso ao financiamento e aos descontos. O primeiro procedimento que deve ser feito é fazer a análise da sua renda familiar, isso torna-se necessário pois o tipo de ajuda que o governo vai disponibilizar depende do tamanho da sua renda familiar. 

Tipos de Renda

O governo vai fornecer diferentes tipos de ajuda para diferentes tipos de classes sociais e ele faz essa divisão de acordo com a renda familiar do futuro ou dos futuros compradores. A divisão atual está dessa forma:

  • Renda de até 1800 reais: A primeira e mais básica das modalidades diz respeito às famílias que possuem renda mensal total de até 1800 reais. Nessa janela o governo paga 90% do valor total do imóvel deixando somente 10% do valor para ser pago pelo comprador do imóvel.As parcelas do imóvel não podem exceder 10% do valor do salário mínimo e o financiamento deve possuir como prazo máximo 120 meses ou 10 anos.
  • Renda de 1800 até 2600 reais: A segunda modalidade que o programa do governo oferece é uma janela que está mais disponível para famílias de classe média baixa e os incentivos são proporcionais às possibilidades financeiras da família. Nessa modalidade o governo apenas ajuda o futuro comprador a pagar a entrada no imóvel, entrada essa que tem o seu limite estabelecido em 47,5 mil reais. Esse limite foi estabelecido pois imóveis que possuem esse valor de entrada são imóveis considerados de classe média. Além disso, o comprador vai receber a oportunidade de pagar o valor do imóvel em até 30 anos ou 360 meses.
  • Renda de 2600 até 4000 reais: Nessa terceira modalidade o comprador que possui a renda familiar dentro da janela informada vai receber grande parte dos incentivos citados na janela anterior, tais como ajuda a pagar a entrada do imóvel e também vai receber a oportunidade de pagar o imóvel em 30 anos porém nessa modalidade o futuro comprador poderá escolher entre imóveis prontos e imóveis na planta. Essa oportunidade é oferecida pois as famílias que possuem esse valor de renda familiar já podem se permitir escolher imóveis que possuem um maior valor e que são avaliados como imóveis para o público da classe média alta, mesmo eles estando na fase de construção do minha casa minha vida vai ajudar essas famílias a comprar o imóvel.
  • Renda de 4000 a 7000 reais: Nessa modalidade o comprador recebe menos incentivos quando comparado às outras anteriores, haja visto a elevada renda mensal que a família declarou. Na prática essa modalidade do minha casa minha vida somente vai fornecer aos futuros compradores 2 facilidades, a primeira delas diz respeito a um subsídio que o governo vai fornecer, esse subsídio tem seu valor máximo estipulado em 29 mil reais. A segunda facilidade que essa modalidade oferece é as taxas de juros diminuída para o financiamento, essa taxa que será praticada é de no máximo 7% ao ano e no mínimo 5,5%.
  • Renda acima de 7000 reais: Para famílias que possuem uma renda familiar que excede o valor de 7000 reais o minha casa minha vida não é aceito e consequentemente a análise de crédito não é aprovada. Isso ocorre pois o governo entende que uma família que possui uma renda familiar dessa magnitude possui condições de entrar em um financiamento de imóvel normal, com taxas e prazos normais. Por exemplo, se resolver financiar uma das das casa do condomínio Aphaville.

Depois de passarmos pela fase de análise de renda familiar o comprador precisa atentar-se ao valor total do imóvel, essa necessidade acontece pois dependendo da localização do imóvel e também do tamanho da cidade o valor máximo do imóvel vai mudar. Por exemplo um imóvel que está localizado na região metropolitana de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal o programa impõe uma limitação o valor do imóvel não deve exceder 225 mil reais. Seguindo na mesma explicação a limitação de valor que o programa do governo impõem para imóveis localizados na região metropolitana de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo é de 200 mil reais.

Passada a etapa de análise de valores de renda financeira e também do valor do imóvel chegamos na etapa final que é a preparação da documentação necessária para completar o cadastro do financiamento junto ao programa do governo, para essa etapa a nossa dica é que os futuros compradores consultem um corretor profissional e especializado na área em questão. Essa nossa dica está fundamentada na capacidade que o corretor local possui de saber todos os procedimentos e documentos que devem ser entregues para completar o cadastro. Sem a ajuda de um corretor o futuro comprador pode perder-se no meio de tanta papelada e tanta burocracia que precisa ser respeitada.

6 dicas para escolher sapatos confortáveis

Os pés suportam o peso do corpo por muitas horas por dia e são a base da maioria dos movimentos que são feitos diariamente.

Manter uma boa postura para o corpo é uma boa forma de garantir a saúde, por isso é fundamental escolher um calçado confortável e adequado para cada tipo de pé, situação e uso. 

É preciso ter sempre em mente, principalmente na hora de se vestir, que nem tudo é uma questão de design; cuidar do nosso corpo começa pela escolha de sapatos confortáveis. O sapato para o pé não é apenas mais um acessório, como uma bolsa, um lenço, etc. É um elemento muito importante para a nossa saúde.

Você tem que considerar que, dependendo de qual atividade, ou hora do dia, você tem que usar o calçado certo.

Para praticar esportes, é necessário escolher calçados específicos para a disciplina em questão: sola adequada para contato com o solo e suporte completo para o pé. O melhor é um “esporte” com sola antiderrapante e couro (não sintético).

Para ir trabalhar no dia a dia, onde se usa calçado de estilo formal, pode optar por uma forma larga e confortável com salto baixo ou cunha (não mais de 3 1/2 ́ ou 4 cm.) no caso de mulheres sapatos femininos, ir trabalhar, ou as tarefas de levar ou buscar os filhos à escola. Sapatos masculinos confortáveis ​​para ir ao trabalho diário também devem ser largos. Peles macias: marrocos, vitela ou cabrito, assim como veados, com um design clássico tipo mocassim com máscara para os olhos ou atacadores ajustáveis ​​no peito do pé. O piso no inverno deve ser de borracha ou poliuretano flexível.

Para ocasiões especiais, a formalidade pode ser maior, com saltos mais altos no caso das mulheres e sapatos sociais tipo bomba ou cabedais lisos (sem costura) nos homens.

Dica do dia: Caso você precisa de um sapato confortável para o seu filho recomendamos o all star infantil. Conforto garantido para os pés dos seus filhos.

Dicas para escolher sapatos confortáveis

1. Procure materiais de qualidade por dentro e por fora

Todo calçado que proporciona conforto possui materiais de qualidade em sua fabricação. O material tanto no interior como no exterior deve ser de couro genuíno, para evitar a transpiração e manter o pé fresco. Isso proporciona flexibilidade e conforto durante o uso. O material exterior, no inverno, pode ser têxtil, tratado com “Gore-Tex” (que é uma fibra impermeável), para resistir às intempéries.

2. Verifique se a sola é antiderrapante

Os materiais do piso devem ser de borracha ou outro material similar, mas sempre com suficiente resistência ao atrito e aderência com o solo. O passo ao caminhar com sapatos deve ser o mais seguro possível em qualquer superfície.

3. Escolha o tamanho certo

O sapato nunca deve ser muito apertado, tanto na largura quanto no comprimento. Os dedos devem poder se mover livremente dentro do sapato, caso contrário, é preferível não comprá-los. O sapato não cede por si só, por isso é conveniente escolher o comprimento e a largura adequados. Eles também não devem ser comprados em tamanhos soltos, pois tentar preencher a lacuna usando meias grossas afeta o suporte correto do pé. Ser capaz de produzir um “pé cavo” (excesso de ponte) ou dedos em “garra”, forçando o sapato a ser segurado com os dedos.

4. Escolha sapatos de qualidade 

É preferível investir num par de sapatos que sejam benéficos, largos e confortáveis, de grande qualidade, antes de gastar o dinheiro em vários pares de produtos sintéticos, com um pé duro ou estreito, que nada mais fazem do que causar dor ou desconforto durante o uso. E depois visitas ao podólogo.

5. Escolha o sapato de acordo com o tipo de pé

Os pés, geralmente, pertencem a uma das três categorias existentes: Pé NORMAL,
PÉ FLAT ou PÉ CAVO de acordo com o arco da sola do pé. Para maior conforto, é fundamental escolher calçados que fiquem o mais próximo possível do arco da planta. 

6. Escolha calçados que, além de resistentes, sejam flexíveis

Além de permitir conforto ao movimento, os materiais do calçado devem ser o mais respiráveis ​​possível, dependendo de suas funções.
É fundamental para a sua saúde e bem-estar geral escolher calçado confortável, procurando o conforto sobre o estilo, com vista a evitar problemas e desconfortos ao longo do tempo em todo o sistema músculo-esquelético do nosso corpo.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Como escolher uma máquina de lavar adequada para as minhas necessidades?

Continuamos falando sobre máquinas de lavar : desde que se tornou um eletrodoméstico essencial em nossa casa, muitos de nossos clientes, quando sua máquina de lavar quebra, nos perguntam se vale a pena consertar, como escolher uma boa máquina de lavar , o que devem levar em conta, etc.

Tenha em mente que uma máquina de lavar não é algo que você compra todos os dias. E é que a tecnologia avança tão rápido que, para entender todos os novos recursos , não adianta mais nada. Então vamos lá.

Você pode se interessar pela máquina de lavar roupas 12kg | A Melhor maquina para você.

Como escolher uma máquina de lavar adequada para as minhas necessidades?

Medidas da máquina de lavar

Isso não é novo. Mas como muitas das características que veremos mais adiante influenciam o tamanho do eletrodoméstico, decida onde você vai colocar a máquina de lavar (debaixo do balcão da cozinha, acima de uma secadora, embutida, etc.) e meça o espaço disponível cuidadosamente.

Capacidade da máquina de lavar

No mercado podemos encontrar máquinas de lavar com capacidade de 5, 6, 7, 9, 10 e até 13 Kg. Para uma casa com 2 ou 3 pessoas, 6 Kg seriam suficientes. Se for uma família maior ou se preferir usar a máquina de lavar apenas 1 ou 2 vezes por semana, o ideal seria uma máquina de lavar entre 7 e 9 Kg.

Velocidade de centrifugação da máquina de lavar

A rotação é medida em rotações por minuto (rpm), ou seja, uma máquina de lavar com velocidade de 1.200 rpm faz com que o tambor gire 1.200 vezes por minuto. 

Quanto maior a velocidade de centrifugação, menos água na roupa após o término do ciclo. Mas também leve em consideração o tipo de roupa que você costuma lavar, pois em uma velocidade menor, maior proteção das roupas.

Variedade de programas de máquina de lavar

Continuando com o seu tipo de roupa habitual, deve escolher uma máquina de lavar que tenha os programas adequados ao seu caso. Ou seja, se preferir que a sua máquina de lavar roupa ofereça programas específicos para algodão, sintéticos, lãs, peças delicadas, etc. Um programa adequado para cada tipo de tecido facilitará o engomar posterior e ajudará a cuidar da sua roupa.

Classificação energética da máquina de lavar

A classificação energética dos eletrodomésticos fornece uma indicação do consumo de energia. A classe energética mais elevada (A+++) da sua máquina de lavar permite-lhe poupar nas contas de água e electricidade (30% menos energia do que uma máquina de lavar A) e contribuirá para o cuidado do ambiente.

Nível de ruído da máquina de lavar

É importante levar em consideração a potência sonora da máquina de lavar quando estiver em operação. Uma máquina de lavar que incorpora um motor silencioso seria ideal se, por exemplo, você tiver uma cozinha aberta ou for usá-la à noite.

Máquinas de lavar com controle de água (AquaControl)

Máquinas de lavar com controle de água, além de possuírem mecanismos para evitar vazamentos ou vazamentos de água em caso de quebra da lavadora, ajustam a quantidade de água que entra no tambor em função da carga, o que se traduz em segurança e economia de energia.

Lavagem programada

Um recurso muito interessante se, por exemplo, você contratou uma taxa de luz noturna. Permite programar a máquina de lavar para iniciar o seu ciclo à hora que escolher.

Outras características Como mencionamos anteriormente, a tecnologia adiciona continuamente novas funções às máquinas de lavar: engomar fácil, conexão Wi-Fi, sensores de distribuição de roupas, etc.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Como escolher a guitarra perfeita 6 dicas

As seguintes questões-chave são críticas na escolha de uma guitarra . Muitos dos principais problemas são baseados na qualidade e tocabilidade do seu instrumento. Sempre tente esclarecer os fatos.

Pergunte o que foi feito para tornar o instrumento fácil de tocar. Não há maior impedimento ao progresso do que desenvolver a técnica adequada e a alegria de aprender a tocar do que um instrumento mal construído ou mal ajustado.

Você pode se interessar também por um violão Strinberg | Qualidade e performance para você aproveitar ao máximo o instrumento

Como escolher uma guitarra

Se você está pronto para comprar seu instrumento, mas talvez não saiba escolher um violão, veio ao lugar certo. A pior coisa que você pode fazer é comprar o instrumento errado e se apaixonar por ele antes de ter a chance de mergulhar. Nós dizemos exatamente como encontrar a guitarra certa para você.

1- Decida se você quer uma guitarra acústica ou elétrica

Acústica

Se você não é um instrumentista e decidiu começar a tocar violão, considere começar com um violão. Eles não precisam de muito, basicamente você pode escolher um e começar a jogar.

As guitarras de cordas de aço são semelhantes às guitarras clássicas, pois são acústicas, mas são amarradas com cordas de aço. Esta tensão extra torna a guitarra muito mais forte e as cordas de aço dão um som muito mais brilhante e forte . 

Eles soam muito melhor para dedilhar acordes em comparação com um violão clássico, por isso são muito populares para iniciantes acima de uma certa idade. A razão para isso é que as cordas de aço podem ser afiadas em dedos destreinados.

Então cordas de nylon ou aço?

As cordas de aço são padrão, mas são mais duras em suas mãos do que as de nylon. Por outro lado, o aço fortalece as pontas dos dedos e cria calos . Violões clássicos de cordas de nylon são mais fáceis de pegar e tocar quando você começa, mas geralmente são específicos para música clássica.

Eles também são menores, violões de corpo oco e não produzem um som tão forte, profundo e cheio quanto um violão tradicional de cordas de aço. Só você pode decidir qual é o certo para você.

Não recomendamos guitarras com cordas de aço para músicos mais jovens porque as cordas mais afiadas podem ser um obstáculo para a prática. Até que eles tenham construído alguns calos e força, eles podem se sair melhor em um violão clássico.

Elétrico

É claro que guitarras elétricas requerem amplificação e muitos outros equipamentos diferentes, como cabos, pedais, etc. que, dependendo do estilo de música que você acha que gostaria de tocar, pode ficar complicado e caro. Como as guitarras elétricas são mais complicadas, elas permitem mais experimentação no som, o que pode ser interessante para não iniciantes.

É muito difícil generalizar sobre guitarras elétricas porque o tamanho, a forma e a eletrônica fazem pequenas diferenças no som que você pode produzir. As guitarras elétricas diferem das guitarras clássicas e acústicas, pois não produzem som sem amplificação externa.

Com exceção de algumas guitarras elétricas de jazz, a maioria das guitarras elétricas não tem cavidade , são de madeira maciça. Eles produzem som transferindo energia magnética de cordas vibrantes para energia elétrica.

Este sinal elétrico passa da guitarra através de um cabo para um amplificador onde o sinal é amplificado. O sinal pode ser ajustado, moldado e transformado para produzir uma ampla variedade de sons. Portanto, embora você possa tecnicamente tocar uma guitarra elétrica sem um amplificador, você não terá tanta diversão e satisfação com seu instrumento sem um.

As guitarras elétricas são um pouco menores do que as guitarras acústicas e clássicas, por isso são boas para a maioria das idades e alturas. Eles são ótimos para criatividade e rock.

2- Que tipo de estilos musicais você mais gosta de tocar?

Outra coisa que você deve ter em mente quando se trata de saber escolher uma guitarra é o que você quer tocar. O som é subjetivo , claro, mas certos estilos e gêneros musicais tendem a funcionar melhor com certos tipos de guitarras. 

Isso é algo que exigirá um pouco mais de pesquisa do seu lado. Digamos que você goste muito de rock : uma Fender pode soar interessante para você porque sua guitarra estará profundamente associada ao gênero.

A música country , por outro lado, é muito mais aberta e pode ser executada em uma variedade de corpos de guitarra diferentes. Olhar para ver o que seu guitarrista favorito toca pode ajudá-lo a tomar sua decisão, mas não deixe que seja a única. Fato: É provável que você jogue há décadas e seus desejos e necessidades sejam muito diferentes dos deles.

3- Obtenha o tamanho certo

Se você está comprando uma guitarra para uma criança , você deve olhar para guitarras de corpo pequeno . A maioria dos grandes fabricantes oferece guitarras em miniatura de um quarto a três quartos menores do que o padrão para músicos menores, com algumas empresas atendendo a um público mais jovem, especificamente.

Essas empresas também oferecem kits iniciais acessíveis , com tudo o que uma criança ou jovem adulto precisa para começar a tocar violão com segurança. Lembre-se, se este for o primeiro instrumento seu ou de seu filho, certifique-se de investir apenas o quanto se sentir confortável em investir.

4- Não compre apenas na estética, mas não compre uma guitarra que você acha feia

Parece óbvio, mas às vezes os novos guitarristas ficam tão empolgados com a aparência e o fator legal das guitarras que acabam comprando algo que parece bom em vez de suas qualidades musicais.

A nota importante aqui é que você sempre pode colar um decalque personalizado em uma guitarra, qualquer guitarra, mas se você não estiver satisfeito com o som, é muito caro (se possível) consertar . Certifique-se de que está satisfeito com o instrumento e suas habilidades em primeiro lugar, então vá para todos os itens não musicais.

5- Economize dinheiro para acessórios

Guitarras elétricas necessitam de acessórios apenas para produzir som , como dito acima, e guitarras acústicas/clássicas não estão isentas. Há sempre estojos e alças e tudo o que você precisa ter em mente. Certifique-se de levar isso em consideração ao fazer sua compra. Portanto, não se trata apenas de saber escolher uma guitarra, mas muito mais.

6- Em caso de dúvida, consulte um profissional

Se você seguiu todos os passos acima e ainda não tem certeza do que quer comprar, vá até a loja de música local e pergunte a alguém que trabalha lá. Caso contrário, pergunte a um amigo músico. Afinal, a música é uma arte vivida, e tomar uma decisão tão importante quanto comprar um violão, o seu primeiro ou o vigésimo, deve ser algo que você não tenha pressa.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Estornos: o que são e como e quando você pode solicitá-los

Um estorno, também conhecido como chargeback, é a devolução, cancelamento ou estorno de uma cobrança feita com um cartão , que o cliente pode solicitar. E depois de uma dura batalha que leva à resolução do conflito, se a instituição financeira responsável pela operação considerar a reclamação legítima, o vendedor deve ressarcir o comprador. Caso contrário, nenhuma ação ocorrerá e a cobrança será processada normalmente.

Portanto, sejamos compradores ou vendedores, é fundamental saber o que é um estorno e como ele funciona. Saiba como solicitá-los quando estivermos do lado da compra e como evitá-los e contestá-los quando estivermos do lado da venda.

O que é um estorno?

É um processo que sempre envolverá três partes; o cliente ou comprador, que iniciará a disputa, o comerciante ou vendedor, que será o afetado por tal disputa, e o banco emissor do cartão de pagamento, que se encarregará de resolvê-lo.

Assim, quando um comprador não reconhece uma cobrança em seu extrato, recebe um produto em mau estado ou foi vítima de roubo de cartão (esses são apenas alguns dos casos mais típicos), ele notificará o banco emissor da pedido de estorno.

Por sua vez, uma vez ajuizada a reclamação, o banco deve iniciar os procedimentos junto ao vendedor, comunicando a natureza do sinistro, e dando-lhe a oportunidade de responder dentro do prazo com as provas necessárias para extinguir o litígio.

Após esse período, o banco deve decidir a disputa em favor do cliente ou do comerciante, reembolsando ou não o valor contestado.

Como comprador, quando e como posso solicitá-lo?

Podemos solicitar um estorno com praticamente todas as despesas pagas com cartão, sejam elas compras feitas online ou pessoalmente. Obviamente, deve haver uma razão discutível para prosseguir com esse tipo de solicitação.

Os casos mais comuns de estorno são devido a roubo de cartão, produtos defeituosos ou não entregues ou erros no processo de compra ou pagamento. De qualquer forma, esses são apenas alguns exemplos. Qualquer despesa que possa ser argumentada por sua aplicação incorreta é contemplada para contestação, sempre com a máxima justificativa possível.

Para efetuar esta gestão, devemos contatar a instituição financeira responsável pelo cartão com o qual efetuámos o pagamento em questão, ou em casos de compras online , muitas vezes teremos uma opção de reclamação na mesma plataforma.

Feito o pedido à entidade correspondente, com os elementos comprovativos que considere convenientes solicitar, a entidade entrará em contacto com o vendedor, retendo o encargo até à resolução do litígio.

Por fim, com provas de ambas as partes, o emissor do cartão deve determinar qual parte está certa e proceder de acordo com a cobrança retida.

E para o vendedor?

Diante do exposto, parece evidente a necessidade de qualquer estabelecimento evitar esse tipo de situação, pois em muitas ocasiões o pedido de estorno pode ser solicitado de forma fraudulenta por um comprador sem qualquer motivo justificável que não seja o desejo de usufruir gratuitamente de um produto ou serviço.

O exemplo mais típico para este caso ocorre geralmente em estabelecimentos de lazer ou hotelaria, em que após a estadia ou utilização, o cliente reclama o reembolso alegando que o referido serviço não foi prestado.

Assim, para tentar evitar estas situações, apenas podemos tomar algumas medidas preventivas, como a documentação correta de cada transação, cumprir as normas de processamento e proteção dos cartões de pagamento e utilizar dados claros e identificadores nas cobranças.

Se ainda assim recebermos um estorno, devemos fornecer à instituição financeira todos os documentos ou provas que comprovem a validade da operação. Se as provas fornecidas forem suficientes para demonstrar a legitimidade da cobrança, o valor da operação será liberado e cobrado pelo vendedor.

Como escolher um liquidificador para um restaurante

Com tantas opções no mercado, encontrar o liquidificador certo para o seu negócio pode ser um desafio. Há opções para todas as necessidades e bolsos. Aqui explicamos como escolher um liquidificador para um restaurante.

É definitivamente uma ferramenta versátil que pode ser usada na preparação de muitos alimentos. Mas para comprar um liquidificador, você precisa ver alguns recursos para não se arrepender.

Os misturadores industriais são muito mais poderosos que os modelos domésticos. São indicadas para situações de uso contínuo e não ardem, mesmo se usadas muitas vezes ao dia.

Você pode se interessar por um incrível liquidificador vermelho para deixar em seu restaurante.

5 chaves para escolher um liquidificador para um restaurante

1. Capacidade e versatilidade

Sua resistência e múltiplas funções permitirão diferentes usos que podem ser adicionados à medida que o cardápio do seu restaurante cresce. Você deve escolher um que atenda aos requisitos de produtividade, nível de uso e necessidades de volume na cozinha.

Embora devamos considerar também a sua produção máxima por hora, para se ter uma ideia, um liquidificador para um restaurante pode ter uma produção máxima entre 100 e 140 litros/hora.

2. Potência do motor

Se você tem um bar, restaurante ou lanchonete onde são feitos muitos sucos e outras bebidas, recomendamos comprar um liquidificador de alta potência (entre 800 e 1.200 watts), pois o aparelho provavelmente terá que ficar ligado por muitos horas.

A velocidade das lâminas tem a ver com o tipo de processamento que é necessário para os diferentes pratos, verifique se a gama de potências do liquidificador permite diferentes texturas, desde moídas até pulverizadas. 

É aconselhável considerar uma ampla gama de força motora para que, à medida que seu negócio cresça, seus liquidificadores continuem atingindo seus objetivos. 

No mercado podemos encontrar muitos modelos e marcas, com diferentes potências que podem ir abaixo de 300W (o muito, muito básico), até 1500W de liquidificador para hotéis.

3. Relação preço-lucro

Considere que um liquidificador para uso industrial durará muito mais que um doméstico e que o que você misturar ficará pronto em menos tempo. Um dos aspectos mais importantes, sem dúvida, é o preço dos liquidificadores. Seu custo deve representar o máximo benefício e um investimento que maximize as possibilidades de sua cozinha comercial.

4. Reputação da marca.

É importante ter suporte técnico e manutenção em caso de falha.

5. Limpeza

O material dos liquidificadores (recipiente, lâminas, suporte e tampas); é um aspecto essencial, pois permite manter uma limpeza eficaz em cada uso e que continua higiênica ao longo do tempo. Também permite manusear os ingredientes adequadamente para preservar seu sabor e frescor em cada preparação.

Comprar liquidificadores para uma loja pode parecer um desafio, especialmente porque existem tantas opções diferentes por aí. Fica claro que o principal objetivo é viabilizar e cumprir as funções de uma cozinha industrial.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Page 1 of 26

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén