Chapada Diamantina – Parque Nacional do Brasil que talvez você não Conhecesse

O Brasil é um país de infinitas maravilhas, florestas densas, grandes cachoeiras como a cachoeira da fumaça e uma considerável herança cultural. Nesse contexto, o Parque Nacional da Chapada Diamantina é um destino daqueles que devem ser agendados.

Para chegar a essa maravilha das colinas colossais, é necessário estar predisposto a uma viagem de ônibus ou a um ar da cidade principal do estado da Bahia (Salvador da Bahia) até o portal principal do parque, a cidade de Lençóis.

cachoeira_da_fumaca

Declarada Patrimônio da Humanidade por sua importante fachada colonial, mantém as casas antigas e as ruas de paralelepípedos que transportam turistas para os séculos XIX e XX, quando a região era a capital do diamante.

A Chapada Diamantina foi criada em 1985 e ocupa uma vasta área de 152 mil hectares. Atualmente, é um dos destinos mais procurados do Brasil por sua beleza exuberante, diversidade de flora e fauna e atividades alternativas de turismo que oferece. Além de Lençóis, outros municípios que ocupam a região são Andaraí, Palmeiras e Mucugê.

Uma variedade de experiências

Suponha que acabamos de chegar em Lençóis e que temos alguns dias para aproveitar o local. A oferta do hotel é variada, a culinária típica não poupa sabores e, nas pequenas ruas, as agências de viagens oferecem uma variedade de experiências.

A primeira incursão a ser realizada no parque, partindo de Lençóis em carro próprio ou em excursão, é a visita ao Morro do Pai Inácio. O local fica a 30 quilômetros de distância e a foto típica, tirada de cima, mostra o vale ao fundo e a vegetação exuberante que tenta escalar as colinas altas que surgiram ao longo de milhares de anos. Do ponto mais alto, você pode ver os Sincras de Sincorá de la Cuenca e a Chapadinha.

Por outro lado, além de alguns passeios próximos à cidade, como Ribeirão do Meio ou Cachoeira do Primavera, existe a possibilidade de explorar um extenso riacho até a Cachoeira do Sossego. Em um circuito de 14 quilômetros (ida e volta) de alta dificuldade, você chega a uma área de boxe, onde a cachoeira cai por uma espécie de deslizamento em um grande cilindro de água fria e profunda.

Alguns apaixonados por adrenalina pulam de uma varanda de pedra e outros chegam nadando e se refugiam atrás da cachoeira. A rota inteira é feita rastreando o fluxo; Às vezes, algumas rochas bloqueiam a passagem e forçam você a caminhar pelas encostas da montanha. Para este passeio, é recomendável contratar um guia turístico.

Outro destino significativo dentro do parque é a Cachoeira da Fumaça. Nesse caso, é acessado através do município de Palmeiras e através de excursões você chega a essa cachoeira de 340 metros de altura. Algumas expedições são realizadas com guias em um circuito de 12 quilômetros. O nome da cachoeira vem do vapor gerado quando a água atinge as pedras. Este ponto é um dos mais visitados no parque e os passeios começam em 300 reais, dependendo do serviço que incluem.

E você não precisa sair deste destino sem ter visitado Pozo Azul e Pozo Encantado. Suas águas cristalinas e profundas geram uma ilusão nas profundezas, quando os raios do sol as iluminam e causam tons de cores azuladas. Esse fenômeno natural ocorre entre os meses de abril e setembro, época mais recomendada para conhecê-los. Em Pozo Azul é permitido tomar banho, mas em Pozo Encantado não, pois tem profundidade de mais de 60 metros.

 

Esses quatro passeios são apenas uma parte da grande variedade de cantos que o Parque Nacional da Chapada Diamantina tem para oferecer aos amantes da natureza. Mas eles servem para se aproximar deste paraíso pela primeira vez, composto por cavernas, colinas e cachoeiras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *