Uma das grandes estratégias para aumentar o número de clientes, fixar a marca no mercado digital e, realmente, alcançar os objetivos como empresa é o planejamento de marketing

Essa proposta de desenvolvimento é um documento que serve como um guia para direcionar o marketing, com os objetivos, estratégias e informações importantes para traçar um caminho para os resultados que a firma deseja alcançar a curto, médio e longo prazo.

Por que fazer um plano de marketing?

Pois bem, existem variados motivos para a criação de um plano de marketing, sempre visando o crescimento da marca, bem como a retenção de novos clientes. Para facilitar ainda mais esse entendimento, listamos algumas das principais razões:

  • Criar propósito na realização das ações;
  • Ganhar consciência para expansão no mercado inserido;
  • Focar nos objetivos desejados e nas formas de conseguir;
  • Embasar as tomadas de decisões no negócio;
  • Otimizar o investimento em marketing;
  • Melhorar a comunicação interna.

Ou seja, por ser um planejamento, a empresa terá um documento próprio, com detalhes de cada ato a ser feito, para que possa crescer e ganhar destaque. 

Dessa forma, haverá uma valorização do tempo e eficiência, pois o tempo de trabalho gasto será efetivo e a perda desse com ações sem propósito não ocorrerá mais, uma vez que o trabalho será focado em estratégias que serão efetivas para o público-alvo e para a firma em geral. 

Além disso, a quantidade de investimentos inserida será específica, então não haverá desperdícios com ações fora do objetivo, e o retorno será maximizado. 

Com o planejamento, todos os funcionários da empresa terão conhecimento de suas ações e do impacto delas no desenvolvimento empresarial, portanto a motivação aumenta e é criado um maior relacionamento entre os componentes. 

Por exemplo, se esse planejamento for criado em uma fabrica de etiquetas adesivas, cada pessoa na equipe saberá sua responsabilidade na produção e como sua função afetará o produto final, gerando empolgação com as conquistas da fábrica como um todo. 

Outra razão para ter o plano é que o conteúdo será mais assertivo, já que todas as informações de conquista estão mapeadas.

Como construir um planejamento de marketing?

Agora que já ficou claro quais são as razões para contar com um planejamento completo e eficiente, chegou o momento de saber como realizar essa ação. Pois bem, entre os principais passos a serem seguidos estão:

  1. Diagnóstico da empresa;
  2. Análise do negócio;
  3. Análise da concorrência;
  4. Definição do público-alvo e personas;
  5. Definição de posicionamentos;
  6. Definição de objetivos;
  7. Definição de KPIs;
  8. Definição de estratégias de marketing;
  9. Orçamento;
  10.  Elaboração de cronograma;
  11.  Elaboração do plano.

1 – Diagnóstico da empresa

É necessário iniciar o processo analisando a própria empresa internamente, com informações detalhadas sobre o estado atual dela e de sua capacidade. 

A análise deve conter os pontos fortes da firma, assim como os fracos para melhorá-los e aumentar o alcance e qualidade. Além disso, é válida a análise dos pontos fortes e fracos em relação ao mercado inserido também. 

Dessa forma, é possível uma compreensão do orçamento e uma melhor forma de preparar seu planejamento, de acordo com as possibilidades existentes para alcançar os objetivos.

2 – Análise do negócio

Para essa parte do planejamento, é necessário observar o ambiente em que a empresa está inserida e fatores que poderão afetar o funcionamento do plano. 

Devem ser identificadas as mudanças que poderão ocorrer na região, no país e até no mundo relacionado ao seu ambiente de negócios. Além disso, mudanças mais focadas no seu mercado também deverão ser analisadas. 

Por exemplo, uma agência de eventos SP deve analisar os fatores como meses que são relacionados a eventos específicos (mês das noivas), localidades em que há maior fluxo de interessados, quando outras agências realizaram seus eventos para não haver concorrência no mesmo dia, assim como o estado do mercado financeiro. 

Seria válido incluir um plano de ações específicas para cada situação, como o que fazer em determinadas situações pessimistas, como um plano de fuga. 

3 – Análise da concorrência

É válido analisar a influência da concorrência no mercado, identificar acertos de outras empresas para incluir ao seu plano de metas. 

Além disso, ao analisar as ações dos adversários, é possível antecipar seus movimentos e permitir um preparo para o que está por vir na disputa do mercado. 

4 – Definição do público-alvo e personas

Essa parte está voltada para as pessoas que você irá direcionar o seu conteúdo, ou seja, seu público-alvo. Para isso, é preciso que você divida o mercado em geral e identifique que tipo de público você deseja que consuma o seu produto. 

Por exemplo, uma administradora predial deve entender que o seu alvo são moradores de edifícios e, com isso, voltar seu planejamento de marketing para as pessoas que se encaixam nessa divisão. 

Após isso, é vital a criação de uma persona, que é a descrição do que seria um cliente ideal, com características de consumidor com valores, expectativas e desejos. 

Com isso, crie um caminho que esse consumidor seguiria, para poder traçar planos que não prejudiquem o consumo dele, como uma antecipação. 

5 – Definição de posicionamentos

Nessa etapa, deve-se pensar em como se deseja que a empresa seja vista pelos consumidores. Como dito antes, é necessário identificar o posicionamento da concorrência para que sua empresa possa ganhar destaque e ser única neste ponto. 

Os fatores a serem analisados devem ser o quanto será cobrado, como será o produto em si, os valores da marca em geral e até os significados que se deseja atribuir a si. Dessa forma, é possível definir como esse posicionamento será passado para os consumidores. 

6 – Definição de objetivos

Para que os objetivos sejam claros e bem definidos, é indicado que eles sejam específicos, possíveis de atingir, realistas, calculáveis e que tenham prazo definido. Dessa forma, eles serão claros para todos os atuantes. 

7 – Definição de KPIs

Os KPIs são indicadores de sucesso, ou seja, uma maneira de analisar se o seu plano de metas está em progresso ou apenas seguindo sem rumo, pois estão diretamente ligados aos seus objetivos. 

Para que eles tenham função, deve haver uma rotina de revisão e análise para identificar o andamento do planejamento. Além disso, é possível identificar os pontos parados e sem rumo para direcioná-los para um caminho mais focado. 

8 – Definição de estratégias de marketing

Agora, deve-se definir que tática de marketing será usada para favorecer a sua empresa a chegar mais próximo do que foi traçado no plano de metas. 

Essa parte deve ser feita bem detalhadamente, com o preço que será cobrado, o que será ofertado, onde será ofertado e como. 

9 – Orçamento

Nessa parte deverá ser analisado quais equipamentos, instrumentos, funcionários, campanhas, serviços e despesas gerais serão utilizados durante o processo e quanto será gasto com essas utilidades. 

Se sua empresa for no ABC, por exemplo, é de extrema importância levar em conta a contabilidade no ABC nesta parte, com cálculos financeiros e até considerar contatá-los para auxílio. 

10 – Elaboração de cronograma

Com a base do plano já definida, é necessário colocá-la em prática. Ou seja, montar de fato um cronograma e separar o que cada equipe será responsável e realizará. 

11 – Elaboração do plano

Por fim, é só criar o documento que será o guia de marketing da empresa. 

Confira algumas dicas para ajudar no processo

Para melhor desenvolver o seu planejamento, é indicado o marketing de atração (Inbound). Ele é voltado para a atração de novos clientes e em estreitar a relação com talvez compradores, para que seja possível torná-los consumidores. 

Outro tipo de marketing indicado é o que ativamente segue atrás de outros consumidores. Geralmente ele fica relacionado ao pagamento de publicidade, como compra de anúncios e propagandas. 

Além de estratégias de marketing, é indicado revisar constantemente as bases do plano, para que o objetivo não se perca pelo caminho e haja sempre uma adaptação ao que está de acordo e ao que não funciona. 

Por exemplo, num planejamento para um serviço de instalação elétrica, que possui publicidade em sites para público adulto, porém que foi ganhando público adolescente, deve-se considerar mudar o site para um voltado para novas moradias, já que o antigo público foi abandonando a plataforma.

Outro fator necessário é ter estratégias para manter o seu público já consumidor. Por exemplo, sempre valorizar a opinião deles e dar apoio para que eles não sejam atraídos por marcas concorrentes e abandonem a empresa. 

Como, para uma empresa de portaria, é vital que eles permaneçam com os meios já existentes e perguntem a opinião dos consumidores, para que eles continuem satisfeitos com o trabalho. 

Além disso, é necessário a procura por parceiros estratégicos, que tenham conteúdo a somar com o da sua empresa, mas não de forma concorrente. 

Por exemplo, para uma empresa de automação industrial, fazer parceria com empresas de bem-estar não teria ganho de fato, pois os dois assuntos não se relacionam. Com isso, o público-alvo da empresa parceira não terá interesse em consumir o conteúdo da empresa. 

Uma dica essencial é a de, no início do planejamento, deixar as metas menores, mas necessárias e alcançáveis. Porque se, no começo, forem selecionadas metas grandes e inatingíveis, a empresa terá uma sensação de que o plano não funciona e de que ele não será efetivo.

Por fim, uma dica que para acrescentar seria o contato com uma empresas de saúde ocupacional, para que os funcionários que participam do planejamento possam ter um controle da saúde, para que a produtividade não seja afetada. 

Conclusão

Com todas as dicas aqui citadas, com certeza, montar um planejamento de marketing funcional e completo, ficou muito mais fácil. Basta, antes de tudo, fazer uma avaliação do seu negócio, bem como quais são os seus princípios.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.