Como lidar com um recém-nascido que chora?

Como lidar com um bebê que chora é uma das primeiras coisas a aprender quando você é um novo pai e está lutando com um bebê que nunca para de reclamar. A primeira das dicas é tenha sempre uma chupetas por perto.

Neste pequeno guia, os Jogos da Primeira Infância explicam como lidar com o choro de um recém-nascido, partindo dos motivos que induzem o seu cachorro a adotar esse comportamento e quais os danos cognitivos (ansiedade e dificuldades de aprendizagem) que um gerenciamento incorreto do choro pode causar.

Por que um recém-nascido chora?

Para entender como lidar com o choro de um bebê, é necessário, antes de tudo, entender as razões que induzem esse comportamento.

Pode ser a culpa, por exemplo, da fralda suja: por isso é sempre aconselhável trocar os bebês antes de mamar.

Outro motivo de preocupação pode ser a fome: dá para saber se o bebê quer comer porque, além de chorar, ele abre a boca e mexe a cabeça, sacode e coloca as mãos na boca.

Mas às vezes pode acontecer que o choro venha da vontade de ser pego: não é um capricho, mas sim uma necessidade fisiológica real, pois nos primeiros meses de vida é essencial um contato prolongado entre mãe e filho.

Não tenha medo de segurar o bebê com muita frequência: na verdade, isso só pode fazer bem a ele.

Mas e se o bebê estiver reclamando porque está com sono?

Para um recém-nascido, adormecer pode não ser fácil: quando se suspeita que o bebé quer descansar, é fundamental colocá-lo em posição para o fazer, por exemplo cantando uma canção de embalar, pegando-o nos braços para niná-lo ou em todo o caso tentando fazê-lo relaxar.

Como lidar com um bebê recém-nascido chorando

Resta ver, neste ponto, como um bebê chorando deve ser tratado.

Antes de mais nada, é aconselhável mimá-lo e tentar tranquilizá-lo, dar-lhe a proteção de que sempre e em qualquer caso precisa e satisfazer seu desejo de afeto.

Mães e pais, em qualquer caso, devem evitar se deixar incomodar por acessos de choro, e sim tentar manter a calma o máximo possível, também para transmitir a maior serenidade possível ao filho, independentemente do motivo da reclamação.

A mãe deve apertá-lo no peito, sempre com delicadeza, para que ele se sinta seguro: para diminuir seu grau de irritabilidade, deve-se dar um alívio, mesmo no nível físico.

Por isso, a menos que esteja quente, o bebê deve estar sempre envolto em um cobertor, para que possa se beneficiar de uma temperatura comparável à que tinha dentro do útero.

Uma vez identificado o motivo do choro, tudo o que resta é agir de acordo.

Uma ideia que não se deve subestimar é andar sempre com o pequenino nos braços, talvez com um pouco de música ao fundo, para acalmá-lo por meio de vibrações e movimentos, fazendo-o sentir o ritmo dos batimentos cardíacos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *