AAJ - Associação de Ajuda a Jovens

Categoria: Dicas Gerais Page 1 of 31

Eu odeio o meu trabalho! O que fazer nesse caso?

Se todos os dias você pensa: “não gosto do meu trabalho”, está farto do chefe, e o salário é inconsistente com suas funções, significa que é hora de mudar. 

Você odeia trabalho em tempo integral ou físico? Está pensando em mudar? Leia nosso artigo e faça a si mesmo algumas perguntas que o ajudarão a tomar a decisão final sobre deixar um emprego que você não gosta.

Mais uma segunda-feira chega e você pensa de novo: “odeio esse trabalho”? Antes de ler o resto deste artigo, faça algumas respirações profundas e lentas. Eles o ajudarão a organizar seus pensamentos e abordar o assunto do trabalho que você não gosta. 

Faça a si mesmo algumas perguntas e responda-as somente após um momento de reflexão. Você também pode anotá-los em um pedaço de papel para voltar sempre que precisar.

Talvez esteja na hora de você procurar um novo emprego, então é interessante descobrir o que colocar em objetivos no currículo.

Eu odeio trabalhar em tempo integral – quais são as razões para esse pensamento?

Escreva uma lista das coisas que mais o frustram e com as quais você não consegue lidar no trabalho. Se você está tendo dificuldade em colocar seus pensamentos no papel, aqui estão algumas dicas:

“A empresa com a qual lido é chata e não estou nada interessada nela”,

” Eu odeio o chefe. Ele é um chato e me trata injustamente”,

“É difícil para mim me dar bem com meus colegas”,

“Não tenho condições de desenvolvimento profissional”,

“Estou perturbado com o ambiente competitivo e a eterna corrida de ratos”,

“A responsabilidade que recai sobre mim me mantém estressado”,

“Eu não gosto do meu trabalho. Muitas vezes sou obrigado a ficar depois do expediente, não tenho tempo privado”,

“O salário é inadequado para a multiplicidade de funções que tenho que cuidar.”

Este pequeno exercício permitirá que você encontre a causa do pensamento repetido “Eu odeio meu trabalho” – afinal, ele não surgiu do nada.

Em seguida, tente responder à pergunta por que você ainda não saiu da empresa se odeia trabalhar no escritório. Considere se a raiva do chefe é permanente ou apenas temporária. 

Não gosto do meu trabalho: o que fazer?

Seus sentimentos de ódio ao trabalho também podem ser causados ​​por fadiga crônica, que se traduz em falta de vontade de trabalhar. 

Ineficácia – você perde sua mobilização e força para trabalhar. Sua produtividade não está mais no mesmo nível do período inicial de emprego;

Despersonalização – você perde a fé em seu projeto e nas pessoas com quem trabalha;

Exaustão – você não tem força, motivação e vontade de agir, e está cansado do excesso de responsabilidades que lhe são impostas.

Se você se identifica com o primeiro tipo de esgotamento, pode precisar de um momento de descanso para recuperar as forças e a vontade de continuar. 

Se você não gosta do seu trabalho há algum tempo, pode ser uma boa ideia sair de férias por alguns dias, se for o caso.

Você está relutante em trabalhar? Fale com o chefe

No caso de despersonalização, será necessário conversar com seu supervisor. Conte a ele sobre suas dúvidas e pergunte sobre a possibilidade de lhe apresentar tarefas mais relacionadas aos seus interesses.

E se você se sente exausto e diz a si mesmo todos os dias: “Eu odeio trabalhar”, talvez você precise mudar não apenas seu trabalho, mas também o ambiente e a cidade em que vive.

Eu odeio ir trabalhar – o que vem depois?

Se você tem certeza de que enviar um aviso é a única boa solução para seu problema com o trabalho, pense no que você gosta de fazer e no que gostaria de fazer profissionalmente. 

O tipo de trabalho que você fez até agora também é muito importante. Se você sabe que odeia o trabalho de escritório, está cansado de passar várias horas por dia na frente da tela do computador, se irrita com a competição e odeia o trabalho em equipe, provavelmente não encontrará seu caminho em nenhum ambiente corporativo. 

Considere se as habilidades que você possui permitirão que você inicie um trabalho, por exemplo, como freelancer. Por outro lado, quando você diz que não gosta de trabalho manual, procure uma profissão que não exija o uso da força. 

Se você acha que sua vocação é fazer cálculos, preparar um orçamento e usar suas habilidades analíticas, talvez seja hora de treinar novamente para se tornar um analista financeiro. 

Como começar a andar de bicicleta?

Como começar a andar de bicicleta?

Dicas para aprender a andar de bicicleta e utilizá-la tanto como um lazer quanto como um meio de transporte para alguns percursos do dia a dia

A bicicleta é um meio de transporte ecológico e econômico, além de ser uma ótima ferramenta para se exercitar, com diversos benefícios para a saúde (do corpo e da mente). O número de ciclistas no Brasil é crescente, e cidades de todas as regiões já estão se adaptando para se tornarem mais seguras e convidativas para a prática.

No entanto, o aumento do interesse pelas bicicletas fez com que muita gente se deparasse com a pergunta: como começar a pedalar? Não só no sentido de como criar o hábito, mas, muitas vezes, de aprender mesmo a se equilibrar em cima da magrela.

A boa notícia é que, apesar de exigir algum treino e, possivelmente, algumas quedas no início, aprender a pedalar não é tão difícil quanto pode parecer. E há quem diga que esse é um conhecimento que nunca se esquece.

Como começar a andar de bicicleta?

Em todo o mundo, esse é um aprendizado que faz parte da cultura e costuma ser passado de pai para filho. No entanto, sempre é tempo: adultos e até mesmo idosos que nunca pedalaram antes podem aprender.

O segredo é o equilíbrio. E para encontrá-lo, é preciso treinar. Algumas dicas podem ajudar nesse processo e servem tanto para quem vai ensinar alguém a pedalar quanto para quem não aprendeu na infância começar agora. 

  • Ajuste a bicicleta a um tamanho adequado para a sua altura. As pernas devem ficar confortáveis para pedalar, dando altura para que os pés alcancem, facilmente, o chão.
  • Peça a ajuda de alguém experiente que, além de dicas, possa servir de apoio para as primeiras pedaladas.
  • Utilize equipamentos de segurança, como capacetes e óculos, para reduzir os danos das quedas.
  • Comece devagar, em um terreno plano e com pouco movimento. Se possível, escolha um local com grama, que vai amenizar as quedas.
  • Aos poucos, vá acrescentando pequenos declives e subidas no percurso, para entender como precisa agir nessas situações.
  • Você vai precisar ganhar alguma velocidade para manter o equilíbrio, mas não exagere. Você não vai querer cair correndo.
  • Teste os freios enquanto a bike estiver parada para entender como eles funcionam e mantenha as mãos no guidom de forma a acessar esse recurso com agilidade, quando necessário.
  • Se a bicicleta for de marcha, teste todas as opções pedalando parado e escolha um nível de peso intermediário para começar. Se possível, comece em um veículo sem marchas, que é mais fácil de aprender.
  • Mantenha o olhar sempre para a frente e não em quem estiver te ajudando.

Como começar a pedalar pela cidade?

Se você já se sente confortável com o funcionamento da bicicleta, pode começar a incluir o veículo cada vez mais na sua rotina, tanto como um lazer quanto como um meio de transporte para alguns percursos do dia a dia. A seguir, algumas dicas para quem está começando.

  • Utilize sinalização na bicicleta e, de preferência, equipamentos de proteção individual.
  • Prefira sempre pedalar por ciclovias e ciclofaixas e verifique nas leis de trânsito quais são as recomendações para os lugares sem essas sinalizações.
  • Estude o percurso anteriormente e nunca olhe o mapa no celular enquanto pedala. Se precisar conferir o trajeto, pare a bicicleta em um local seguro para fazer isso.
  • Evite pedalar usando fones de ouvido, porque isso pode te atrapalhar a ouvir buzinas e outros alertas.
  • Se quer usar a bicicleta como meio de transporte para as atividades de rotina, tente conhecer e se familiarizar com o trajeto antes, sem pressa e sem horário a cumprir — no final de semana, por exemplo.
  • Comece com pequenas distâncias, que você pode ir aumentando à medida que se sentir mais confortável com a bicicleta e tiver mais preparo físico para encarar um caminho maior;
  • Nas grandes cidades, você pode começar utilizando bicicletas de uso compartilhado. Isso permite que você faça somente uma parte do trajeto de bike, pois pode deixar o veículo em estações pelo caminho. Dá para só ir ou só voltar também, dependendo da ocasião.
  • Planeje programas de lazer com a bicicleta, como pedalar por algum parque no final de semana.
Passeios divertidos para fazer com seus filhos

Passeios divertidos para fazer com seus filhos

7 dicas de programas para levar as crianças, na sua cidade ou em viagens de curta duração

Quem tem filhos sabe que pode ser um desafio encontrar o que fazer com eles nos dias de folga, já que deixá-los entediados em casa quase nunca é uma boa ideia. Sendo assim, é sempre bom ter em mente algumas ideias de passeios externos. 

Se esses programas forem criativos, melhor ainda, pois crianças e adolescentes costumam se empolgar mais com novidades e lugares novos. Se houver a possibilidade de contato intenso com a natureza, muito verde e água, mais sucesso ainda.

Pode ser uma viagem em família ou uma visita a algum destino na sua própria cidade. Já esgotou suas ideias e não sabe mais o que propor? Fizemos uma lista com dicas simples, mas que vão te inspirar.

Piquenique no parque

Que tal preparar alguns lanches gostosos, colocar em uma cesta, escolher uma toalha bem bonita e ir comer ao ar livre, em algum parque da sua cidade? Esse passeio é um clássico, que não exige muitos gastos e agrada a família toda, inclusive as crianças pequenas.

Esse é um programa perfeito para o período da manhã — quando o sol ainda não está tão quente —, mas pode se estender pelo dia todo. Vale também levar bola, baralho e outras brincadeiras com as quais vocês possam se divertir durante o passeio.

Praia

A praia é outro tipo de passeio que agrada a família toda e, mesmo se você não mora no litoral, pode programar de passar o próximo final de semana ou as férias em um destino com mar. Prefira praias com mar calmo, onde as crianças vão poder brincar sem tanto perigo.

Parque de diversões

Os parques de diversões são sempre cartas na manga, porque crianças de todas as idades costumam adorar esse programa — se for mais radical, até os adolescentes curtem. Vale visitar aquele parque da sua cidade que vocês não vão há tempos ou fazer uma pequena viagem para um destino com essa opção.

Uma dica para esse tipo de programa é sempre comprar os ingressos com antecedência e evitar os finais de semana prolongados e feriados, já que as filas para os brinquedos podem ser muito grandes, fazendo com que o passeio acabe virando um perrengue.

Parque aquático

Os resorts e parques aquáticos são ótimas opções porque podem significar algum relaxamento para os pais, com sombra e água fresca, enquanto as crianças se divertem nas piscinas e toboáguas, sob a supervisão de monitores. Mas também são ótimos locais para pais e filhos brincarem juntos, criando boas memórias.

Se vocês nunca foram juntos a um parque aquático, é uma boa ideia começar a planejar uma viagem para algum destino famoso. Há opções que ficam na praia e também em estâncias hidrotermais, com água naturalmente quente.

Viagem para o interior

Muitas vezes, apenas mudar de ares em um lugar com mais contato com a natureza já é suficiente para animar as crianças — e também para os pais voltarem com as energias renovadas. Por isso, que tal fazer uma viagem para aquela cidadezinha charmosa perto de casa? Se puder, se hospede em um hotel-fazenda.

Museus temáticos

Visitar museus é um tipo de programa acessível e interessante e que muita gente não faz porque acha que é só para adulto. Mas você sabia que existem vários museus temáticos para crianças e adolescentes? 

O Museu Catavento e o Museu da Imaginação, em São Paulo, por exemplo, são ótimas opções. Crianças pequenas também costumam gostar de qualquer museu que seja interativo. Pesquise as opções da sua cidade ou já programe a próxima viagem pensando em proporcionar essa imersão cultural para seus filhos.

Cinema 

O cinema é outro passeio divertido e que não requer tanto planejamento, caso você more em uma cidade com essa opção. Uma dica é escolher o filme junto com os seus filhos, o que aumenta as chances de eles gostarem do programa. Pipoca também não pode faltar!

Brincadeiras para pais e filhos curtirem o inverno

Brincadeiras para pais e filhos curtirem o inverno

Era uma vez, telefone sem fio, passa anel, desenho maluco, cabaninha e Uno

Com a chegada do inverno e das chuvas, é preciso usar a criatividade para distrair as crianças dentro de casa, não é mesmo? Especialmente quando a intenção é evitar que os pequenos passem ainda mais tempo em frente às telas de smartphone, TV, tablet e computador. 

Uma boa forma de fazer isso é resgatar opções de entretenimento da sua infância e apresentar para seus filhos, visto que algumas brincadeiras no inverno podem ser muito divertidas. 

Gostou da ideia e quer conferir nossas sugestões? Neste artigo, listamos algumas alternativas de jogos e brincadeiras para jogar e brincar com as crianças em dias e noites frias. Confira!

Era uma vez

Para brincar de “era uma vez” de forma divertida, basta deixar a criatividade fluir. Você pode, por exemplo, começar uma história e pedir para a criança completá-la. Além disso, se quiser, também pode ser legal apostar em fantasias para criar personagens e, assim, entrar no universo da história.

Telefone sem fio

Para brincar de “telefone sem fio”, o primeiro passo é reunir a família em um círculo. O primeiro participante deve criar uma mensagem e cochichar no ouvido do próximo. Dessa forma, a mensagem vai passando entre as pessoas e cada uma repassa da maneira que entendeu.

A última pessoa a receber a mensagem deve repetir o que ouviu em voz alta. Neste final, uma coisa é certa: essa brincadeira vai render boas gargalhadas, pois geralmente a mensagem do fim é totalmente diferente da mensagem inicial.

Passa anel

Para o “passa anel” você precisa, obviamente, de um anel. Com ele em mãos, deixe a criança ser a responsável por passar. Ela deverá colocá-lo entre as palminhas das mãos e passá-las entre as mãos de outros participantes, que devem formar um círculo.

O passador (neste caso, a criança) pode fazer esse movimento quantas vezes quiser, porém, em um deles, deve de fato passar o anel. E, ao terminar, ela precisa perguntar a um dos jogadores com quem ficou o objeto. 

Se o participante acertar, ele passa a ser o passador. Se errar, a brincadeira segue até alguém acertar.

Desenho maluco

Para o “desenho maluco”, você vai precisar de lápis de cor, canetinhas, tinta, giz de cera e de algumas folhas brancas. Na primeira parte da brincadeira, cada um irá desenhar uma cabeça.

Depois disso, você e seu filho deverão trocar de folha para que cada um desenhe o corpo da figura do outro. Em seguida, as folhas deverão ser trocadas novamente para o desenho dos braços.

Esse ciclo deverá se repetir até que toda a figura esteja completamente desenhada. Após isso, revelem as obras de artes prontas para que todos vejam como ficou cada desenho.

Cabaninha

A “cabaninha” é uma brincadeira antiga que tem tudo a ver com os dias mais frios. Você pode escolher o cômodo da casa que seja mais confortável, pegar algumas cadeiras, lençóis e objetos interessantes para construir uma cabana bem firme e aconchegante. 

Aqui, tudo deve acontecer no improviso. Dessa forma, as crianças terão a oportunidade de imaginar, inventar e experimentar um novo tipo de diversão. 

Para deixar a brincadeira mais interessante, você pode dizer aos pequenos que todos estão presos numa caverna ou perdidos em uma floresta perigosa, estimulando a imaginação deles.

Uno

O Uno é um jogo que pode ter de dois a dez participantes, porém, é indicado para crianças a partir dos sete anos de idade.

O objetivo principal é ser o primeiro jogador a ficar sem cartas nas mãos e, para isso, é necessário utilizar todos os recursos possíveis para evitar que os outros jogadores vençam.

Além de muito divertido, esse jogo promove a atividade em grupo e auxilia no raciocínio lógico, concentração, pensamento estratégico e capacidade associativa da criança.

Dicas para compras online seguras na Espanha

Você já teve medo de comprar online? Muitas vezes encontramos o produto ou serviço que procuramos, mas não nos atrevemos a efetuar o pagamento por medo de que o site não seja confiável.


Na Espanha, de acordo com o “E-commerce Study 2021”, 76% dos internautas espanhóis fazem compras online, o que representa um aumento de 4% em relação aos números de 2020, favorecido pelo aumento das compras online que causou a Covid19.

Quer saber como fazer uma compra segura online? Continue lendo nosso blog, contamos tudo para você!

Você pode se interessar também por plataforma de pagamentos online | A segurança em suas comprar onlines.

Que perigos podem existir ao comprar online?

Muito provavelmente, você já foi informado de que deve ter cuidado ao fazer compras on-line, mas você realmente sabe quais são os perigos que enfrenta?
Os riscos mais comuns de comprar online são:

  • Indo por comentários falsos. Cada vez mais damos mais importância às opiniões dos consumidores, o que pode nos fazer confiar em comentários que não são verdadeiros.
  • Exposição a malware. Se estivermos diante de um site fraudulento, podemos estar comprometendo a segurança de nossos dispositivos.
  • Roubo de dados. Um dos perigos mais proeminentes, que ocorre no momento do pagamento, é a possibilidade de roubo de identidade ou fraude econômica.
  • Uso de métodos de pagamento inseguros. Algumas formas de pagamento são mais vulneráveis ​​do que outras.
  • O que você recebe não é o que você esperava. É muito fácil isso acontecer, pois ao fazer uma compra online não é possível verificar alguns aspectos básicos como qualidade e funcionalidade.
  • Não receber o produto. Se essa loja realmente não existir, você perderá seu dinheiro e não receberá nada.

Como identificar um site inseguro?

Embora às vezes não seja fácil identificar se um site não é seguro, existem vários aspectos que podem nos ajudar a detectá-lo. Os mais comuns são:

  • O conteúdo está mal escrito ou traduzido (erros de ortografia, frases mal construídas, …).
  • As imagens não carregam ou são de baixa qualidade.
  • Há um excesso de anúncios e pop-ups que podem conter links maliciosos para seu dispositivo e privacidade de dados.
  • O endereço web tem um nome suspeito , não corresponde ao que procuramos ou tem uma armadilha que o diferencia do original.
  • Seu URL começa com HTTP em vez de HTTPS. Esta é uma maneira rápida de ver se o site é seguro ou não.
  • Contém links encurtados para ocultar informações sobre a página de destino.
  • A informação do vendedor não aparece, os aspectos legais, as condições de envio e devolução e/ou as condições de pagamento oferecem preços irresistivelmente baixos , fora do mercado.
  • Eles solicitam mais dados do que o necessário para realizar a transação (senhas, PIN, …).
  • Ter avaliações relatando fraude ou não ter avaliações é um sinal de alerta significativo.

Caso identifique algum desses aspectos em um site, recomendamos que procure outras opções para realizar sua compra com segurança.

Dicas para fazer uma compra online segura

Ao efetuar compras online existem 4 pontos que devemos ter sempre em conta para que o pagamento seja seguro:

1. Identifique o vendedor

Antes de efetuar uma compra é fundamental perguntar-nos quem é o vendedor; investigar a situação jurídica da empresa (Registo Comercial, sede, meios de contato…). Isso nos permitirá saber sobre sua confiabilidade e quem devemos reclamar no caso de ter um problema no processo de compra.

2. Protocolo HTTPS

Na barra de endereços podemos detectar dois indicadores que nos permitirão ter certeza de que estamos em uma página segura: o cadeado fechado e que o endereço da web é precedido pelo protocolo HTTPS em vez de HTTP, pois o S ​​no final indica que é um lugar seguro. O protocolo HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure) desenvolve uma criptografia que é responsável por proteger os dados que trafegam pela web.

3. Não utilizar rede WIFI pública

Expor-se a uma rede Wi-Fi pública pode nos custar muitos problemas; Essas redes são vulneráveis ​​e inseguras, por isso corremos o risco de ter nossos dados pessoais e bancários roubados. Recomendamos que você use uma conexão privada e confiável, com chaves seguras e criptografia.

4. Usa pasarelas de pago

Uma página confiável deve solicitar seus dados de pagamento por meio de uma plataforma segura. O pagamento deve ser verificado usando senhas temporárias que chegarão até nós via celular. Um exemplo de gateway de pagamento seguro é o Paypal, que é gratuito e permite que você adicione seu cartão bancário sem fornecê-lo à loja e garantir que eles  reembolsarão seu dinheiro em caso de fraude.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Gladioli: hastes longas de flores para os dias de verão

Os gladíolos são flores muito populares tanto em cerimónias e celebrações de todo o tipo como como presentes, para decorar as nossas casas e criar recantos especiais no jardim. Eles são um pouco mais delicados de cuidar do que outras plantas sobre as quais falamos em nossa seção de cuidados, mas nada que você não consiga alcançar com dedicação e perseverança. Saiba mais sobre profutos controlados agora mesmo.

O que você deve saber sobre gladíolos?

  • Com mais de 250 espécies e cerca de 10.000 variedades diferentes, os gladíolos são uma das plantas mais variadas.
  • Nativos das áreas quentes do sul da África e da Europa, bem como do Oriente Próximo, os gladíolos são muito populares entre os amantes e colecionadores de plantas de flores.
  • Das suas mais de 250 espécies, 163 são da África Austral, 10 da Eurásia, 9 de Madagáscar e as restantes da África tropical.
  • Fazem parte da família Iridaceae e são uma das chamadas plantas bulbosas, pois se desenvolvem a partir de bulbos.
  • Eles florescem no início do verão e continuam florescendo até o outono. Para garantir que você tenha gladíolos por um longo período de tempo, escalone o plantio de bulbos desde a última geada até a primeira semana do verão.
  • Também é uma boa ideia mover os bulbos de um ano para o outro, para que o novo solo e a localização estimulem seu crescimento, e até mesmo deixá-los descansar entre os plantios por pelo menos um ano.

Cuidados dos gladiolos

  • Uma das principais necessidades dos gladíolos é a luz, especialmente para a floração. As lâmpadas de gladíolo precisam de pelo menos 12 horas por dia de luz direta para que as flores se abram.
  • Os gladíolos podem suportar bem o sol pleno (embora seja uma boa ideia proteger suas pétalas com um pano de sombra durante as horas de pico da onda de calor, por precaução) e não florescem na sombra. Na meia-sombra elas florescerão, mas com menos profusão do que se você as tiver ao sol.
  • Embora se adaptem a praticamente qualquer tipo de solo, o substrato mais adequado é aquele que seja arenoso e com boa drenagem. Você também pode plantar gladíolos em solo vegetal (se você tiver uma horta urbana, matará dois coelhos com uma cajadada só).
  • É uma boa ideia que você deixe um espaço entre o bulbo e o bulbo e que você não plante mais nada junto com seus gladíolos (ou, pelo menos, que você não o faça perto), pois é uma planta muito territorial e só vive bem se não tiver outras espécies por perto.
  • Devido à sua origem e habitat natural, todas as variedades de gladíolos preferem temperaturas quentes e não toleram geadas. Alguns podem viver em temperaturas um pouco mais baixas do que no verão, mas o frio não lhes faz bem.
  • Quanto à irrigação, o gladíolo é uma planta que deseja muita água e umidade constante, embora o encharcamento seja prejudicial, portanto, você deve garantir que o substrato esteja sempre úmido, mas bem drenado.
  • Um solo sempre úmido promove floração mais abundante e aumenta o tamanho das flores, enquanto que se a planta estiver com sede, pode não florescer ou florescer mal.
  • No que diz respeito às pragas, os gladíolos são afetados por tripes, pulgões e lesmas, bem como moscas de bulbo e narcisos e pulgões de bulbo.
  • Além disso, são acometidos por podridão cinzenta, botrytis, ferrugem transversal e fusarium, entre outras doenças.

Curiosidades sobre os gladiolos

  • Você sabia que os gladíolos têm uma alta variabilidade em termos de tamanho de sua flor? Há flores em miniatura e flores gigantes e espetaculares.
  • Como planta, os gladíolos são ideais para criar massas de flores nos meses de verão (e você pode até misturar e combinar tamanhos para criar diferentes alturas e paisagens).
  • Os gladíolos também são muito populares como flores de corte, pois são usados ​​em muitos arranjos e buquês, principalmente para decorar cerimônias de casamento.
  • Para cortar corretamente suas hastes de gladíolo e decorar a casa com elas ou dar um lindo buquê do seu jardim, faça-o abaixo das flores mais próximas do bulbo, quando elas começarem a ganhar cor.
  • Os bulbos de gladíolo são conhecidos como cormos e levam cerca de 60 dias para florescer desde o plantio.
  • Sendo uma planta bulbosa, o gladíolo floresce todos os anos, desde que você cuide e preserve os rebentos adequadamente. Se você os tiver em uma zona temperada e sem gelo, não precisa desenterrá-los: deixe-os descansar para o inverno.
  • Se você mora em uma área com geada, desenterre os bulbos após a última floração e guarde-os em um local escuro e seco, protegido até plantá-los na próxima primavera.
  • Como muitas outras plantas e flores, os gladíolos também têm propriedades medicinais e na Idade Média eram usados ​​em pomadas e cataplasmas como remédio para aliviar a dor.
  • Na época romana, a flor de gladíolo era dada aos gladiadores que triunfavam na batalha; portanto, a flor é o símbolo da vitória.
  • Na linguagem das flores, os gladíolos evocam vitória, força e integridade moral. Dependendo da cor, vários significados são adicionados. Assim, os gladíolos laranja simbolizam o amor sensual, os rosas desejam sorte, os vermelhos evocam o erotismo e os amarelos convidam ao amor.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como cuidar de gladíolos , lembre-se que temos gerânios para você em nossa floricultura e que criamos arranjos especiais com gladíolos , para decorar ou presentear seus entes queridos em qualquer ocasião.

Se pratico esportes, o que devo comer?

Natação, ciclismo, caminhada rápida ou corrida são alguns dos exercícios que fazemos com mais frequência. A moda de correr está fazendo com que muitas pessoas deixem de lado o sedentarismo e se juntem a diferentes grupos de pessoas que treinam para atingir objetivos como uma corrida de 5 quilômetros, uma corrida de 10 km, uma meia maratona ou, o mais ousado e disciplinado, uma maratona . Há também quem o faça pela mera desconexão que o exercício acarreta.

Já dissemos como é importante praticar o esporte bem feito, para evitar lesões irritantes . Também é essencial saber se o nosso coração está preparado para o esforço a que vamos nos submeter. Para isso, a ergometria é um teste ideal que nos diz até onde podemos ir no treinamento. Na verdade, eles pedem cada vez mais em corridas populares, especialmente em longas distâncias. Para saber mais confira pratos fitness para o almoço agora mesmo.

Coma saudável e variado

Mas e a comida? Nos últimos anos, proliferaram os alimentos “fit”, baseados em alimentos naturais e priorizando aqueles que possuem mais nutrientes do que calorias. É uma forma de ensinar o corpo a comer o que precisa, para evitar que uma alimentação inadequada prejudique o desempenho de um atleta.

Deve ficar sempre claro que a ingestão de energia deve cobrir o gasto calórico. No caso de quem pratica esportes, a atividade física aumenta essas necessidades, mas nem todos precisam da mesma coisa, depende de fatores como o tipo de atividade, idade, sexo, constituição e nível de treinamento. É importante que a pessoa que pratica esportes mantenha um peso correto que lhe permita praticar esportes da maneira mais ideal.

Principalmente um atleta deve tomar em um dia:

  • Carboidratos . Eles fornecem energia e ajudam o músculo durante a atividade física. Eles devem constituir cerca de 60% da dieta diária. Frutas, leite e compotas são rapidamente absorvidos e cereais, legumes e batatas são absorvidos lentamente. Tomando essas quantidades diárias as reservas (glicogênio) essenciais para a contração muscular são alcançadas.
  • Gorduras . Devem fornecer entre 20% e 30% da energia. É tão ruim ir longe demais quanto ficar aquém. Um excesso de gorduras, principalmente de origem animal ou saturada, pode causar aumento do colesterol, o que afeta negativamente a saúde das pessoas. Recomendam-se óleos vegetais (eliminando palma e coco), peixes oleosos e nozes.
  • Proteínas . Eles devem representar cerca de 15% da energia total. A ingestão de uma quantidade razoável de carne, ovos, peixe e laticínios é alcançada. Mesmo que o objetivo seja obter um músculo trabalhado, não é altamente recomendável tomar suplementos de proteína, pois pode ocorrer acúmulo de resíduos tóxicos e outros efeitos prejudiciais.
  • Micronutrientes . Eles são essenciais para as pessoas, pois não são produzidos pelo próprio corpo, mas o corpo os recebe através da ingestão de alimentos. São as vitaminas (A, C, D, ácido fólico…) e os minerais (cálcio, ferro, magnésio…) que controlam e regulam o metabolismo.

Certamente já ouvimos isso milhares de vezes, mas é verdade que é bom fazer 4 ou 5 refeições por dia , para distribuir a ingestão de energia ao longo do dia. O café da manhã deve estar entre 15% e 25%, incluindo cereais, leite desnatado, suco natural e pão integral. No meio da manhã é aconselhável levar vários pedaços de fruta e um laticínio. A alimentação deve estar entre 25% e 35%, incluindo carboidratos, gorduras e ocasionalmente proteínas. No lanche novamente frutas e cereais e no jantar, que deve ter um peso entre 25% e 35% da ingestão diária, proteínas, alguns carboidratos e gorduras devem ser incluídos.

De qualquer forma, o ideal é que seja o médico especialista que, dependendo das características de cada pessoa, prepare uma dieta de acordo com o exercício que realiza.

6 Dicas para enfrentar longos passeios de bicicleta

Não há nada como andar de bicicleta uma longa distância. Pedalar subidas e descidas, sozinho ou em companhia, desfrutando do vento e das paisagens, como as que podemos encontrar no Caminho de Santiago de bicicleta ou em outras longas pedaladas: nenhum outro esporte oferece aquela maravilhosa sensação de esgotamento no final da jornada. o dia. Aqui estão outras dicas que podem ajudá-lo a enfrentar um longo passeio de bicicleta e que te mantenha seguro.

6 Dicas para enfrentar longos passeios de bicicleta

Preparação antes da viagem

Claro que, para encarar uma pedalada longa, você deve primeiro treinar aos poucos, aumentando a duração e a intensidade das pedaladas. Suponha que todo fim de semana você pedale por cerca de duas horas. 

Durante um período de oito semanas, você pode querer adicionar cerca de meia hora por semana; em dois meses você estará pronto. Certifique-se também de incluir uma ou duas caminhadas por semana, com pelo menos uma hora de duração.

Ande com inteligência

Manter uma cadência de pedalada de pelo menos 90 rpm dá um descanso ao seu sistema aeróbico e muscular. Pense em levantar um peso de 10 quilos 10 vezes em vez de levantar um peso de 100 quilos uma vez: você levantará o mesmo peso, mas com menos esforço geral.

Comer e beber muito

O objetivo é beber pelo menos uma garrafa de água por hora, dependendo do nível de calor e esforço. Não se preocupe tanto com os complementos que a água tem; água é o mais importante. Coma uma ou duas mordidas de comida a cada 15 minutos – ser consistente é crucial ao longo do dia. Se você planeja pedalar mais de duas horas em lugares despovoados, planeje uma parada para reabastecer suas garrafas e fazer um lanche.

Use a regra dos terços

Divida o percurso em três distâncias mais ou menos iguais. O primeiro segmento deve ser o mais fácil, basta pedalar. Durante o segundo, você começará a sentir o trabalho dos músculos. Se houver algum contratempo, é melhor que seja no último terço. Nada pior para os novatos do que gastar toda a sua energia nos primeiros trechos, apenas para vacilar e precisar de cuidados até a linha de chegada.

controlar o vento

O vento pode ser amigo ou inimigo. Se você começar com vento de cauda, ​​pedalar será muito fácil. Mas com um vento contrário, as coisas ficam complicadas. Se você  estiver andando em grupo em sua rota de bicicleta , fique junto com um vento contrário e revezem na liderança para que outros possam se recuperar de seu esforço.

últimas dicas

  • Dores e dores são comuns durante viagens longas. Para minimizá-los… mova-se.
  • Mude periodicamente a posição das mãos, mantendo os polegares sob o guidão ou a alavanca do freio para maior segurança.
  • Para aliviar o pescoço e os ombros, encolha os ombros por 5 a 10 segundos.
  • Em um trecho claro da rota, relaxe os músculos esticando uma mão atrás dos ombros por alguns segundos e depois troque de mão.
  • Enquanto pedala, levante-se e solte um pedal para alongar a perna. Relaxe o calcanhar e mantenha a posição por 20 segundos; então troque de perna.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Basquetebol – tipos de passes e recepções.

Passe e receba notas de aula

PASSE

ação pela qual um jogador envia (passa) a bola para um de seus oponentes é chamada de passe companheiros, diferencia-se dos demais fundamentos por relacionar os dois atores envolvidos na ação, sendo talvez o elemento técnico mais importante, porque no meio dela, os jogadores do mesmo time se reúnem em busca de outras ações técnicas, como lançamentos, dribles, etc, tudo isso sem esquecer que é a maneira mais rápida de avançar a bola entre duas posições o passe requer a ação sincronizada do passador e receptor e certas condições como precisão, direção, tempo, força, velocidade, etc, para que o receptor pode executar uma nova ação com sucesso mente.

Em termos de técnica de passe, o jogador que faz o passe deve estar bem equilibrado e Você deve ter o controle perfeito da bola, você também deve ter a noção correta do local e do parceiro para quem você quer passar.

TIPOS DE PASE

passe de peito

É o passe mais comum, usado em distâncias curtas e médias, geralmente é usado para movimentar a bola em situações de ataque estático e especialmente entre jogadores exteriores, pois exige que o pino não seja excessivamente marcado; além disso, é um tipo de passe bastante seguro e rápido, o que o torna muito adequado para rapidamente a bola para o lado ou cruzar o campo de jogo movendo rapidamente a bola passar de cabeça Este passe é muito eficaz, especialmente quando usado contra uma defesa menor altura, é também um passe rápido e forte. isso deve vir de cima da cabeça do passador e deve atingir a mesma altura que o recebedor do passe. Resultado de imagem para passar por cima

RECEPÇÃO

a recepção é um alicerce tão importante quanto a execução correta de um passe. do nada serviria para fazer um passe muito bom para um companheiro de equipe que não conseguiu receba-o. Antes de começar a receber e passar a bola, é preciso saber pegá-la exercícios de passagem e recepção uma bola por participante, cada jogador passa a bola de maneiras diferentes para um alvo desenhado na parede uma bola por par, cada par fica um atrás do outro, sendo o jogador atrás quem tem a bola a um sinal do jogador com a bola, seu companheiro deve virar e receber a bola.

uma bola por participante, em pares, um na frente do outro separados a uma distância de4 metros. um dos dois executa um passe de peito e seu parceiro simultaneamente passa a bola com um passe rebatido

Conheça nossas redes sociais:

  • Nosso Apsense está repleto de imagens da estética brasileira!
  • Nosso Medium compartilha nossas últimas notícias do esporte
  • Nossa conta no Quora abre questionamentos para a área esportiva.
  • Em nossa conta do GitHub compartilhamos nossas novidades em tecnologia.
  • O Gravatar é repleto de produtos bacanas e dicas de lifestyle
  • Vimeo com vários vídeos dos bastidores da BR Aesthetics

Confira uma seleção especial de camisas de basquete da NBA, coleções de times de basquete da NBA originais com até 50% de desconto. Confira essas e outras ofertas em até 6x sem juros. Brazillian Aesthetics, a estética brasileira em suas mãos, deixamos o convite para conhecer também nossas camisas do campeonato italiano.

O que é separação legal e como ela pode beneficiá-lo?

Você sabia que janeiro é o mês mais popular para os cônjuges se separarem legalmente e/ou pedirem o divórcio? Muitos especialistas acreditam que o mês é tão popular porque marca um novo começo. As resoluções de ano novo são incrivelmente populares, e os cônjuges que estão infelizes em seus casamentos podem decidir levar suas vidas em uma nova direção em um novo ano. A separação judicial é, muitas vezes, o primeiro passo que os cônjuges dão quando decidem divorciar-se . Confira também Guarda compartilhada, pode lhe interessar.

O que é separação jurídica?

Simplificando, a separação legal permite que os cônjuges vivam separados e levem vidas separadas. Para se separarem legalmente, os casais entram com uma petição em um tribunal em um processo quase idêntico ao pedido de divórcio. A petição basicamente diz que o casal está lutando com diferenças irreconciliáveis ​​e se beneficiaria de viver separado. Essas diferenças irreconciliáveis ​​podem tornar difícil para os cônjuges concordarem em aspectos incrivelmente importantes de suas vidas. Quando os cônjuges estão separados judicialmente, um tribunal tem autoridade para tomar decisões sobre a guarda dos filhos , ordens de restrição , pensão alimentícia , pensão alimentícia e divisão de bens. Cônjuges separados são legalmente obrigados a seguir as ordens proferidas pelo tribunal.

Por que os casais se separam legalmente?

Os casais podem optar por se separar legalmente por vários motivos. Alguns casais usam isso como um período de resfriamento temporário quando as tensões no casamento estão altas. Passar um tempo separados pode dar a cada cônjuge tempo para refletir sobre seu relacionamento e avaliar seu futuro juntos. Outros casais usam a separação judicial como forma de mapear um divórcio. A separação pode ajudar os casais – especialmente aqueles com filhos – a fazer a transição lenta para um divórcio completo.

Alguns casais que se separam podem nunca escolher se casar. Como os casais que se separam ainda são legalmente casados, eles ainda desfrutam dos muitos benefícios do casamento. Cônjuges separados ainda têm direito a participar de planos de saúde da família, receber benefícios de aposentadoria conjugal e aproveitar benefícios de imposto de renda por meio de declaração conjunta. Em alguns casos, os benefícios do casamento podem superar os benefícios do divórcio. A separação legal permite que esses cônjuges mantenham os benefícios do casamento enquanto vivem vidas separadas. É importante notar que, como os casais separados legalmente ainda são tecnicamente casados, eles não podem se casar novamente durante esse período. Um divórcio completo será necessário se um dos cônjuges quiser se casar novamente.

Como a separação legal afeta as crianças?

Quando os pais decidem se separar, os filhos certamente sentirão os efeitos. Será importante estabelecer um plano para ajudar as crianças a se ajustarem. Os pais têm a opção de propor um acordo de guarda e visitação dos filhos. Se os pais concordarem com um acordo, os tribunais geralmente aprovam. Alguns pais podem não ser capazes de concordar sobre quem fica com as crianças e quando. Nessas situações, os tribunais intervirão e determinarão o que é do melhor interesse das crianças. Os tribunais preferem manter as crianças em contato frequente e contínuo com ambos os pais. No entanto, os tribunais aumentarão a custódia em preferência a um dos pais solteiros se a criança estiver em melhor situação. Os tribunais considerarão alegações de violência doméstica , uso de drogas e/ou álcool, questões psicológicas, e a própria preferência da criança em tomar essas decisões.

Como posso me separar legalmente de meu cônjuge?

Se você quiser se separar legalmente de seu cônjuge, terá que passar por um processo legal formal. O processo começa quando você reúne e preenche todos os formulários legais necessários, incluindo a Petição e a Intimação. Você deve arquivar seus formulários preenchidos com o oficial de justiça apropriado e pagar uma taxa de arquivamento. Uma vez feito isso, você deve entregar uma cópia da papelada ao seu cônjuge. Uma vez que seu cônjuge tenha sido servido, eles serão obrigados a responder. Cada um de vocês deve preencher formulários de divulgação financeira para ajudar o tribunal a tomar decisões importantes sobre sua separação. Se o seu cônjuge não contestar a separação, o tribunal pode aprovar os termos que você propôs. Se o seu cônjuge contestar a separação (e/ou os termos que você propôs), o caso precisará ser resolvido por meio de mediação ou em tribunal.

Page 1 of 31

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén