Técnicas mentais para aprender Inglês melhor

Já imaginou conhecer técnicas mentais para aprender inglês melhor? Não seria fantástico aproveitar melhor o tempo, descobrindo novos estudos e aprendendo coisas novas o tempo todo?

Sem dúvida, a primeira ideia que vem à mente é esta: a de um superpoder. E, de fato, nada nos torna tão poderosos quanto o conhecimento e aprendizado constante.

Por isso, se o tema é interessante para você, convido-te a ficar conosco até o final. Apresentaremos técnicas mentais para aprender melhor que revolucionarão seus estudos.

Quer dominar um idioma? Mudar de profissão? Desenvolver um hobby? Seja qual for a finalidade que pretenda, estas dicas você levará para toda a sua vida.

Então, não perca tempo! Acompanhe-me neste passeio pelo universo do autodidatismo.

Entendendo a real natureza do autodidatismo

Quando se ouve falar de um autodidata, é comum a incorrência em erro. Afinal, crê-se que o autodidata é alguém que tira conhecimentos do nada e sem ajuda de ninguém.

Todavia isso nada mais é que um erro terrível. Pois, se assim fosse, o autodidata estaria gastando tempo e energia totalmente à toa.

Hoje, em 2020, possuímos, ao nosso alcance, milhares de anos de estudos e aprendizado. Dos sumérios, passando por egípcios, gregos e romanos, temos um arsenal imenso ao toque na tela.

Ignorar este acúmulo imenso de pensamento, testes, validações, revisões é, no fim, pura perda de tempo. Seria como tentar inventar a farinha, quando se pretende cozinhar um bolo.

Justamente por isso, Newton disse uma vez mais ou menos o que segue: que tudo que tinha feito, apenas fez por estar sentado nos ombros de gigantes.

Estes gigantes são os cientistas que o precederam. Porque, aproveitando-se dos erros e acertos de outros, somos capazes de ir muito mais longe.

Assim, o autodidatismo nada mais é que disciplina e compromisso. A disciplina de estudar mesmo sem um mentor. O compromisso de se alimentar sempre de boas fontes.

Além disso, o processo de aprendizado do autodidata é idêntico ao do aluno guiado: consumo, memorização e aplicação do que se aprendeu.

E digo isso por ser o autodidatismo uma das técnicas mentais para aprender melhor. Afinal, nada melhor que usar todo o tempo disponível nesta empresa.

Sabendo disso, passemos a apontar algumas técnicas mentais para aprender melhor que ajudarão você. Tenho certeza que você as aproveitará integralmente. Isso fará toda a diferença.

4 técnicas para aprender melhor

Vejamos, agora, algumas técnicas para aprender melhor. Quanto maior sua dedicação, mais infalíveis elas serão.

E não espere mágica ou milagres. No fim, são coisas simples, que podem facilmente ser aplicadas na vida de qualquer um.

Especialmente agora, isolados e em quarentena, colocá-las em prática depende única e exclusivamente de você. Então, bom proveito!

Todo lugar é lugar para os estudos

De fato, tudo na vida tem sua hora. A hora de dormir, a de comer, de repousar, de se distrair. Devemos dividir nossos dias com sabedoria, se queremos aproveitá-los ao máximo.

No entanto, quando se pretende aprender algo verdadeiramente, é preciso ir além. Além de dedicar duas ou quatro horas por dia aos estudos. É preciso extravasar para se superar.

Por isso mesmo, nesta das técnicas para aprender melhor, a dica é: estude a qualquer momento. Dedique-se nas aulas com todo afinco. Mas não apenas nelas.

Num momento livre, em lugar de divagar em redes sociais, revisite os temas. Se pretende memorizar palavras de um idioma, por exemplo, repita-as sempre que possível.

Mas não force uma situação. Falaremos disto mais tarde. Não é preciso se obrigar a estudar o tempo todo. É só imprescindível querer estudar bastante. Combinado?

Estude por conta, mas aproveite ao máximo os tutores e guias

Você já sabe que deve estudar além das aulas, não é mesmo? E sabe, também, que o autodidatismo é importante para o pleno aproveitamento.

Porém a segunda dentre as técnicas mentais para aprender melhor trata de ajuda. Do contar com alguém que sabe mais sem medos ou vergonhas.

Normalmente, quando contratamos um professor ou nos matriculamos num curso de inglês, acontece isto: pensamos que as aulas bastam, e que perguntas incomodam.

Contudo é um absurdo crer que apenas devemos ouvir, sem nunca falar. Tendo um tutor ou professor, contar com ele faz parte das obrigações de sua função.

Assim, se tem uma dúvida, pesquise. Entretanto, se não conseguir uma resposta satisfatória, pergunte! E muito e sempre. A vergonha é inimiga do conhecimento.

E pode apostar: professores adoram desafios. Quanto mais refinadas forem suas dúvidas, mais eles se comprometerão a te entregar a resposta. Abuse disso!

Mescle os estudos com diversão

Lembra quando disse para estudar mesmo no tempo livre? Pois, bem. Mesclar os estudos com a diversão é a chave para a tarefa não ser enfadonha.

Basta você descobrir seus prazeres. Música? Séries? Filmes? Pinturas? Não faz diferença. Agregue seu hobby aos estudos.

Ao estudar idiomas, por exemplo, aprender Inglês com música é fácil e totalmente aproveitável. Há quem torne-se fluente sem jamais ter frequentado uma sala de aulas.

E o mesmo vale para qualquer estudo. Busque o caminho e, encontrando-o, mergulhe. Faça os estudos farem parte de sua vida.

Por fim, transforme o aprender em prazer por si só

A última das técnicas mentais para aprender melhor versa sobre o hábito. E, sendo um hábito, é algo que se adquire com o tempo.

O que vou dizer pode parecer incomum. Porém é a mais pura verdade. Aprender algo novo é o maior prazer que se pode ter. Aristóteles já dizia isso há milênios.

Assim, seguindo os passos anteriores, você atingirá o ponto no que aprender será bom por si. Continuará custando tempo e esforço. Mas você estudará porque aprendeu a amar o estudo.

Neste ponto, não tenha dúvida: sua vida se transformará. E nenhum horizonte será impossível para você. Então, boa sorte! Você não perde por esperar. O mundo te aguarda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *